Almeida: a direitona não pensa na saúde do povo

Por Jozailto Lima
04 abr 2017, 21h24

Disposto a fazer uma saúde pública que sirva com dignidade às pessoas que necessitam da saúde pública, o secretário de Estado desta área, José Almeida Lima, PMDB, tem sido cutucado indelicadamente com a vara curta pela turma da política.

Para alguns representantes deste setor, Almeida Lima está fazendo tudo pensando em ser o candidato a suceder o governador Jackson Barreto, PMDB.

Quando querem jogar mais no varejo, dizem que ele quer se cacifar para eleger o genro Breno Martins, esposo de Juliana Almeida, deputado estadual. Ou a Alexandre Figueiredo, filho do amigo Benedito Figueiredo, deputado federal.

Diante desses fatos e de outros, José Almeida Lima tem se servido de doses cavalares de tolerância e paciência política. Em nada se parece com aquele Almeida que à mínima cutucada chutava paredes, derrubava muros e botava os ambientes de perna pro ar.

Mas ontem, em conversa com esta coluna Aparte, Almeida deu fortes sapatadas neste blábláblá que se agiganta em torno dele. Para o secretário, os que estão vendo somente “política pela política” prestam um enorme desserviço ao Estado e à cidadania.

“Os problemas da saúde são graves. Gravíssimos, e a visão dessas pessoas é de direita. Eu convidaria a essas pessoas da política pela política a ter um olhar diferente. Generoso e humanitário. Ah, mas é bom que se saiba: a direitona não tem esse olhar. A direitona é oportunista, assistencialista, egocêntrica, e só pensa em sugar. Para ela, não estou de braços abertos”, disse.

“A política não é um fim em si. É um instrumento. Um meio para fazer o bem. Para servir. Eu encaro a política como um meio de proporcionar aos cidadãos felicidade e bem-estar. É um meio de assistir o povo. De gerar emprego, serviço, proteção. Política, como estão querendo, se faz ali nos 90 dias à beira das eleições, e chega. Eu não quero saber de zorra de política nenhuma diferente disso”, disse.

“Breno Martins não é candidato. Esse boato vem da Alese. Não tem nenhuma candidatura em minha família. Eu fui deputado duas vezes e nunca me preocupei se o governador de plantão teria um irmão candidato a deputado, um sobrinho. Não estou dando ouvidos a essa história. O momento é de trabalhar pelo povo. Eleição é no próximo ano”.

Almeida não tem dúvida de que esse tema está fora de hora. “Eu acho que discutir eleição hoje e a esta altura é falta de respeito ao povo, aos cidadãos e às suas carências num dos momentos mais difíceis do Estado e do País. Quem está assumindo estas posições deveria se respeitar e respeitar os cidadãos. Estão assumindo um comportamento de quem faz política pela política, desprovida de preocupação social e de conteúdo justo. Neste comportamento eu só vejo um perdedor com isso: é o povo. Não vejo nenhum ganhador”, avisa.

E mais: “Hoje fui chamado ao Sindicato dos médicos e disse lá que sou uma pessoa integralmente a serviço da saúde. Não vou, não iriei, a uma mesa de bar discutir eleição a esta altura. Com toda sinceridade: meu tempo é só para a saúde. Deputado federal deve estar preocupado, nesta altura, é em trazer dinheiro para obras e serviços em Sergipe. Em orientar o Executivo a fazer cada vez mais e melhor”.

“Eu só quero discutir a política da saúde. Para quem está imbuído desse princípio, sou um secretário de braços abertos. Acolho a todos. Gostaria de convidar a esses ególatras que só pensam na política pela política a ir dar um plantão de 24 horas no Huse. A visão dessas pessoas é de direita”, disse o secretário.

NELSON ARAÚJO VIROU SECRETÁRIO
O velho e bom brigão ex-deputado Nelson Araújo tanto trombou com os Menezes Costa de Riachão do Dantas que acabou secretário Municipal da prefeita Gerana Costa. Ele ocupa a pasta de Assuntos Extraordinários e ganha até elogios da prefeita. “Creio que até o momento vem dando sua colaboração com esmero”, diz ela.

“FALTA TOMADA DE DECISÕES DO JURÍDICO”
“Por ser um riachãoense e conhecedor das causas de nosso município, Nelson Araújo cuida especialmente de verificar as áreas do patrimônio público e regularizar terrenos e imóveis, etc. Trabalho que considero essencial diante da falta documental de alguns, de alvarás inconsistentes, da desorganização encontrada na utilização dos espaços públicos”, reforça Gerana. Aos 75 anos, Nelson está se sentindo bem, mas ainda guarda traços do enfezado que mora nele. “Estou trabalhando demais, mas falta tomada de decisões do Jurídico. Muitas das nossas ações emperram neste Departamento”, diz ele.

CONHECIDO POR COMPRAR BRIGAS
Nelson Araújo teve um mandato de deputado estadual – de 1983 a 1987 – e pingou em três outras suplências. Ao todo, tudo lhe rendeu mais de 60 meses de Assembleia. Ele é conhecido por comprar brigas públicas na linha jurídica. Por ironia, foi responsável pela ação que cassou o mandato de Laelson Menezes, marido de Gerana, da gestão que terminaria em 2012. Aliás, na eleição daquele ele ano foi um dos candidatos que concorreram com o nome apoiado por Gerana e Laelson, Ruy Vieira Filho – ele acabou cassado em sua candidatura e Ruy perdendo para Ivan Macedo. Ano passado Laelson pediu o apoio dele, alegando nunca ter sido chamado de ladrão ou corrupto por Nelson em nenhuma ocasião.

RENATINHO PENSA EM VOLTAR AO COMEÇO
O ex-deputado estadual Renato Brandão, PT, está pensando em fazer o caminho de volta para a Assembleia Legislativa em 2018. “Projetos sempre existem, porque quem faz política por acreditar que é um instrumento de transformação social e, ainda mais diante de tantos problemas que a gente vive no Estado e no país, nunca pode fugir desses projetos. Com base nesta visão, estamos tentando construir algo visando 2018. Possivelmente, uma candidatura a deputado estadual”, diz. Renato se elegeu deputado em 1990, se reelegeu em1994 e em 1996 foi eleito prefeito de Propriá, com reeleição em 2000. Neste espaço de 27 anos, Renatinho foi secretário do Trabalho no Governo Déda e delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário no Governo Lula. Renatinho sabe da complexidade deste “começar de novo”. “É muito difícil, porque a vida leva a gente para outros caminhos e acaba distanciando das bases. Reconstruir qualquer projeto é algo trabalhoso e demorado”, diz ele.

FÁBIO APONTA “FERIDA ABERTA”
Para o deputado federal Fábio Mitidieri, PSD, a oposição “ainda não conseguiu se curar” da derrota na eleição de Aracaju. Para ele, esta é a explicação para as críticas feitas contra o governo de Edvaldo Nogueira, antes mesmo de completar 100 dias. “A oposição ainda está lamentando a derrota. Não conseguiu se curar. A cicatriz está aberta. Eles falam, falam, falam, mas quem faz é Edvaldo”, ironizou.

Fábio: Edvaldo vai bem

EDVALDO É “PREFEITO PRESENTE”
Neste sentido, Fábio rebate a tese da oposição de que o prefeito está ausente da cidade. “Estou muito feliz com a gestão de Edvaldo, porque ele está cumprindo tudo aquilo que se comprometeu. Em dois meses, pagou quatro folhas e se mostrou presente nas ruas. Hoje os aracajuanos dizem: “eu tenho um prefeito”. Edvaldo está trabalhando, vendo as problemáticas in loco. É óbvio que ninguém vai solucionar os problemas da cidade em três meses. Isto seria impossível. Mas a sensação que a sociedade tem hoje de que tem um prefeito atuante, que trabalha e que sabe o que está fazendo é muito gratificante”, afirmou.

GLÓRIA: CHICO QUER SERGINHO DEPUTADO
“O nosso agrupamento vai ter um candidato a deputado estadual. Um candidato ou uma candidata. Mas temos 99% de possibilidade de este nome ser o de Sérgio Oliveira”. Quem garante isso é o prefeito de Nossa Senhora da Glória, Chico do Correio, PT. Serginho foi prefeito de Glória por dois mandatos. E elegeu Luana Michelle, a irmã, também prefeita. Ambos são filhos do ex-prefeito Sebastião Lopes, já falecido. A decisão de Chico pela candidatura de Serginho pode comprometer o projeto de reeleição de Jairo Santana, o Jairo de Glória, PRB, do núcleo de Heleno Silva, que se elegeu com 22.560 votos em 2014. Serginho não tem partido ainda. Com 36.174 habitantes e 25.072 eleitores, Glória ocupa um lugar especial na geografia de Sergipe hoje. Mas será que a força dela e do seu entorno faz dois deputados estaduais?

Luciano: sob tensão das emendas

AS EMENDAS DA ALESE PIFARAM?
Está gerando um breve barraco entre os deputados estaduais e a Presidência da Alese no campo das emendas impositivas a que eles teriam direito a partir deste ano. Em 2016, na mesma Lei de Diretrizes Orçamentárias do Estado, foi aprovado o instituto “da emenda impositiva”. Segundo o presidente Luciano Bispo, PMDB, cada parlamentar teria direito a R$ 1,5 milhão para destinar para os municípios nas áreas de saúde, obras e segurança. Pela lógica de Bispo, os recursos viriam do orçamento da própria Alese. Para o deputado Zezinho Guimarães, do mesmo PMDB, as emendas não podem ser impositivas, porque para isso os recursos teriam de vir do orçamento do Estado, o que exigiria uma PEC – Proposta de Emenda à Constituição – que alterasse a constituição do Estado. “E esta PEC não foi feita”, diz Guimarães. O tema causa estresse na Casa. Mas a coluna levantou informações de que tratativas estão sendo feitas para convencer Luciano Bispo de que tudo terá de ser mais ou menos pelos caminhos apontados por Zezinho Guimarães. Aliás, o próprio Guimarães havia concebido errado em princípio. Na linha de Bispo.

“ENCONTREI RIACHÃO DO DANTAS NUM CAOS”
Gerana Costa é uma das dez mulheres eleitas prefeita em Sergipe no ano passado. Ela comanda Riachão dos Dantas. “Como a senhora encontrou o município”, questionou-lhe Aparte. “Eu diria que num caos, com irregularidades em todas as áreas”. Saiba mais.

Aparte – Afinal, como foi este primeiro trimestre?
Gerana Costa – Foi uma batalha, mas graças a Deus com êxito em algumas áreas, a exemplo da saúde. Hoje temos hospital entregue e restabelecido em sua estrutura de atendimento. O Hospital Dona Caçula atende em torno de 2000 pacientes mês. Foi entregue a UBS do Povoado Bomfim, há três anos inacabada. Estamos com todos os atendimentos médicos restabelecidos, fizemos a inclusão de médicos especialistas nas áreas de pediatria, cardiologia, ginecologia, psiquiatria e também criamos atendimento em fisioterapia diariamente.

Aparte – O que de fato foi restabelecido?
GC – Frota de transportes estruturada, 12 escolas recuperadas, sede da Prefeitura Municipal estabelecida, programas federais que encontravam-se muitos deles sem a alimentação devida, ou inconsistentes. Mas foram restabelecidos, as demais Secretarias em funcionamento, sede do município e povoados com outra aparência, limpeza pública atuante e começamos a parte de iluminação e recuperação de estradas já em algumas comunidades. Salários estão em dia e até o momento antecipados. Diria que com muita luta, Riachão do Dantas começa a sorrir de verdade.

Gerana, ao lado de Laelson: caos

Aparte – Como a senhora encontrou o município, administrativamente?
GC – Eu diria que num caos, com irregularidades em todas as áreas. Falta de documentos, atos de extrema seriedade que preferimos entregar formalmente ao TCE e ao MPE para que os mesmos apurem e julguem conforme a gravidade.

Aparte – Mas já conseguiu regularizar integralmente?
GC – Diria que diante dos fatos encontrados, estamos estabilizando o município dentro de nossas possibilidades. Andamos em passos largos e trabalhando incansavelmente.

ETC & TAL
@ Depois de tanta exposição na mídia, em decorrência do projeto da terceirização no mercado de trabalho, o deputado federal Laércio Oliveira decidiu imergir por 15 dias. Não dará entrevistas neste período.

@ Mesmo antes do desfecho de Rosman Pereira na FHS, os Reis – notadamente os irmãos Fábio, deputado federal, e Sérgio, ex – andavam dizendo aos quatro cantos que sempre defenderam o nome de Almeida Lima junto a JB  para uma alta Secretaria.

@ É como se dissessem: “Ô Almeida, nós lhe defendemos e você não defendeu Rosman”. Mas com a posse de hoje na Seplag tudo está zerado. Almeida confirma presença.

@ Atitude sensata e oportuna a de Mendonça Prado em interditar a entrada do Parque da Sementeira de veículos de funcionários da Emsurb.

@ Desde a sexta-feira passada, a turma vem até o estacionamento da Sílvio Teixeira em frente ao Parque, deixa seus carrinhos ali e caminha menos de 100 metros até acessar a sede da Empresa. O parque é para pedestres, ora!

@ Pena que os veículos dos membros da Guarda Municipal de Aracaju ainda entrem. A GMA não é da jurisdição de Mendonça Prado e ali ele não pode determinar.

@ O prefeito Chico do Correio diz que as chuvas que caíram em Glória esta semana já provocaram dois efeitos positivos: juntou água para gado beber e ajudou a melhorar a temperatura.

@ “Já tem gente tombando a terra para o plantio do milho. Se a invernada for de abril até agosto, teremos como recuperar as perdas passadas da agricultura”, diz o prefeito.

@ De Márcio Macedo, sobre a sucessão na Executiva do PT. “Eu e Alexandre Padilha retiramos as nossas candidaturas em favor da senadora Gleisi Hoffman e nos associamos ao presidente Lula no esforço de construir a unidade do partido e eleger a primeira mulher presidente do PT”.

@ O médico e empresário Wagner Oliveira, do Grupo Primavera, ecoou a preocupação do empresário Francisco Franco Barreto, da FFB, que, em nota ontem aqui, revelou apreensão com “a crise econômica que verga o Brasil ao meio”.

@ “Ousando, diria, complementando, verga por corrosão. Enquanto empresário, fico na positiva expectativa de que dias com menos névoa da incerteza estão chegando e corrosões serão cicatrizadas”, disse Wagner.

@ “Estas, com certeza, para os cautos servirão de ótica, enquanto aprendizado, para “como não fazer” e também para “como construir””, completou.