“Deixar de ser senadora pra ser vice? Só se eu tivesse com o juízo nos pés”

Por Jozailto Lima
11 fev 2017, 00h01

A senadora Maria do Carmo Alves, DEM, disse ontem, às 17h55min, de Brasília, por telefone a esta coluna Aparte, que não existe nenhum tipo de acordo político entre ela e o governador Jackson Barreto. Sobretudo na parte eleitoral futura.

Para a senadora Maria do Carmo, seu alinhamento de agora é apenas do ponto de vista parlamentar e administrativo, para não agravar ainda mais a situação de Sergipe, que vive uma briga histórica e fratricida entre as suas figuras ditas maiores da política.

“Eu não aderi a ele, politicamente, coisa nenhuma. Eu aderi foi a Sergipe: eu nunca vi, na história do Estado, três senadores contra um govenador. Como Valadares e Eduardo Amorim estão contra, não poderia ser mais uma. Ai eu disse a Jackson que iria ajudar nas coisas do interesse do Estado”, disse a senadora.

Por causa desse alinhamento, o “mercado negro dos palpites políticos” já está falando até de uma chapa ao Governo de Sergipe em 2018, com Belivaldo Chagas, PMDB, candidato a governador e dona Maria do Carmo, a vice-governadora.

Dona Maria dá um pulo diante dessas conjecturas. “Deixar de ser senadora de um mandato que vai até 2022 para disputar uma eleição de vice em 2018? Só se eu não tivesse com o juízo na cabeça e tivesse na sola dos pés”, diz ela. “Que nada!”, exclama.

Segundo a senadora, essa pretensão pode até estar se passando na cabeça da turma do “jaquismo”. “Mas nunca tratei disso”, diz. Maria do Carmo disse ter informes de que Belivaldo Chagas nem vai lá tão bem assim na preferência popular. Segundo ela, soube de uma pesquisa na qual ele pontua apenas com 5%. E Valadares teria 30%.

Bem humorada e rindo, dona Maria disse que “essa briga”, sobretudo a de Antônio Carlos Valadares com Jackson Barreto, “é péssima para o Estado”. Ela considerou a “turra” entre JB e Valadares como “coisa de menino”.

A senadora também criticou a emenda impositiva do orçamento da União, no valor de R$ 100 milhões, destinada por Valadares para a Codevasf. “Não tem nem projetos para Codevasf em Sergipe. E eu nem sei ao que serve esta sede suntuosa em Aracaju”, disse Maria.

NOVO MARCO PARA ICMS DA ENERGIA
O deputado André Moura, líder do Governo Temer na Câmara Federal, considerou como uma “boa notícia para Sergipe a nova regra para distribuição da alíquota do ICMS das localidades produtoras de energia elétrica, ou seja, que têm sede de usinas”. “São 60 municípios em todo o Brasil, e aqui em Sergipe, especificamente, temos Canindé de São Francisco, que enfrenta grandes dificuldades em razão da queda na arrecadação do ICMS”, disse ele.

NOVO MARCO PARA ICMS DA ENERGIA II
“Ontem (quinta) mesmo conversei com o presidente Michel Temer sobre a questão e ficou combinado que na semana que vem os prefeitos desses municípios serão convocados a Brasília para o ato de assinatura da nova lei, que lhes possibilitará, já no próximo mês, receber uma cota justa do ICMS, o que vai permitir a localidades como Canindé voltar a ter uma arrecadação compatível com a sua estrutura administrativa”, disse André.

ADELSON: “CONTINUO NO MESMO LUGAR”
“Continuo no mesmo lugar. Nada mudou”. É assim que o deputado federal Adelson Barreto, PR, reage à boataria de que ele estaria fazendo parte do grupo de Jackson Barreto e deixando o de Eduardo Amorim. Segundo o deputado, as pessoas escrevem sobre sua suposta ida ao bloco de JB sem sequer lhe consultar, e dão por certo. Adelson disse a esta coluna que nunca teve conversa neste sentido com Jackson Barreto.

“NÃO VIM AO MUNDO PARA GUERREAR”
O deputado afirma que foi ao Palácio do Governo levando o colega Jovair Arantes, que lhe pediu uma audiência com o governador, em sua passagem por Sergipe durante a campanha pela Presidência da Câmara. Para Adelson, não haveria qualquer dificuldade de compor com nenhum dos nomes da política de Sergipe – Jackson, Albano, João Alves, Eduardo, Valadares -, porque, segundo ele, não alimenta ódio em relação a ninguém. “Eu vim ao mundo para me relacionar bem com as pessoas e não guerrear com todas elas”, diz ele.

CORDIALIDADE ESCONSA
Edvaldo Nogueira, PC do B, não revela de público, mas tem deixado vazar a amigos próximos que guarda um certo desencanto com uma falta de atitude do deputado Valadares Filho, PSB: a de não ter recebido dele até hoje, quase quatro meses depois, qualquer cumprimento pelo resultado da eleição.

UM HÁBITO JÁ INCORPORADO
Não é que haja uma obrigatoriedade do cumprimento do perdedor ao ganhador nos pleitos eleitorais, mas esse gesto já se incorporou aos rituais da cordialidade nos pós-eleições do Brasil e do mundo inteiro. É o fair play da política.

EDVALDO IRIA CUMPRIMENTÁ-LO
Segundo uma fonte ligada a Edvaldo Nogueira, no começo da noite do dia 30 de outubro o comunista tinha, como gesto de reserva, a intenção de ligar para Valadares Filho e parabenizá-lo, caso fosse ele o vencedor. Daí o choque na falta de reciprocidade.

DESVIO DE VISTAS
“Depois das eleições, Edvaldo já se deparou casualmente com Valadares Filho duas vezes em aeroportos e o deputado baixa as vistas num fingir que não o viu”, diz a esta coluna uma fonte próxima de Edvaldo. É, tem disso. Vá ver é timidez!

MACHADO QUER FAVOR GRANDE
A dificuldade em o PSDB manter José Carlos Machado filiado é que ele está “exigindo” um compromisso maior da Executiva Estadual com sua eleição de deputado federal no ano que vem. E o PSDB acha que não tem essa moeda em caixa para atendê-lo.

DESCONTENTAMENTO
Ana Libório, arquiteta e candidata a vereadora de Aracaju pelo PSB ano passado, saiu do pleito triste com o partido e até se questiona se vale a pena permanecer filiada. “Acho que o PSB dançou com as escolhas que fez nessa eleição. O quadro de insatisfação entre os que acreditaram no projeto foi grande com o rumo da campanha”, diz ela.

DESCONTENTAMENTO II
Para Ana Libório, o senador Valadares insiste em querer ver os estragos do resultado do ano passado somente “do lado de fora, mas esquece de analisar a derrota por dentro”. Ana obteve 872 votos.

TV ATALAIA CRESCE BEM
A TV Atalaia, afiliada da TV Record em Sergipe e empresa do Sistema Atalaia de Comunicação, terminou o ano passado com um crescimento de 8,8% em relação ao exercício operacional do ano de 2015.

“DESEMPENHO EXCELENTE”
Augusto Franco Neto, superintendente do grupo presidido pelo pai, Walter Franco, vê este desempenho como excelente. “Isso se deu num ano em que nós não pudemos faturar, sob hipótese alguma, nada de Governo”, diz Franco Neto.

BOA NUM ANO RUIM
Segundo Bruno Lima, gerente Comercial do grupo, e Carlos Eduardo Marques, Carlão, gerente de Novos Negócios e de Projetos, a performance da TV Atalaia tem mais significação diante de um ano onde a quase totalidade das afiliadas de TV fechou no vermelho, independentemente de a qual rede pertençam. “Teve afiliada que fechou com perda de até 40% em relação ao ano anterior”, diz Carlão.

JÁ VAI BEM EM 2017
Num cômputo geral, as empresas do Sistema Atalaia de Comunicação – a TV, três emissoras de rádios FM e do Portal A8 -, terminaram o ano com um crescimento de 9,99% em relação ao exercício operacional do ano de 2015. “Em janeiro deste ano, o faturamento da TV cresceu 4,99% em relação a janeiro de 2016”, diz Franco Neto.

LÁ SE FOI ABRAHÃO
Morreu ontem, aos 69 anos, uma das grandes figuras da vida social de Sergipe: Abrahão Crispim de Souza. Um figura simpática e ativa que, em terras sergipanas, só mesmo Itabaiana, com sua iconoclastia, seria capaz de produzi-lo. Abrahão foi odontólogo, vereador de Aracaju, professor, escritor, bancário, sindicalista – presidiu o Sindicato dos Bancários – e, sobretudo, muito humano. Camarada. Bom de briga e de diálogo.

LÁ SE FOI ABRAHÃO II
“Abrahão foi um cidadão que exerceu a plenitude de sua cidadania, com um espírito que fazia questão de se dizer anarquista e crítico por natureza. Foi nosso querido presidente do Sindicato dos Bancários, responsável por fazer a transição para a fase democrática e contemporânea do movimento sindical”, diz Ivânia Pereira, atual presidente do Sindicato.

FALTA ÁGUA NO SUL
Nesse tempo em que se fala tanto em privatização da Deso, Itabaianinha, no Sul do Estado, sofre na pele o que é um abastecimento ruim de água: está há 15 dias sem receber uma gota. “Os moradores têm que recorrer à compra de garrafões de água mineral. E muitos temem a chegada de faturas da Deso, cobrando pelo serviço que não está sendo realizado”, escreve o repórter Rogério Monteiro.

FALTA ÁGUA NO SUL II
“A gente é pobre, mas paga as contas em dia. É uma absurdo eu ter que estar gastando R$ 5 para comprar água mineral”, diz José Antônio, morador do bairro Albano Franco. Segundo Rogério, a Deso alega que a “falta de água em Itabaianinha, Umbaúba e Tomar do Geru é devido ao baixo volume de água nos rios que abastecem a região e de alguns equipamentos que apresentaram defeito nesse período”. Bonito!

ETC&TAL
@ Gente, a 13 de Julho e seus canais, incluindo os do bairro São José, nunca federam tanto! Ninguém merece.

@ Edvaldo Nogueira, que tal desenvolver um desodorante especialmente para as axilas dessa região? Dê um jeito, homem!

@ Será que Demétrio Varjão, PSOL, teria combinado com os eleitores para ter redondos 1.000 votos a vereador de Aracaju ano passado?

@ Precisão igual só mesmo a obtida por Ana Lúcia Menezes, PT, em 2010: se elegeu deputada estadual com exatos 20.000 votos.

@ O senador Amorim considera que vários “fatos bons” marcaram a sua semana que está se encerrando.

@ “Um deles reflete o resultado de uma luta antiga nossa, mas não só nossa, que é a retomada da duplicação da BR-101. O outro foi o bom encontro com o governador Alckmin”, diz.

@ Política urbana: o Instituto de Arquitetos do Brasil – IAB/SE – dará posse à nova Diretoria no próximo dia 16, às 19h, no Auditório do Hospital São Lucas.

@ O jovem arquiteto Alysson Borges, da Capa Empreendimentos, fará parte da Diretoria. Em 2018, o IAB fará 50 anos.

@ Maria do Carmo defende o marido, João Alves, da boataria de que ele estaria “tresvaliando”. Ele está no DF com ela, para não ficar sozinho em Aracaju.

@ “Essa história de João gagá é folclore da política”, diz a Maria esposa. “Ele está é bem”, afirma.

@ Dona Maria diz que o senador Cássio Cunha Lima, da Paraíba, lhe nega que tenha contado aquela história do Globo, segundo a qual João lhe encontra e pede para marcar um encontro com o seu pai, Ronaldo Cunha Lima.

@ Acontece que Cunha Lima, ex-governador paraibano, é morto há mais de cinco anos. “O que me disseram é que aquilo foi inventado pelo senador Heráclito Fortes”, diz dona Maria. Fortes é do Piauí.

@ Notinha do blog O Antagonista, ontem, com o título “Lula festeja”: “O delegado Márcio Anselmo, que conduzia os inquéritos sobre Lula, está deixando a Lava Jato, disse a Veja. Isso é muito pior do que as manobras do PMDB”. Ah, como as coisas são personalizadas nesse brazilzinho!

@ A entrevista domingueira do JLPolítica vai ser com Sérgio Passos, presidente do Sindissan. Ele apresenta uma infinidades de razões para que o Deso não seja privatizado.

@ Do silencioso deputado Dr Vaderbal: “Estou escalado”. Tradução: é ele anunciando que em 2018 disputará novo mandato na Alese.