Laércio: “é feio Valadares dizer que sou um coordenador do Paraguai”

Por Jozailto Lima
10 fev 2017, 00h01

O deputado federal Laércio Oliveira, SD, dá o processo de escolha da coordenação da bancada federal de Sergipe no Congresso por encerrado. Ele se declarou coordenador. “Nunca recebi tanto cumprimento na vida”, disse ele, em tom de brincadeira.

Laércio lamenta a reação do senador Antônio Carlos Valadares, PSB, em aceitar o resultado da votação que lhe botou lá com seis dos 11 votos da bancada de Sergipe. “Desde que me entendo por gente, nos processos de votação vence quem tem maioria”, diz Laércio.

Claro que Valadares faz objeções a esse princípio. O senador está alegando que o Regimento Interno da Comissão Mista do Orçamento exige que só se muda a Coordenação com três quartos dos votos da Câmara e dois terços dos do Senado.

“Isso não é verdade. Isso se aplica apenas à aprovação de emendas do orçamento, e está bem claro na resolução 01/2006-CN. Acho muito feio Valadares dizer que sou um coordenador do Paraguai. Ele está procurando se segurar num fio para se manter. Não precisa disso”, disse Laércio.

Este sentimento de que a fatura já foi liquidada e de que o choro de Vavazão não tem teto e nem abrigo legais já está sacramentado entre os governistas. “Quem escolhe o coordenador é a maioria da bancada. E a maioria escolheu Laércio. O resto é choro de oposição”, diz o deputado Fábio Mitidieri, PSD.

“Fica até feio para Valadares querer ser coordenador sem ter a maioria. Aonde já se viu isso? É como se Valadares Filho quisesse agora ser o prefeito de Aracaju sem ter vencido as eleições do ano passado”, completa Fábio.

Ontem mesmo Laércio já estava oficiando à Secretaria-Geral da Presidência da República a mudança da Coordenação. Em eventos na Presidência, falam os coordenadores de bancada. É uma função que tem lá seu peso.

MAIS FÔLEGO AO PC DO B
“Pretendo ampliar cada vez mais a interlocução do nosso partido com os diversos segmentos da sociedade sergipana, indo além dos limites do que formalmente chamamos de política partidária ou eleitoral. Para mim, é uma honra e uma responsabilidade grandiosas liderar o partido em que sou militante desde o 1988. Os desafios serão muitos”. Esse é o espírito que move o novo presidente do PC do B de Sergipe, vereador Antônio Bittencourt. Ele sucede Halisson Souza.

APONTAR NOVAS ALTERNATIVAS
“O PCdoB deve cada vez mais estabelecer diálogos com as universidades, artistas e intelectuais do campo democrático com vistas a discutirmos o cenário político local e nacional e apontar alternativas nesse campo. Entendo que a política e os partidos passam por um momento de profunda reavaliação crítica, mas queremos ser protagonistas nesse processo e entendemos que a configuração local nos possibilitará esse protagonismo”, completa Bittencourt.

EM MAIS DE 50 MUNICÍPIOS
Segundo Bittencourt, o PC do B está organizados em mais de 50 municípios sergipanos. “Temos aproximadamente três mil filiados, dirigimos as duas maiores cidades de Sergipe – Aracaju e Socorro – e queremos ir além disso. A indicação do meu nome para a Presidência do partido segue nessa linha. Espero poder dar continuidade ao grande trabalho realizado pelo camarada Halisson Souza”, diz Antônio Bittencourt.

PRIMAVERA E A TECNOLOGIA
Com investimentos de R$ 18 milhões, entre instalações e equipamentos, já estão abertos no Hospital Primavera os novos Centro de Imagem e a Nova Ressonância Magnética. Segundo o médico e empresário Wagner Oliveira, são o que há de mais moderno no setor. “Estes investimentos foram feitos ao longo do ano passado e não fizemos uma inauguração formal”, avisa ele.

DESO COM STATUS DE SECRETARIA
O primeiro suplente de senador e empresário Ricardo Franco é contra a privatização da Deso. “Além de opinar que se mantenha como estatal, eu defendo que ela tivesse status de uma Secretaria de Estado”, diz Ricardo.

DESO X BANESE
“Nós temos um excelente exemplo de empresa pública em Sergipe, que é o Banese. Dá lucro. Mas a Deso tem uma função social bem maior. Bem tratada, ela poderia gerar um lucro ao Governo duas ou mais vezes superior ao dado pelo Banese. É preciso rever algumas de suas práticas, estimular mais os servidores de carreira, aferir melhor sua tarifa social garanti-la para quem realmente merece”, completa Ricardo.

SECRETÁRIO DO PLANEJAMENTO
O prefeito Edvaldo Nogueira deve escolher, no mais tardar até terça-feira próxima, um dos três secretários que ainda faltam para compor o seu Governo. Vai ser o do Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão – Seplog. Têm três nomes em mira. Mas Edvaldo prefere manter o segredo.

SECRETARIAS VAZIAS AINDA
As demais pendentes são a Secretaria Municipal da Indústria, Comércio e Turismo – Semcit – e a Secretaria Municipal da Defesa Social. Tem algumas instituições de peso ainda a ser ocupadas, como o Procon, a Defesa Civil de Aracaju e o Departamento de Turismo.

EM BUSCA DO NINHO
O senador Eduardo Amorim foi ontem a São Paulo ter um encontro com seu futuro ninho, o tucanato. Ele foi recebido pelo ‘governador paulista, Geraldo Alckmin. O objetivo foi comunicar a Alckmin da sua chegada e combinar com ele uma vinda a Aracaju, lá pro mês de março, para a real festa de filiação.

CONVERSA AGRADÁVEL
“Foi uma conversa muito agradável e sem nenhuma formalidade. Alckmin me agradeceu por eu ter optado pelo PSDB e falou muito sobre o Brasil. Não se colocou como candidato a presidente do país, mas disse que isso é possível” diz o senador. Segundo Eduardo Amorim, Alckmin o recebeu um livro sobre municípios em mãos e teve curiosidade de saber de Laranjeiras, Socorro, São Cristóvão, Lagarto e Itabaiana.

GADELHA, DO INSS, EM ARACAJU
Há previsão de que nesta sexta, 10, o presidente do Instituto Nacional de Seguridade Social – INSS -, Leonardo Gadelha, esteja em Aracaju. Ele deve participar do Encontro Nacional de Gerentes Regionais do INSS. Gadelha deve apresentar um retrato da Previdência Social e conceder uma coletiva 7h no auditório do Real Classic. No Radisson, ele participará de um Fórum Empresarial em um almoço-palestra com empresários sergipanos.

PMA QUERER AUDITOR NO CIRURGIA
O prefeito Edvaldo Nogueira disse ontem com exclusividade a esta coluna que vai quer um auditor da Prefeitura Municipal de Aracaju dentro do Hospital de Cirurgia para acompanhar onde e como os recursos do município estão sendo aplicados. “Aliás, a Prefeitura vai voltar a ter o auditor. Na minha gestão anterior nós o tínhamos e foi um erro terem tirado. Precisamos auditar os recursos que forem para lá. O dinheiro é do povo”, diz Nogueira.

ETC & TAL
@ O prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, acompanhou o senador Eduardo Amorim na vista que fez a Geraldo Alckmin ontem.

@ Valmir aproveitou e levou junto o filho Thalisson Costa, que ele quer ver disputando mandato de deputado federal em 2018.

@ E como bom ceboleiro, Valmir convidou Alckmin para vir ver a Festa do Caminhoneiro. O governador paulista naturalmente disse que sim.

@ No Governo de Edvaldo, causam estranhamento as ausências de dois nomes que sempre o acompanharam em suas duas gestões anteriores: Bosco Rollemberg e Tânia Soares. Mas ele vai conversar com ambos. Com Bosco, é pra já.

@ Luciano Bispo não tem dúvidas de que o candidato do seu PMDB ao Governo deve ser mesmo Belivado Chagas. E vê chances.

@ Mas faz um alerta: é preciso saber até onde Ricardo Franco pode chegar no seu projeto de ser uma alternativa. Ele pode desequilibrar a balança.

@ Carlos Cauê vê como “insanidade” o grau de briga entre JB, Valadares e Eduardo Amorim. Como ele tem lado, atribui maior a parcela de estultice à oposição.

@ Cauê acha, por exemplo, que Valadares erra feio em mirar até a sua pessoa de marqueteiro para atirar-lhe algumas pedras verbais.

@ “Ele é um senador da República. Deveria se impor. E eu sou o quê? Um mero profissional, apenas. É como se ele brigasse com um médico”, diz o marqueteiro.

@ De Eduardo Amorim, Cauê diz que é “um político sem eixo propositivo” para Sergipe. “Para esse, só basta o Estado estar ruim para ele subir”.

@ Josué Modesto dos Passos Subrinho, da Sefaz, e Sérgio Passos, o presidente do Sindissan (o sindicato do pessoal da Deso) são irmãos. Mas atenção: não caia na asneira de chamar os dois a um mesmo rega-bofe.

@ Se a Deso for mesmo à privatização, Josué vai estar defendendo a venda e Sérgio, combatendo.

@ Eduardo Amorim garante: se chegar ao Governo em 2019, jamais privatizará a Deso. “Pelo contrário, eu farei funcionar”.

@ “A Deso é um excelente negócio. Não há no mundo nenhuma mercadoria hoje melhor do que água. Nem petróleo. A gente vive sem combustível, mas não sem água”.

@ Marquinhos Fontes, assessor de Valadares, se diverte com as diatribes do chefe, e a coragem que ele tem de enfrentar titãs.

@ Marquinhos ajuda a espalhar todas as movimentações do senador nas mídias sociais como quem semeia farinha em hélice de ventilador. E ri da tempestade. JB não tem um coringa assim. Oh, jokerman!

@ José Carlos Machado conversa muito com Albano Franco para decidir que rumos quer tomar na futura filiação partidária. Tem nove partidos lhe estendendo o tapete.

@ No próximo dia 17, o Instituto Federal de Sergipe, campus São Cristóvão, implanta o projeto piloto de produção de hortaliças folhosas no Assentamento Monte Santo, em Gararu. Há boa expectativa para a produção de alimentos e a geração de renda.

@ O jornalista Euler Ferreira não comanda mais a Diretoria de Comunicação do Poder Judiciário de Sergipe.

@ Agora, o novo diretor da Dircom, sob a gestão do desembargador Cezário Siqueira Neto, é Fábio Soares.

@ O jornalista Fábio é funcionário de carreira do Judiciário. É tido pelo pessoal da casa como “ético, tranquilo e boa gente”.

@ Se for da estirpe do antecessor, está de bom tamanho. Euler saiu tranquilo e já havia até arrumado as gavetas antes de lhe exonerarem. Estava preparado.

@ Halisson Souza, ex-presidente estadual do PC do B, é secretário de Planejamento de Nossa Senhora do Socorro, a convite do prefeito Padre Inaldo.

@ Edvaldo Nogueira diz que não vai, e nem pode, intervir na eleição do futuro presidente do Cirurgia, a ser realizada no dia 1º de março para suceder o médico Gilberto dos Santos.

@ Mas admite que se o médico Darci Tavares Pinto for candidato e lhe perguntarem qual sua preferência não esconderá de ninguém.

@ “Darci é o melhor nome. É um grande gestor púbico de saúde, já administrou o Cirurgia e tem interlocução com todos”, diz o prefeito.