BEM-VINDO

Ministério Público monta Laboratório de Investigação de Lavagem de Dinheiro

Por Jozailto Lima
05 maio 2017, 21h18

O Ministério Público do Estado de Sergipe já tem devidamente montado, com uma série de software específico da área e pronto para funcionar, um Laboratório de Investigação de Lavagem de Dinheiro.

Isso mesmo: uma instituição que vai se esmerar em levantar e provar indícios de quando os cofres públicos, do Estado e dos municípios, de Sergipe, estiverem sendo devassados por larápios que deveriam zelar por eles.

O promotor de Justiça Rony Almeida, que é procurador-geral do MPE, diz que esse Laboratório é de fundamental importância para garantir ao Estado sanidade neste setor, e levar um melhor desempenho ao combate ao roubo da coisa pública.

“A investigação do crime de lavagem de dinheiro é uma atividade complicadíssima. É preciso ter muita especialização. Necessitamos de muitos softwares”, diz Rony. Ele está no segundo mandato de procurador-geral de Justiça do MPE, o que equivale a uma espécie de presidente desta instituição

“Nós montamos o laboratório, já está funcionando e estamos cada vez mais aperfeiçoando. E adquirindo mais softwares para facilitar ainda mais as investigações que dependam deste laboratório e da sua expertise”, diz Rony.

O Supremo Tribunal Federal já reconheceu a importância da investigação própria nesta seara. Para Rony, isso qualifica ainda mais a determinação de montar o laboratório. “É importantíssimo que o Ministério Público do Estado de Sergipe tenha um Laboratório de Investigação de Lavagem de Dinheiro”, diz.

“Com ele, o MPE de Sergipe terá condições de se articular com os demais órgãos de investigação. O MPE vai trabalhar juntamente com a polícia. Mas terá também o seu laboratório. Isso vai nos agilizar as investigações de combate à corrupção”, completa Rony.

Mas o Laboratório de Investigação de Lavagem de Dinheiro não é uma ocorrência isolada no MP/SE. O Ministério Público já tem estruturados o Gaeco – Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – e o GCIA – Grupo de Combate à Improbidade Administrativa.

O Gaeco já tem maturação funcional. O GCIA, está se pondo de pé. Ambos estão na jurisdição da Promotoria de Justiça do Patrimônio Público da Capital, onde atuam os promotores Jarbas Adelino Santos Júnior, Bruno Melo Moura e Luciana Duarte Sobra – Jarbas é o comandante-em-chefe, mas não tem hierarquia sobre os demais

“Nós estamos trabalhando para que possamos fazer nossas próprias interceptações telefônicas. Claro, com autorização da justiça”, diz Jarbas. “O Gaeco é um grupo que apoia todos os promotores em investigações. O promotor necessitou e solicitou, o Gaeco investiga”, diz Rony.

“Cada promotor de uma determinada área investiga os fatos e os crimes da sua esfera, mas quando vê que tem crime organizado, encaminha um pedido ao procurador-geral e isso vai para o Gaeco automaticamente, que avalia o caso. Na verdade, o Gaeco é um núcleo de promotores para reforçar a apuração de qualquer situação que envolva o crime organizado”, garante Rony.

Para Rony Almeida, Gaeco, GCIA e o Laboratório de Investigação de Lavagem de Dinheiro ampliam as margens da civilização sergipana. “Com estas três instituições, o MPE fica em ponto perfeito de atuação. Nosso interesse é o de investigar. O que queremos é nos somar à polícia nas investigações. A polícia tem muita coisa para fazer e nós também. E quanto mais órgão investigando, mais democracia e mais celeridade”, entende Rony.

“O MPE de Sergipe não tem interesse obscuro em direção a nada e nem a ninguém. Defendemos mais respeito ao dinheiro público, mais respeito às pessoas. Ou seja, mais respeito à sociedade. Não queremos excluir ninguém. O MP é inclusivo e a investigação é somatória. Esses órgãos todos são uma demonstração de que o MPE não faz corpo mole, não é uma única pessoa. É uma instituição e está a serviço de todos os sergipanos”, diz o procurador-geral.

O Ministério Público do Estado de Sergipe tem hoje um corpo de 143 promotores e procuradores de Justiça (estes são 14) e cerca 600 servidores – entre 80% a 90% concursados. Ele tem feito esforços para trilhar uma linha de práticas mais “preventivas que repressivas”. Mas não nega quando o contrário é exigido.

MAGNO, OPÇÃO DE TOBIAS BARRETO
O vereador Magno Araújo, PMDB, de Tobias Barreto, trabalha para ser o candidato natural do partido à eleição de deputado estadual no próximo ano. Parlamentar atuante e coerente, Magno se firmou na política fazendo uma oposição séria ao ex-prefeito Dílson de Agripino. Mas, ainda hoje, líder do Governo de Diógenes na Câmara do município, mostra-se fiel aos seus princípios e valores, o que, sem dúvida, faz de Magno um bom nome para qualquer disputa.

Magno Araújo: o deputado que Tobias sonha ter?

SÃO FRANCISCO EM PÉ DE GUERRA
Embora seja uma cidade bem pequena, de pouca representação econômica e populacional, inclusive, São Francisco está entre as mais polêmicas do Estado quando o tema é a política: o município já teve pleitos anulados judicialmente e, desta vez, a polêmica está na eleição da Mesa Diretora da Câmara. Após a eleição, realizada em 1° de janeiro, onde foi eleito presidente o vereador Márcio José, a chapa derrotada foi à Justiça questionar a legalidade da eleição. Através de liminar, em meados de março, a eleição foi suspensa.

OPOSIÇÃO MARCANDO FORTE
Com a suspensão, a Justiça determinou, também, a realização de novas eleições. Interinamente, o legislativo municipal, por determinação judicial, ficou sendo comandado pelo vereador mais votado nas eleições 2016, Weverton Nascimento. A nova eleição da Mesa Diretora ocorreu no início deste mês de abril e, surpreendentemente, a oposição conseguiu eleger presidente o vereador Gilvanio Santana Silva, o que mostra que a oposição se manteve articulada e continua liderando não só a maioria da bancada, mas também a Presidência do Legislativo.

ACUSAÇÃO DE COMPRA DE VOTOS
Mas a polêmica não parou por na disputa legislativa: há em andamento, na 25° zona eleitoral, uma ação para apurar possível compra de votos nas eleições 2016 em São Francisco. Como provas, há uma gravação que, supostamente, monstra o vice-prefeito eleito Manoel Messias e a prefeita Altair Nascimento oferecendo o forro da casa a uma eleitora. Num outro áudio, a dupla prometendo um emprego de merendeira na Prefeitura se fosse eleita. O áudio já se encontra nos autos e na Polícia Federal e pode desencadear, tal qual na Câmara, uma nova eleição. A audiência está marcada para o dia 16 do próximo mês.

MULHERES NO COMANDO E PODER? 
Se a representação feminina na Alese já é considerada pífia, apenas com as deputadas Maria Mendonça, Sílvia Fontes, Goretti Reis e Ana Lúcia, imagine na Câmara Municipal de Aracaju, onde as únicas representantes do gênero são Kitty Lima e Emília Corrêa! O bom é que as duas têm se mostrado bastante atuantes. Emília às vezes assume um tom de oposicionista dura.

Emília Corrêa: fazendo par pra Kitty, minoria!

VEREADOR RENUNCIA AO MANDATO
Givaldo Oliveira Fagundes, o Zebrinha, vereador do PMN de Cristinápolis, saltou fora da janela do mandato ontem. Renunciou. Ele conquistou o mandato ano passado com 337 votos. O curioso é que Zebrinha não deu nenhuma justificativa oficial para o ato de renunciar. Numa “carta de renúncia” mandada à Câmara, ele se limita a dizer que “as razões que me levaram a esta decisão de ordem pessoal”. Quais as razões?

UÍTA TROCA PSB POR PMDB
Ex-vice-prefeita e ex-prefeita de Ribeirópolis, em dois mandatos consecutivos em cada cargo, Evanira Nascimento Barreto, conhecida como Uíta Barreto, deixa os socialistas do PSB e embarca no PMDB do governador Jackson Barreto. A filiação foi formalizada ontem, 6 de maio, aproveitando a visita de JB à cidade para entrega de obras na área de educação. Empresária do segmento supermercadista, Uíta tentou chegar ao terceiro mandato nas eleições de outubro do ano passado, mas perdeu para o ex-deputado Antônio Passos, seu padrinho de início de carreira. Uíta foi vice-prefeita de Regina Passos, esposa do atual prefeito, de 2001 a 2004 e 2005 a 2008.

Uìta: nada contra o PSB, mas filiada ao PMDB

MAS SAI DE BEM COM O PSB
Uíta Barreto afirmou que a mudança de sigla não foi motivada por desavenças com o deputado federal Valadares Filho, nem com o senador Antônio Carlos Valadares, líderes do PSB. “Não conversei com o senador, nem com Valadares Filho. São meus amigos, pessoas pelas quais tenho muita admiração. Também não tive problemas no PSB. Recebi o convite do governador Jackson Barreto e resolvi aceitar”, disse ela.

Jackson Barreto: aniversário hoje, cumprimento na segunda

JACKSON BARRETO COMPLETA 73 ANOS
O govenador Jackson Barreto completa hoje, 6 de maio, 73 anos. Com quase 50 de vida pública, já varreu todos os cargos eletivos. Por Sergipe, só falta ser senador. Político de muitos enfrentamentos, inclusive à ditadura militar, JB já se deparou com duras pedreiras. Mas venceu a tudo e, além de estar no confortável posto de governador, ele hoje recebe elogios que valem a pena. Como este do ex-ministro Carlos Ayres Britto, em entrevista ao JLPolítica do último domingo, usando a figura dele para dizer que seu histórico pessoal até que atenua a falta de grandes renovações na política de Sergipe. Leia: “Não baixo o olhar positivo, também, para a figura do atual governador Jackson Barreto, um homem com seus quase 50 anos de vida pública, de bons enfrentamentos democráticos, e que, pelo que se sabe, nega toda esta tradição patrimonialista de que tanto falamos aqui. Eu diria, ainda, que, do fundo desta falta de renovação há uma espécie de compensação de ver que numa hora de tanta confusão como isso que se chama Lava Jato os nomes de Sergipe passem incólumes”.

ETC @ TAL
@ Impressionante como João Alves Filho se transformou numa espécie de Midas ao contrário: tudo que ele toca vira m$&”@! Inclusive quando está fora do poder.

@ No campo da Alese, um deputado que tem conseguido respeito entre a classe política é Moritos Matos. Ele acaba de completar quatro meses na Alese – assumiu em janeiro deste ano, e tem se mostrado atuante.

@ Já na Câmara de Aracaju, quem tem se destacado é a oposição. Os parlamentares do bloco têm mostrado que qualidade, mesmo na política, pode ser melhor que quantidade. Edvaldo que se cuide!

@ Por falar em Edvaldo, esta coluna já falou, mas não custa reiterar: os aracajuanos não esquecerão as promessas não cumpridas. Ficou feio!