CANONIZAÇÃO DE LULA

“O golpe não fecha e Lula está preparado pra voltar”

Por Jozailto Lima
02 maio 2017, 22h19

Nada disso que a Operação Lava Jato está apontando em direção de Lula e do PT, nos escândalos envolvendo a Odebrecht, tem lógica, e o petista está preparado para voltar ao comando do Brasil.

Este raciocínio é do sergipano Márcio Macedo, tesoureiro nacional do PT, e um dos nomes mais ligados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Márcio passou o último final de semana em Aracaju. Ele fez parte dos eventos da greve geral do dia 28, do dia 1° de maio e defendeu para a coluna Aparte uma quase canonização de Lula.

“O Lula está sereno e com vontade de voltar a ser presidente. Vai enfrentar tudo isso aí. Me disse que está tranquilo por não ter provas contra ele. Eles vão tentar fabricar, se sabe disso. Mas não conseguirão”, diz Márcio.

Márcio Macedo procura tirar quaisquer evidências de coisas mal feitas na relação entre Lula, a Odebrecht e um pool de empreiteiras. “O que Lula fez de fortalecimento da engenharia nacional é o que qualquer governante com responsabilidade teria que fazer”, diz.

“Bill Clinton viaja hoje pelo mundo inteiro em aviões pagos pelo Governo dos Estados Unidos, porque ele tem direito, divulgando as empresas norte-americanas, abrindo mercado para as empresas deles no mundo. E quer dizer que o Lula dando palestras e viajando se caracteriza crime?”, compara Márcio.

Márcio defende a tese de que os supostos algozes de Lula “estão encalacrados porque o ciclo do golpe não fecha” e eles não conseguem avançar. “Primeiro, não pegam Lula. Eles não sabem o que fazer com Lula”, diz.

“O Lula tem mais horas apanhando na grande mídia do que qualquer outro cidadão na história. Segundo: o que fazer com o PT, com os aliados e com a franja importante que são os movimentos sociais que têm relacionamento com o PT?”, insiste.

“O que fazer com um PT que fez recentemente um processo de eleição interna onde 62 mil pessoas se predispuseram a ser dirigentes municipais? Temos uma máquina trabalhando o país inteiro, mais os movimentos sociais, que dialogam e que acompanham o PT. O que fazer com tudo disso?”, provoca Márcio.

“O líder que eles botaram para comandar o golpe, que é o presidente Michel Temer, é uma tragédia. A economia em bancarrota, o desemprego destruindo o patrimônio nacional. O desespero deles é porque o golpe não fecha. Eu disse a Lula na quarta: “presidente, o golpe está inconcluso”, diz, sem ao menos emitir sinais de que tudo isso começa com o PT.

Para Márcio, a redenção do Brasil virá de “são Lula”. “Ele tem consciência de que fez bem e de que poderá fazer de novo. Tem se reunido com os economistas. Ele acredita na economia. Vai investir no mercado interno e sabe que com ele o Brasil vai voltar a ter um ciclo virtuoso. Está convencido disso. Está a fim de ser candidato, está organizando as coisas”.

O dirigente petista nem teme a possibilidade de um Lula eventualmente eleito presidente da República possa naufragar perante o Congresso Nacional, como sucumbiram Fernando Collor de Melo e Dilma Rousseff.

“O Congresso Nacional tem este comportamento quando o Governo é fraco. Quando o Governo se deteriora politicamente. Quando o Governo se mantém forte politicamente, a relação se estabelece noutro patamar”, diz Márcio.

E complementa: “O Lula tem habilidade suficientemente para dialogar. Ele sabe fazer a política sem ressentimentos. É um estadista. Sabe que é o catalisador desse momento da maioria da população brasileira e vai cumprir este papel. Ele vai ter a habilidade política para dialogar no momento certo. O cara é um líder planetário”.

VALADARES VAI REAGIR A TEMER
A qualquer hora desta semana o senador Valadares, PSB, deve dar uma resposta dura ao presidente Michel Temer sobre a retaliações que o Governo Federal fez aos parlamentares, incluindo os sergipanos Jony Marcos, Valadares Filho e Fábio Mitidieri, que votaram em desacordo com a reforma trabalhista e não endossam todos os pontos da reforma da Previdência. “Não houve acordo anterior à posse de Temer para validar as reformas. Minha posição já expus perante o Governo, por escrito, neste sábado, e a tribuna do Senado será o meio legítimo para a divulgação do que penso sobre esses erros primários do governo”, disse o senador a esta coluna.

Valadares: incômodo com os erros primários do governo

FÁBIO MITIDIERI VOTO PRA LULA
O deputado federal Fábio Mitidieri, PSD, acha que o senador Antônio Carlos Valadares, PSB, só terá sucesso num projeto de reeleição ano que vem se o atual governador Jackson Barreto, PBDB, disputar também o Senado. “Se Jackson ficar de fora, Valadares perde o contraponto da polarização e cai no vazio”, diz Fábio. Para o deputado federal do PSD, fora do alcance de uma polarização o que vai prevalecer é o discurso da “renovação”. “E aí é muito ruim para o senador Valadares”, justifica. Para Fábio, na disputa entre os nomes PMDB e o do PSB é meio inócuo o sonho de eleição de qualquer outro nome ao lado de qualquer um dos dois. Ou seja, nenhum dos lados fará dois senadores. Só para lembrar: ano que vem os sergipanos votam em dois senadores.

JONY E O CORONELISMO DE TEMER
O deputado federal Jony Marcos, PRB, disse que não se incomoda com as retaliações que o presidente Michel Temer lhe fez, tomando cargos em Sergipe, porque ele votou em desacordo com os interesses do Governo na Reforma Trabalhista e vai fazer o mesmo na Previdenciária. “Eu não sou deputado para estar aceitando pressão de presidente de República. O presidente não está causando nenhum mal a mim. Está causando ao povo pobre, e aos idosos com sua refirma de Previdência”, diz Jony.

Jony: indisposto a aceitar pressão de Temer

Segundo Jony, ele e Michel Temer não pactuaram nenhum cargo em Sergipe. O parlamentar informou que o acerto foi feito com o seu partido, o PRB. A ele, coube indicar apenas o superintendente do INSS de Sergipe, que é uma pessoa de carreira. “Eu acho que o presidente foi precipitado ou tem maus conselheiros. O gesto dele trouxe de volta um antigo coronelismo que um dia já existiu no Brasil. Meu compromisso é como povo”, diz.

TCE DEFINIU NOVOS PRAZOS
Ontem o Tribunal de Contas do Estado de Sergipe definiu novos prazos para prestações de contas de modo que possam ser cumpridos mesmo em meio às inovações implementadas no sistema da Corte de Contas. A Diretoria de Modernização e Tecnologia – DMT – do TCE/SE reuniu escritórios de contabilidade e empresas da área de tecnologia que trabalham para os órgãos jurisdicionados e fixou os novos prazos.

Reunião do TCE: novo prazo para contas

TCE DEFINIU NOVOS PRAZOS II
A reunião foi considerada necessária para a consolidação do sistema Sagres de auditoria. “Esta é mais uma da série de reuniões que estamos fazendo em conjunto para esclarecer dúvidas de todos os envolvidos com as prestações de contas no novo sistema. Como houve um problema, viemos resolver juntos, ouvindo e sugerindo também. Desta vez, com a presença do corregedor e do presidente, estabeleceu-se um novo prazo num novo cronograma de entrega das contas”, disse Cláudio Luiz, diretor de Modernização de Tecnologia.

O STF TIRA  ZÉ DIRCEU DA CADEIA
Ontem à tarde o STF mandou soltar o ex-ministro José Dirceu, PT. Às 18h11, a Folha de S. Paulo deu a notícia com o seguinte texto. “O STF (Supremo Tribunal Federal) concedeu habeas corpus ao ex-ministro José Dirceu poucas horas depois de o Ministério Público Federal no Paraná apresentar nova denúncia contra o petista. A decisão de soltar o ex-ministro, preso desde agosto de 2015, foi tomada nesta terça (2) pela Segunda Turma do tribunal por 3 votos a 2. Votaram pela soltura Gilmar Mendes (que desempatou), Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. Mendes classificou o gesto dos procuradores que atuam em Curitiba de uma “quase brincadeira juvenil” por tentarem pressionar o tribunal a manter o petista preso. Os ministros Celso de Mello e Edson Fachin, relator da operação no STF, se manifestaram pela manutenção da prisão preventiva. Caberá agora ao juiz Sergio Moro, que havia determinado a prisão preventiva na primeira instância, analisar quais medidas cautelares – como uso de tornozeleira eletrônica, recolhimento domiciliar e pagamento de multa, por exemplo – serão aplicadas a Dirceu”.

ETC & TAL
Fábio Mitidieri não guarda nenhuma dúvida hoje: Lula disputando a eleição presidencial em 2018, terá seu voto. Mais que isso: o parlamentar está certo de que ninguém tira a eleição do petista.

@ O Governo de Temer mandou ontem à Câmara, às pressas, um projeto renovando concessão de obras públicas com grandes empreiteiras. A Odebrecht entra no pacote.

@ Para 2018, Márcio Macedo vê Lula com o mesmo frescor de 2002 e 2006, quando foi eleito e reeleito presidente. “O Lula pode ser o principal cabo eleitoral das candidaturas nos Estados”.

@ “O Lula pode impulsionar candidaturas ao Senado, a Governos e a deputado federal. Tive um almoço com ele em SP na quarta e temos conversado muito sobre isso. Ele vai pro enfrentamento nas ruas”, diz.

@ De por Márcio, e pela maioria dos petistas –, o PT paga de santo em tudo que acontece na Lava Jato. “O que aconteceu com o Governo do PT foi a garantia de fortalecimento os órgãos de controle”.

@ “Pelo amor de Deus, não se pode dizer que foi só no Governo do PT que isso aconteceu. O Emílio Odebrecht diz que desde o tempo que ele acompanha, e tem 50 anos, estas questões são feitas assim no Brasil”.