PESQUISA EM SOCORRO

Lideram Valadares, Lula e Fábio: Governo, Presidência e Senado

Por Jozailto Lima
27 abr 2017, 22h24

Em sondagem eleitoral do Instituto França de Pesquisa para o Governo de Sergipe, Presidência da República e Senado, feita exclusivamente nos limites de Nossa Senhora do Socorro, lideram, respectivamente, o senador Antônio Carlos Valadares, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-prefeito da cidade, Fábio Henrique.

Para governador, o senador Valadares seria opção de voto para 28,2% dos entrevistados. Lula o seria para 43,1% para a Presidência, e Fábio Henrique, obteria 35,2% para o Senado – no caso de Fábio é uma soma cumulativa das duas opções do eleitor, uma vez que no ano que vem ele poderá votar em dois candidatos ao Senado.

No caso específico das candidaturas ao Governo, em questão induzida – com citação de nomes -, depois de Valadares a segunda opção seria o senador Eduardo Amorim, com 18,3%, seguido de André Moura, com 9%.

Ricardo Franco, sem partido, viria a seguir, com 3,2%, e Belivaldo Chagas, com 1,7%. Ainda são 29,7% os que não votariam em nenhum, em branco ou nulo. Não souberam opinar ou se declararam indecisos para o Governo 9,9%.

O Instituto França de Pesquisa debruçou-se sobre uma boa mostra: entrevistou 514 pessoas num universo 100.303 eleitores de Socorro. A margem de erro da amostra é a máxima de 4%, com índice de confiabilidade na casa dos 95%. A pesquisa foi realizada nos dias 18, 19 e 20 de abril de 2017.

O dono do IFP, William França, que repassou os resultados ao site JLPolítica, informou que o contratante da pesquisa pediu segredo na divulgação do seu nome.

LULA BATE EM TODOS JUNTOS
Com seus 43,1% de intenção de voto para a Presidência da República, Lula abre uma dianteira enorme sobre qualquer um dos demais cinco nomes arrolados na mostra do IFP. Aliás, os índices pessoais dele cobrem todos os demais juntos e ainda sobram 7,8% em seu favor. A segunda posição fica com Marina Silva, que tem 18,1%. Aécio Neves fica em terceiro, com 8,2%. É seguido por Jair Bolsonaro, 4,1%, Michel Temer, com 2,6% e Ciro Gomes, com 2,3%. Para a Presidência da República, ainda há 12% que não votariam em nenhum, em branco ou nulo, e 9,6% não souberam ou se disseram indecisos.

Lula da Silva: vantagem vigorosa sobre os demais

O DESEMPENHO DE FÁBIO PRO SENADO
Para o Senado, Fábio Henrique com seus 35,2% de intenção, abre uma certa distância em relação ao segundo colocado, que é o senador Valadares, com 23,3%. Eduardo Amorim vem a seguir com 19,8%; Pastor Heleno Silva, com 17,7%; Jackson Barreto, com 16%; Laércio Oliveira, 9%; Rogério Carvalho, 7,8%, Fábio Mitidieri, 6,7% e Ivan Leite, 4,4%. Não votariam em nenhum, em branco ou nulo, 16%, e não sabem ou indecisos, 6,1%. Neste caso, o questionário ofereceu as duas chances de votos e este resultado reflete isso.

Fábio Henrique: rescaldo da condição de prefeito

COLOCAÇÃO PARA A CÂMARA FEDERAL
O Instituto França de Pesquisa sondou a intenção de votos para deputado federal mostrando 10 nomes, entre os quais apenas Fábio Henrique e Gustinho Ribeiro não são detentores de mandatos em Brasília. Neste cenário, Fábio Henrique lidera com 20,1%, seguido de Valadares Filho, 14,8%, Adelson Barreto, 13,4%; Pastor Jony, 9,6%, Laércio Oliveira, 4,9%; Fábio Mitidieri, com 3,2%, André Moura, 2,9%, João Daniel, 2,6%; Fábio Reis, 0,6%, e Gustinho Ribeiro, com 0,6%. Para a Câmara Federal, o índice de nenhum/branco/nulo chega a 18,3% e o dos que disseram não saber e estar indecisos, vão a 9%.

Valadares Filho: abaixo de Fábio, só ele

SINS E SENÕES DA PESQUISA IFP
No contexto de uma eleição estadual, é preciso ler esta pesquisa do IFP com cautela e pouca canja de galinha. Não há nada de errado nela. O dono do IFP, William França, é um rapaz do meio, conhece o traçado – por um bom tempo foi do Instituto Padrão, que é de excelência no setor -, mas a pesquisa num único município entre 75 diz muito pouco, embora contemple em demasia a quem a lidera. Mas esse nem é o dado mais preocupante: o pé atrás deve vir da distância de tempo entre a pesquisa e o pleito, cerca de 17 meses. Um tempo largo demais e propício para muitas tempestades políticas. Pesquisa boa é a da véspera da eleição.

A LEITURA DO RADIALISTA EDSON
O radialista Edson Júnior, que acompanha esta coluna com assiduidade, viu como “leitura correta” a nota postada aqui ontem que trata das intrigas que o grupo de Luciano Bispo faz para separar o prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, da deputada estadual Maria Mendonça. “Eles não seriam ingênuos de cair nessa esparrela. Inclusive o próprio Valmir, ligeiro como é, já avisou que não vai morder essa isca, considerando a futrica uma “balela”. Mas se não pega essa, e sendo vital para os planos de Bispo esse rompimento, novas jogadas do Luciano devem estar prontas para afastar a rainha do rei. Eles precisam estar em fina sintonia para anular as maledicências futuras”, diz Edson.

JB VISITA SHOPPING PEIXOTO
Ao lado do deputado Luciano Bispo, do empresário Messias Peixoto e do diretor-presidente do DER, Antônio José de Vasconcelos, o governador Jackson Barreto retornou a Itabaiana para acompanhar o andamento de algumas obras que ele considera “fundamentais para o desenvolvimento econômico da região”. “Ao total, o Governo do Estado está fazendo investimentos de mais de R$ 200 milhões em Itabaiana”, escreveu o governador em sua página do face. “Primeiramente, estive no Shopping Peixoto, que chama a atenção não apenas pela beleza, mas acima de tudo pela grandeza e organização, que proporcionará mais de 3 mil empregos, melhorando a renda e trazendo mais praticidade ao povo com os serviços do Estado, através de pontos do Ceac, Detran e Banese”, disse JB. “Significa dizer que a população de Itabaiana e região terão melhor prestação de serviço, com segurança, conforto e agilidade”, completou.

Jackson, com Luciano e Messias: reconhecimento a Itabaiana

“AMOR IMENSO A ITABAIANA”
“Nesse momento em que o país está vivendo uma crise na sua economia, o Messias Peixoto demonstra ser um homem corajoso e com um amor imenso a Itabaiana, porque um empreendimento desses só um grande empreendedor teria a capacidade de fazer. Por isso, estivemos em Brasília, junto com Messias e o DNIT, onde mostramos ao ministro dos Transportes a importância desse empreendimento para o desenvolvimento econômico não só de Itabaiana, mas de todo o agreste sergipano. Isso é uma realização para uma cidade que vibra com o comércio e para nós, que não somos daqui mas também vibramos com a capacidade empreendedora do povo itabaianense”, disse JB.

CARTA DE DOM JOÃO FAZ ALERTA
Depois de uma marcante entrevista concedida a este portal JLPolítica no último domingo, na qual condenava a corrupção do Brasil e dava apoio à operação Lava Jato, Dom João José Costa, arcebispo metropolitano de Aracaju e presidente da Caritas Brasileira, divulgou ontem, de Aparecida, em São Paulo, uma contundente carta sobre as coisas do país. Com o título de “Aos irmãos e irmãs da Arquidiocese de Aracaju e da Caritas Brasileira”, o bispo não faz rodeios e vai na jugular dos problemas. “Diante de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, participando da 55ª Assembleia Geral da CNBB, estou acompanhando com atenção o desenrolar dos acontecimentos em Brasília e em todo o país. O momento político, social e econômico que o Brasil atravessa é muito delicado e carecedor do discernimento de todos nós”, diz Dom João.

Dom João José Costa: de pé e de frente para a realidade brasileira

“CORRUPTOS E CORRUPTORES NAS TREVAS”
“A corrupção deve ser combatida com o rigor que as leis estabelecem, seja ela praticada por quem quer que seja. Corruptos e corruptores vivem nas trevas, vivem sob a sombra do mal. A impunidade e a injustiça não devem mais ser toleradas. A violência deve ser contida. E a exploração do homem pelo homem não tem amparo no Evangelho de Jesus Cristo. As mudanças nas leis trabalhistas e na Previdência Social, como estão sendo anunciadas e, no caso das primeiras, já sendo votadas no Congresso Nacional, ferem direitos consagrados na Constituição de 1988, que está sendo desconstruída de forma absurda, para atender aos interesses do grande capital, nacional e internacional, que suga o suor e o sangue das classes trabalhadoras, sob a alegação de que é preciso fazer ajustes fiscais. Que se façam os ajustes necessários, mas sem decepar direitos tão duramente conquistados e mantidos até agora”, disse o pastor católico num dos trechos.

“NÃO TEMOS O DIREITO DE NOS CALAR”
Para o bispo arquidiocesano, o silêncio agora seria perigoso. “Seguidores que nós somos do Verbo Encarnado, não temos o direito de nos calar quando ameaças diversas pairam sobre a sociedade. Neste momento, calar equivale a mentir. E a verdade deve ser proclamada. Jesus veio para que todos tenham vida em plenitude (Jo 10,10). A plenitude da vida dos brasileiros não deve ser molestada por nenhum governo, por nenhum grupo político que esteja ou possa estar no poder. Conclamamos a todos os irmãos e irmãs, para que, sob a inspiração do Santo Espírito, não se curvem ao querer de quem não tem coragem de ouvir o povo. Devemos perguntar aos nossos representantes no Congresso Nacional como eles estão fazendo uso dos votos que receberam. A favor do povo ou contra o povo? Dizer não a tudo que contraria a plenitude da vida é um dever cristão. Exercitemos, pois, o nosso dever, para que os nossos direitos não sejam dilapidados. Que o povo não se deixe abater. Que o Brasil vença este momento tão difícil”, dizem outros trechos da carta de Dom João.

EDUARDO CONTESTA BELIVALDO
O senador Eduardo Amorim disse ontem a esta coluna que o vice-governador Belivaldo Chagas está “profundamente equivocado” quando diz achar que ele não vai segurar uma candidatura ao Governo de Sergipe, desistindo até lá. “Ele desconhece a minha força de vontade, a minha humildade e a minha determinação”, diz o senador. Segundo Eduardo Amorim, sua relação com Belivaldo “sempre foi de muita cordialidade”. “Espero que se ele for o escolhido para a disputa comigo que seja mantido o respeito”, avisa o senador. Apesar do gesto afável, Eduardo não deixa de questionar se Belivaldo duvida do seu projeto por “desinformação política ou por maldade”.

Eduardo Amorim: cordialidade e respeito

ETC@TAL
@ Que venha a greve geral de hoje, independentemente de contra quem ela se faça. Que seja democrática.

@ O país não pode alienar um direito sagrado às manifestações. Mas há setores que devem respeitar a necessidade de estarem em ação.

@ A atitude retira de sobre deputados e senadores um manto fajutamente divino. Claro que a imunidade no exercício parlamentar continua blindado. Na vida fora daí, são homens comuns e podem responder a processos na justiça comum.

@ O procurador da República e procurador Regional dos Direitos do Cidadão e da Cidadã em Sergipe, Ramiro Rockenbach, pediu ontem ao secretário Almeida Lima que convocasse os trabalhadores da saúde a não aderirem à greve de hoje.

@ “Que essa Secretaria emita comunicado oficial a todos os profissionais da saúde no sentido de que mantenham a regularidade dos serviços essenciais de modo que não sejam causados prejuízos às ações e serviços de saúde à população”, pediu Ramiro Rockenbach.

@ “O MPF solicita, também, ser comunicado de qualquer ação ou omissão que cause gravames aos serviços em questão”, dizia.

@ “Por fim, o MPF consigna seu reconhecimento quanto à legitimidade democrática das manifestações pacíficas, mas registra a importância de ser garantida a assistência à saúde da população”, dizia a nota dele.

@ Enquanto isso, a enfermeira Maria Cláudia Tavares de Matos, presidente do Coren/SE, seguia na contramão.

@ Num banner no face, ela convida os trabalhadores da saúde às ruas: “O Brasil vai parar! Os trabalhadores da enfermagem em SE (19.525) estarão presentes na greve geral”, dizia ela.

@ Muito pertinente a aprovação pelo Senado do fim do foro privilegiado para os políticos brasileiros fora do exercício de suas atividades.

@ O senador Eduardo Amorim, que votou pelo fim dessa imunidade, disse que isso atende a uma nova dinâmica do Brasil.

@ “O país está mudado e coisas como crimes de colarinho branco ficaram para trás”, disse. O projeto agora vai à Câmara. Será que lá ele se salva?

@ Eduardo Amorim votou contra o projeto que pune o abuso de autoridade. O Judiciário e o Ministério Público acham que este projeto visa enfraquecer a atividade jurídica do país. Uma espécie de revanche a Lava Jato.

@ Para Eduardo, não era hora de aprová-lo. Mas ele chama a atenção para um fato: a lei é extensiva a todo agente público, passando pelo executivo, judiciário e legislativo. “Mas minha consciência me disse que o momento não era o adequado”, avisa o senador.

@ Política é coisa perversa: Renan Calheiros se passando por um justiceiro desta aberrante reforma trabalhista do Temer parece coisa do fim do mundo.

@ “Não é normal que o presidente da República deixe de falar e empurre goela abaixo dos trabalhadores uma retirada de direitos”, disse ele ontem, do alto do seu progressismo.

@ O TCE Sergipe engrossou a voz e ontem ameaçou multar gestores que atrasaram respostas a ofícios que pedem informações sobre remunerações dos próprios prefeitos, vice-prefeitos, secretários, procuradores jurídicos e vereadores.

@ O presidente Clóvis Barbosa foi na canela: “Será que é razoável que municípios pequenos e pobres paguem aos seus prefeitos mais de R$ 30 mil de salários?”. Não é!

@ Para Clóvis, “à exceção de Aracaju, todos os municípios sergipanos têm baixo ou médio Índice de Desenvolvimento Humano”. No total, 17 prefeitos do interior recebem subsídios iguais ou superiores a R$ 30 mil.