EDUCAÇÃO

Edvaldo assina adesão de Aracaju ao programa Aula Digital

14 escolas da rede municipal serão beneficiadas com kits tecnológicos compostos por notebook e roteador para o professor e tablets para alunos

Por Ascom do Município
13 jul 2017, 09h24

O prefeito Edvaldo Nogueira assinou, nesta quarta-feira, 12, o termo de adesão do município de Aracaju ao projeto Aula Digital, iniciativa do Governo do Estado em parceria com a Fundação Telefônica Vivo. A ação irá beneficiar 18,5 mil estudantes de 310 escolas em 28 municípios e consiste no desenvolvimento de conteúdos digitais e de dispositivos tecnológicos com objetivo de facilitar o acesso à educação de qualidade para crianças e adolescentes de regiões vulneráveis. Em Aracaju, alunos de 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental em 14 escolas municipais serão beneficiados.

“Este é um momento muito importante para Aracaju e para Sergipe. Estamos diante de um grande desafio, não apenas na Educação, mas um desafio da humanidade: vivemos um período de crise, de quebra de paradigmas, mas que poderá possibilitar que cada um de nós supere as dificuldades e projete um futuro melhor para a humanidade. Aracaju tem orgulho e satisfação de aderir a este programa, que insere as nossas crianças no processo de uso da tecnologia na Educação”, afirmou o prefeito, que participou do evento acompanhado pela secretária da Educação de Aracaju, Cecília Leite.

Ele pontuou que há ainda um “grande fosso” entre a Educação, sobretudo a da rede pública, e a Tecnologia, o que torna o programa Aula Digital ainda mais significativo para a realidade local. “Precisamos, de fato, que as cidades se coloquem à altura da quarta revolução que ocorre no mundo. Não podemos mais prescindir do uso intensivo da tecnologia em nenhum processo. Este projeto é um estímulo à Educação. Preciso tornar a escola um ambiente atrativo para as crianças. Não é com giz, quadro negro e apagador – os velhos métodos – que iremos avançar. A Aula Digital abre um caminho importante para colocarmos tornarmos os nossos alunos competitivos”, destacou.

Em seu discurso, Edvaldo Nogueira lembrou o projeto realizado em sua gestão anterior, quando 10 mil tablets foram distribuídos na rede de educação pública da capital. Ele lamentou que a iniciativa não tenha tido continuidade nos últimos quatro anos. “É fundamental que os projetos sejam perenes, por isso acredito que este programa em parceria com o governo e com a Fundação Telefônica Vivo colaborará para que as nossas crianças tenham uma formação continuada. Para enfrentar o futuro, a Educação será elemento fundamental”,salientou.

TRABALHO EM CONJUNTO
Para o governador em exercício Belivaldo Chagas, é importante, mesmo num momento de dificuldades financeiras, o investimento em Educação. Ele defendeu que a União, os Estados e os municípios trabalhem em parceria. “É importante que tenhamos no Brasil um projeto educacional em conjunto. Não dá para desenvolver projetos de forma individualizada. É muito difícil tocar projetos sem parcerias. Por isso, acredito que este programa da Fundação Telefônica Vivo é um presente para Sergipe”, definiu.

O secretário estadual da Educação, Jorge Carvalho, também defendeu que o trabalho das secretarias de Educação – a do Estado e as municipais – se dêem de forma coletiva. “Não é possível melhorar o ensino atuando apenas nas escolas estaduais. Não existe aluno do Estado e aluno do município. É preciso trabalhar em unidade”, disse.

O representante da Fundação Telefônica Vivo, Américo Matar, destacou que a visão da entidade é tornar a Tecnologia uma aliada da Educação. “Para dar conta da complexidade do mundo atual, a escola precisa se transformar. Com o celular e a conexão, mudou a forma de lidarmos com o mundo. É preciso uma nova proposta educacional, com toda a conectividade e potência da tecnologia”, defendeu.

COMO IRÁ FUNCIONAR
Em Sergipe, 310 escolas receberão o programa em 28 cidades, sendo 203 unidades de ensino municipais e 107 escolas estaduais, beneficiando 18,5 mil alunos. Receberão o Aula Digital os seguintes municípios: Arauá, Aracaju, Areia Branca, Capela, Carmópolis, Cristinápolis, Cumbe, Divina Pastora, Feira Nova, Gararu, Indiaroba, Itabaiana, Itabaianinha, Laranjeiras, Malhador, Maruim, Moita Bonita, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora do Socorro, Poço Verde, Ribeirópolis, Santa Luzia do Itanhy, São Cristóvão, Simão Dias, Siriri e Umbaúba, além de Graccho Cardoso e Lagarto.

As escolas serão beneficiadas com kits tecnológicos compostos por notebook e roteador para o professor e tablets para alunos, além de projetor e tela de projeção. A iniciativa vai formar e acompanhar 775 educadores, com o objetivo de fomentar uma educação mais inovadora. Eles receberão até 50 horas de formação presencial, nas quais serão abordados temas ligados à inovação educativa para ampliação do repertório dos educadores, ferramentas de acompanhamento do processo de aprendizagem personalizado dos estudantes e inspirações para novas experiências educacionais. Também serão disponibilizados conteúdos pedagógicos digitais, um ambiente virtual de aprendizagem colaborativo e intuitivo que combina no mesmo espaço a gestão das etapas de ensino e aprendizagem de um centro escolar.