TERCEIRO TURNO?

"Valadares Filho quer ganhar no tapetão"

Para Edvaldo Nogueira, VF usa de "estratégias golpistas e sorrateiras"

Por Sergipe 247
24 abr 2017, 11h22
O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), afirmou que o candidato derrotado à prefeitura de Aracaju, Valadares Filho (PSB), pretende criar um improvável terceiro turno eleitoral para ver se, através de “estratégias golpistas e sorrateiras”, chega ao comando da administração municipal. Num vídeo divulgado na semana passada, Filho aproveitou-se do fato do nome do prefeito de Aracaju ter aparecido numa suposta conversa com empresário do setor de limpeza pública para acusá-lo e pedir sua cassação junto às instâncias eleitorais. “Valadares Filho tem tido tanto insucesso para o Executivo através do voto direto, que resolveu apelar para o tapetão”, comentou o prefeito, acrescentando que está absolutamente tranquilo em relação à sua conduta neste processo.
Segundo Edvaldo, Valadares Filho “sabe que não tem lastro para ser prefeito de uma cidade como Aracaju, com problemas tão complexos, com uma opinião pública crítica e exigente para tolerar políticos que fogem das responsabilidades impostas pelos cargos que ocupam, como fez o deputado ao se ausentar de uma das mais importantes decisões da Câmara, o projeto da terceirização”. “Ele não foi sim, nem não: foi fujão”, lamentou.
A operação Babel investiga eventuais irregularidades na contratação da empresa da coleta de lixo na capital, a Torre Empreendimentos. De acordo com o Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária (Deotap), o presidente da Câmara Municipal, Nitinho Vitale, teria indicado pessoas a serem contratadas pela Torre, o que configura improbidade administrativa. As investigações também apontaram que constataram que José Antônio Torres sacou quantias elevadas na boca do caixa nas vésperas das eleições municipais de 2016 e teve contatos telefônicos com Nogueira, na época candidato a prefeito.