AUDIÊNCIA PÚBLICA

Vereadores discutem Saúde em Aracaju

O secretário da pasta apresentou o relatório do último quadrimestre

Por Agência de Notícias CMA
08 abr 2017, 13h49

O secretário Municipal de Saúde, André Sotero, esteve na Câmara Municipal de Aracaju (CMA) para participar de uma Audiência Pública durante a 20ª Sessão Ordinária. Na oportunidade, o gestor apresentou o relatório do último quadrimestre e os parlamentares não desperdiçaram a chance de cobrar e elogiar as ações da pasta.
Abrindo os debates na tribuna, o vereador Iran Barbosa (PT) afirmou que os dados apresentados não é nenhuma surpresa. “O povo precisa acompanhar a leitura do que estão sendo apresentados com os episódios dos últimos quatro anos, que é fruto de uma política de retração de investimento. O pró-mulher, aprovado por esta Casa, não teve resultado”, destacou.
Se colocando a disposição para ajudar, a vereadora Kitty Lima (Rede) revelou. “Minha vontade é somar forças e podem ter certeza que estarei preparada para o que for necessário para ajudar a transformar a saúde do município em referência”. Do mesmo jeito se comprometeu Dr. Gonzaga (PMDB).
Sendo enfático no seu pronunciamento, o vereador Américo de Deus (Rede) disparou. “Se o Brasil fosse um país sério, todos os ex-secretários deveriam estar na cadeia. Tivemos um milhão e 200 mil procedimentos a menos e 300 mil consultas a menos. São dados alarmantes que nos entristece. Quantos morreram?”. O vereador Fábio Meireles (PPS) perguntou ao gestor se houve redução no número de cargos de comissão.

Destacando os dados apresentados como uma irresponsabilidade que beira uma ação criminosa, o vereador professor Bittencourt (PCdoB) disse. “O que me causa mais espanto é o estado estarrecedor que foi deixado à saúde do município, com uma retração na prestação de alguns serviços. Talvez estes números sejam iguais ao dos anos 80. A sua gestão terá que restaurar estes serviços e com muito esforço conseguiremos voltar aos índices de quatros anos atrás”.
Vinicius Porto (Dem) afirmou que os dados apresentados do último quadrimestre da gestão passada não eram de conhecimento do ex-prefeito João Alves. “Infelizmente João Alves não soube escolher seus secretários de Saúde e tenho certeza que o ex-prefeito não aceitaria de maneira nenhuma estes dados”, ponderou o parlamentar ao revelar que se fosse prefeito, o seu secretário de Saúde seria André Sotero.
O vereador Zezinho do Bugio (PTB) aproveitou a visita do secretário para cobrar a falta de remédios nas Unidades Básica de Saúde. “A falta de remédio nos postos de saúde da região norte, a exemplo do Bugio, está com uma carência muito grande, mesmo a assessoria do prefeito anunciando que está tudo normal. Também peço uma atenção maior ao tratamento dos infartados”, frisou.
O líder da oposição, vereador Elber Batalha (PSB), solicitou alguns esclarecimento. “Qual a relação entre o município com o Ipes e o Hospital de Cirurgia. Destaco que uma das boas ações da gestão de João Alves foi de pagar a fatura do Hospital Cirurgia quando fosse comprovado como foi gasto a verba. Também peço encarecidamente que termine a quebra de braço entre o município e a classe médica, percebi que o senhor tem boa vontade”, concluiu.
O vereador Cabo Amintas (PTB) solicitou que o secretário volta à Câmara para apresentar os dados da atual gestão. Anderson de Tuca (PRTB) sugeriu uma ação mais efetiva sobre o Cartão SUS. “Aracaju tem dois milhões de cartões, quando a população não chega nem na metade. Os agentes de saúde poderão ser seu parceiro nisto, trazendo dados da população sobre a saúde pública”, sugeriu.