Cardeais do PSB aceitam Alckmin se houver problema no PSDB

Por Jozailto Lima
17 fev 2017, 12h40

Na política de Sergipe e do Brasil, ganhou corpo nos últimos dias a especulação de que o governador São Paulo, Geraldo Alckmin, poderá trocar o PSDB pelo PSB para fugir do embate com Aécio Neves ou José Serra e viabilizar, assim, a sua candidatura a presidente da República no ano que vem.

Nada além de especulação, mas já encontra bom acolhimento nos cardeais do PSB de Sergipe, todos perfilados ao peso e à importância de Alckmin em sua expertise de gestão. Ele está no terceiro mandato de governador.

Mas já foi vereador e prefeito de Pindamonhangaba, deputado estadual, deputado federal, vice- governador. Em 2006, disputou a eleição de presidente da República e perdeu para um Lula em reeleição.

O senador Antônio Carlos Valadares diz que a Geraldo Alckmin o PSB “seria o caminho natural caso o PSDB se incline por outro nome que não o dele”. Mas pondera. “Pelo que sei, Alckmin quer ser candidato a presidente pelo PSDB”, diz.

Mas se o apoio de seu partido não puder ser concretizado, na certa ele buscará outra alternativa partidária. Hoje Alckmin se harmoniza muito com o PSB pelo fato de o seu vice, Márcio França, que é do nosso partido, lhe ser uma pessoa da sua maior confiança”, reforça o senador.

O deputado federal Valadares Filho, presidente da Executiva Estadual do PSB, diz que “existe a possibilidade, sim”, de Alckmin vir para o seu partido, “dependendo da situação dele no PSDB”.

Eu acho muito bom para o PSB o ingresso de um quadro como Alckmin. É um político competente e honrado, e a informação que eu tenho é a de que ele aguardará até o final para ver como o PSDB olhará sua candidatura”, diz Valadares.

O senador Valadares afirma que “tratativas existem” no sentido de recebê-lo no ninho amarelo. “Porém, o PSB aguarda com respeito a posição do governador, que tem todo o direito de avaliar sua melhor alternativa para consolidar a sua candidatura a presidente”, diz o senador.

O deputado estadual Luciano Pimentel considera Geraldo Alckmin “um executivo público bastante avaliado”, já “devidamente aprovado” e admite que ele constitui um tipo que faria bem “a qualquer partido político” que o recebesse.

Para mim, ele se constitui hoje num dos quadros mais preparados para dirigir o Brasil. E é claro que o PSB ficaria muito contente em tê-lo nos seus quadros, respeitando devidamente seu espaço e seu entendimento junto ao PSDB”, diz o parlamentar do PSB.

LULA, AS PESQUISAS E ROGÉRIO
Para o presidente do PT de Sergipe, ex-deputado Rogério Carvalho, da pesquisa da CNT/MDA que mostra Lula com 16,6% na espontânea e 30,5% na estimulada, só pode ser feita a seguinte leitura: “São os brasileiros acreditando que quem fez pode fazer mais”, diz ele.

LULA, AS PESQUISAS E ROGÉRIO II
Lula pegou o Brasil quebrado e os brasileiros na miséria e sem esperança. Transformou-o na sexta economia do mundo, tirou 40 milhões de pessoas da miséria e trouxe a autoestima e a esperança para o povo do Brasil”, discursa Rogério. Calma, mano: espere chegar agosto de 2018.

QUEM É O COORDENADOR?
Está virando uma briguinha xarope e desengraçada – ou ególatra – esta entre o senador Valadares e o deputado Laércio Oliveira – ou Jackson Barreto – para saber quem fica mesmo, ou não fica, com a Coordenação da Bancada Federal de Sergipe no Congressos Nacional.

LÁ VEM LIRA LAVANDO AS MÃOS
Depois de Laércio ter atropelado Valadares na semana passada numa eleição de maioria simples – seis a cinco – e levado a Coordenação, o senador apresentou ontem um ofício do presidente da Comissão Mista do Orçamento, deputado Arthur Lira, no qual ele diz que, estando no final do seu mandato, resolveu não acolher a ata que Laércio lhe mandou comunicando o resultado da eleição.

LÁ VEM LIRA LAVANDO AS MÃOS II
O senador Valadares defende a seguinte tese: para Laércio ter legitimada a sua eleição, necessitaria que fosse votado por dois terços da bancada do Senado – que seriam dois dos três senadores – e três quartos da bancada Câmara – seis de oito deputados. Ele não atingiu isso em nenhuma das duas casas. Mas Laércio contesta essa regra. Lira não faz qualquer referência a isso. Diz apenas que quer deixar o pepino para seu sucessor.

VALADARES FORÇOU A BARRA”
Laércio disse a esta coluna ontem que o ofício de Lira a Valadares não muda em nada o resultado da eleição. “Valadares forçou a barra por esta correspondência, mas o ofício de Lira não muda nada. O TRE não tem poderes para dizer que discorda do que sai de uma urna, e pronto. É de competência da bancada dizer que queria mudar o coordenador, e disse”, avisa.

JOGAR ÁGUA NA FOGUEIRA DE VAIDADES”
O senador Valadares, ao contrário, insiste que o ofício garante a prevalência da norma. E escreve no twitter dele. “Documento assinado pelo presidente da CMO, deputado Arthur Lira, confirma que continuo como coordenador, eleito em 2015, ao não acatar Ata de Laércio”. A esta coluna, o senador faz um discurso mais conciliador e meio assimétrico à sua capacidade de briga. “Acho melhor sentar e conversar. Sergipe espera por isso. É hora de a gente jogar água nessa fogueira de vaidades”, diz ele.

QUE VENDAM A DESO!
O empresário Frank Vieira, do Grupo Maratá, se soma aos que defendem a privatização da Deso. Pelo discurso que faz, acredita muito mais na eficácia dos serviços prestados pela iniciativa particular. “Se tivéssemos vendido há muito tempo, também há tempos teríamos outra situação de serviços prestados à sociedade”, diz Frank.

SUSANA E AS SUBVENÇÕES
No próximo dia 8 de março, a ex-deputada estadual e atual conselheira do TCE, Susana Azevedo, vai depor no processo judicial das subvenções da Assembleia Legislativa. Não como ré, mas como testemunha.

FALA NA CÂMARA CRIMINAL
Susana Azevedo tem uma espécie de fórum privilegiado e pediu para ser ouvida na sala do desembargador Roberto Porto, que é o relator. Ela poderia dar seu depoimento até na própria sala de trabalho do TCE. O juiz do caso estranhamente lhe negou e ela vai ser arguída nos espaços físicos da câmara criminal.

GUSTINHO QUER SER FEDERAL…
Vereador de um mandato interrompido ao meio para iniciar o primeiro dos dois mandatos de deputado estadual, Gustinho Ribeiro, PRP, quer dar um passo maior em 2018 e trocar a Alese pela Câmara Federal. Ontem, quando os colegas na Assembleia lhe parabenizavam por estar fazendo 35 anos, ele sonhava com a utopia de todos de Lagarto lhe apoiando.

…ACHA QUE LAGARTO COMPORTA DOIS
Isso é impossível, uma vez que a família Reis, histórica oponente da Ribeiro, tem no horizonte a reeleição de Fábio Reis. Mas Gustinho acha que Lagarto comporta dois federais, sim. “Aliás, em outros momentos já tivemos dois, salvo engano meu, com os deputados Sérgio Reis e Adelson Ribeiro”, diz. O engano não lhe salva, Gustinho: seu primo Adelson, PMDB, foi deputado em 1994, com 27.904 votos, e Sérgio Reis, PMN, em 1998, com 47.091.

ESTÁ NUM BOM MOMENTO…
Neto de um ex-prefeito de Lagarto e ex-deputado de diversos mandatos, Rosendo Ribeiro, e filho de um também ex-deputado e atual conselheiro do TCE, Luiz Augusto Carvalho Ribeiro, Gustinho está num bom momento político, apesar de ter vacilado feio no manuseio das verbas subvenções da Alese: tem a esposa, Hilda Ribeiro, como vice-prefeita de Lagarto; está em harmonia com o prefeito Valmir Monteiro e tem o cunhado Duílio como prefeito de Salgado. Nas contas dele, são 15 prefeitos lhe dando suporte.

…MAS CONSEGUIRÁ 80 MIL VOTOS?
Acredito que haja base suficiente para me fazer deputado. É bastante consistente o que construímos ao longo destes dois mandatos de deputado estadual. Construímos muitas parcerias interessantes e estamos presentes em 100% do Estado. A política de Lagarto, da grande Aracaju e de diversos municípios sergipanos têm sugerido esta possibilidade. Não só a população que acompanha meu mandato, como também os prefeitos têm sugerido que participemos desta disputa. Se no momento adequado nosso grupo manifestar desejo de que eu dispute, toparei”, diz ele. Gustinho sabe que “a média de corte” para se fazer deputado federal ano que vem estará acima dos 80 mil. “Não me assusta”, diz.

HOSPITAL MATERNO INFANTIL DO HU
Ontem o senador Eduardo Amorim esteve em audiência com o ministro da Educação, Mendonça Filho, para tratar do início das obras da Unidade Materno Infantil do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU -UFS). A obra tem um orçamento de R$ 17 milhões para a sua conclusão. Também trataram do Fundo do Financiamento Estudantil – Fies – para alunos do curso de Medicina da Universidade Tiradentes – Unit. “O ministro mostrou solicitude às reivindicações”, disse o senador.

Mendonça e Eduardo: por Sergipe

JB INICIA HOSPITAL DO CÂNCER
O governador Jackson Barreto assinou ontem pela manhã a ordem de serviço para construção do Hospital do Câncer Governador Marcelo Déda Chagas, que vai ficar nas imediações do Huse. “Escrevemos um novo capítulo na história do tratamento oncológico em Sergipe”, disse JB.

 

CUSTARÁ R$ 126 MILHÕES
A obra começará hoje, de forma imediata, com o investimento de quase R$ 60 milhões e, para que o hospital seja concluído, com todos os equipamentos necessários, teremos que ter um outro investimento de cerca de R$ 51 milhões. Ou seja, ao final, quando o Hospital estiver pronto e equipado, será um investimento de mais de R$ 126 milhões”, disse ele.

O HOSPITAL E A GUERRA
O Hospital do Câncer de Sergipe tem servido de cabo de guerra entre Jackson e o senador e médico Eduardo Amorim. O senador acusa o governador de responsabilidade direta pelas mortes no Estado no campo oncológico, por falta da obra. JB tocou de leve no assunto ontem.

O HOSPITAL E A VITÓRIA
O Hospital do Câncer é uma vitória de um coletivo, não é uma vitória de uma pessoa só. Não se deve fazer politicagem com a doença alheia. Eu acho que o sofrimento humano não merece ser colocado em um palanque eleitoral, mas eu tive civilidade de convidar todos os três senadores de Sergipe, todos os deputados federais, porque todos contribuíram. Agora, é bom dizer que das emendas que foram colocadas para o Hospital do Câncer, só uma foi liberada e foi graças ao governador Marcelo Déda”, disse ele.

TESTE DE FOGO NA CÂMARA
A Câmara de Aracaju aprovou ontem o projeto de lei que cria as condições para que o servidor possa acessar uma linha de crédito especial cujo valor é exatamente igual ao salário de dezembro, que o ex-prefeito João Alves deixou sem pagar. A aprovação representa a primeira vitória do prefeito Edvaldo Nogueira no parlamento municipal. A partir da semana que vem, o servidor poderá receber integralmente o valor do salário pendente. (Nota da Secom da PMA).

TESTE DE FOGO NBA CÂMARA II
Para o vereador Antonio Bittencourt, líder do governo municipal na Câmara, a aprovação do projeto é “uma vitória dos aracajuanos”. “Não é só uma vitória do prefeito, nem somente uma vitória da bancada ou dos servidores, mas de toda a população, uma vez que os funcionários da prefeitura recebendo em dia representa maior qualidade na prestação do serviço ao cidadão. Venceu a proposta que beneficia os aracajuanos”, disse. (Nota da Secom da PMA).

ETC&TAL

@ O presidente da Emsurb, ex-deputado Mendonça Prado, admite a esta coluna que tem projetos de disputar um retorno à Câmara Federal ano que vem.

@ Ronaldo Joaquim, do Padrão, informa que até o carnaval vai fazer três pesquisas localizadas sobre a sucessão estadual e o Senado. Elas serão em Aracaju, Socorro e São Cristóvão.

@ É bom relembrar ao eleitor que ele vai ter direito a escolher dois senadores em 2018. Se encerram os mandatos de Valadares e de Eduardo Amorim.

@ Amorosa faz o show “Gratidão”, no dia 8 de março, no Iate, para celebrar os 50 anos dela.

@ O jornalista Rian Santos, Jornal do Dia, nosso Zé Ramos Tinhorão sergipano, pediu subscrição à nota desta coluna que rejeita lei da meia entrada para jornalistas, radialistas e publicitários em espetáculos.

@ Com a palavra, o barba de bode: “Adorei os cascudos no corporativismo sindical, sob o propósito do PL concedendo meia entrada a jornalistas. Tu me representa!”. Tá certo.

@ Um instituto de pesquisa está entabulando uma grande pesquisa para saber o que os sergipanos pensam da Deso.

@ A vice-prefeita de Aracaju e viúva de Déda, Eliane Aquino, foi convidada por JB para o ato da ordem de serviço Hospital do Câncer Governador Marcelo Déda Chagas ontem.

@ Eliane Aquino fez um discurso emocionado. Além da causa que lhe toca de perto – Déda foi vítima de um câncer -, ontem era aniversário dela. Chorou, e disse que Déda certamente estava feliz com aquele ato.

@ O jovem Willan França, egresso do Padrão, está comando o Instituto França de Pesquisas – IFP – e diz que está de olho no ano eleitoral de 2018.

@ Esta semana a secção do Dnocs de Sergipe foi notificada com um corte no fornecimento de energia pela Energisa. Por falta de pagamento.

@ O reitor da UFS, Ângelo Antoniolli, tem um projeto de potencializar grandemente a UFS FM. A emissora da Universidade tem uma programação excelente, mas um alcance chinfrin.

@ Segundo Antoniolli, a potência dela não chega nem a meio quilo. Ele quer torná-la mais forte e levar seus serviços a todos os demais campis da UFS no Estado.

@ A Câmara de Aracaju teve ontem um dia de cão, com definições das composições das comissões temáticas da Casa e a aprovação do projeto que parcela o décimo terceiro dos servidores de Aracaju.