Aparte
Jackson Barreto não nasceu pro Senado: há exatos 20 anos, perderia para Maria do Carmo
F3d57d5ff23dedfe

Jackson Barreto: sem a estrela do Senado

A derrota de Jackson Barreto, MDB, neste domingo na disputa pelo Senado, sela um carma na vida deste político que já foi de um quase tudo em Sergipe: ele, literalmente, não nasceu para ser senador.

Há exatos 20 anos, em 4 de outubro de 1998, Jackson perderia para Maria do Carmo, PFL à época, a primeira disputa por este mesmo mandato. Ali, a culpa teria sido do fato de JB ter feito intempestivamente uma aliança com Albano Franco, PSDB, que disputava a reeleição de governador depois de ter sido eleito em 1994 numa disputa justamente com ele.

A derrota de 1998 foi duramente amarga para JB: Maria do Carmo teve 92.912 votos à frente dele, numa eleição que dispunha de apenas uma vaga de Senado. Foram 325.703 votos dados a ela - 51,54% dos válidos -, contra 232.791 a ele - 36,85%.

De lá para cá, Maria do Carmo se reelegeu duas vezes senadora - 2006 e 2014. Jackson não se perdeu no tempo: se fez duas vezes deputado federal - 2002 e 2006 -, uma vez vice-governador - 2010 - e outra governador do Estado, 2014.

Ao chegar num nada honroso 4º lugar nesta disputa, com os seus 204.677 votos, Jackson Barreto certamente vai pendurar as chuteiras das disputas eleitorais. Ele está com 74 anos. Sai de cena antes que Maria do Carmo, que já está com 77, mas vai por mais quatro anos. “Em 31 de janeiro de 2023 eu estarei aposentada”, diz Maria do Carmo em entrevista ao JLPolítica. Acesse e leia.