Aparte
Senadora Maria do Carmo estava certíssima sobre o desastre eleitoral de Mendonça Prado
710d807aa9ead212

Mendonça Prado: ufa, que final trágico. Mas Maria alertou-lhe!

A pífia e desidratada votação de Mendonça Pardo, DEM, ao Governo de Sergipe obtida neste domingo, 7, de 12.280 votos, ou 1,24% dos válidos, pede uma legenda urgente: e é a de que ninguém subestime o jeito simples, único, assertivo e sincero da senadora Maria do Carmo Alves, DEM, dar seus palpites na esfera da política.

Veja o que ela disse em entrevista a este Portal JLPolítica, no dia quatro de agosto deste ano, sobre as possibilidades político-eleitorais de Mendonça Prado nestas eleições. “Eu já disse a Mendonça que ele não vai ganhar. Eu já disse a ele que ele ganharia muito bem se fosse para deputado federal. Ele foi um excelente parlamentar”, avisou a senadora, ressaltando que não seria a madrinha dele nesse pleito.

Na comparação com o resultado da votação de Mendonça, seria preciso dizer mais alguma coisa? Certamente não. Mas o Portal JLPolítica pede permissão para falar algo, sim. Em virtude da opinião de Maria do Carmo, esboçada numa entrevista ping-pong - isso pressupõe a mais pura literalidade do que fala uma fonte -, Mendonça Prado, naquele seu estilo belicoso, elegeu este Portal como desafeto.

Um desafeto marcado pelo menosprezo. Mendonça Prado se recusou, inclusive, a ser um dos entrevistados no rodízio estabelecido democraticamente aqui e que contemplou os demais oito candidatos ao Governo de Sergipe nestas eleições. Desdenhou.

Diante da votação fajuta de Mendonça Prado, seria covardia tripudiar sobre ele aqui e agora. Isso é contra todos os códigos de civilidade, que contemplam os tombados e os vencidos com o devido respeito. Não é necessário, portanto, dizer mais nada.

Este Portal chama a atenção apenas para a assertividade do que dissera Maria do Carmo. Quanto a arrogância de Mendonça, cabe a ele tirar as suas próprias conclusões. E espera-se que as tire em forma de boa lição.