Aparte
Silvany Mamlak sabia que Eduardo Amorim perderia em Capela. Mas não assume qualquer culpa
Dc3ce23c68c3d08d

Silvany Mamlak: “Capela e merecia uma atenção melhor”

Na tarde de sábado, 6, um dia antes da eleição do domingo, 7, a prefeita do município de Capela, Silvany Mamlak, previa para esta Coluna Aparte que o candidato Eduardo Amorim, PSDB, seria derrotado em sua cidade. E foi. Em Capela Belivaldo Chagas, PSD, teve 5.233 votos e Eduardo Amorim, 3.447 mil.

Silvany Mamlak foi eleitora de Eduardo Amorim e não fazia esta previsão torcendo por qualquer um outro candidato ao Governo do Estado. Ela fazia a constatação em tom de queixa. Estava ressentida porque os candidatos ao Governo e ao Senado André Moura, PSC, não pisaram os pés em Capela durante a campanha. 

“O tratamento que Eduardo Amorim e André Moura deram a Capela durante a campanha não foi o dos melhores. Todos os demais candidatos passaram por aqui. Menos eles. Fecharam comigo, com Sukita, com o pessoal de Ezequiel, e Capela virou o único município do Estado de Sergipe pelo qual eles não passaram em campanha”, disse a prefeita.

“Mas o que pude fazer, eu fiz. Meu agrupamento esteve todo na rua pedindo voto, mas sei que o povo de Capela é bairrista e ficou chateado com essa ausência. O povo está chateado e eu também. Mesmo assim mantive firme o meu compromisso até o fim. Agora, ficou difícil você pedir voto sem que o candidato apareça na sua cidade. Pela lógica, aqui era nós ganharmos, porque tem três forças políticas votando neles. Era para estarem em primeiro”, disse ela.

Para Silvany, não caberá a ela assumir a responsabilidade por esse resultado. “Quero dizer apenas que o resultado que der não deve ter a mim como culpada”, advertiu na véspera. “Capela é uma das cidades mais importantes da região, com 24 mil eleitores, e merecia uma atenção melhor. Mesmo assim, fiz grandes eventos. Aqui, só quem botou o bloco na rua fui eu. Mas não adianta vir cobrar só de mim. Para mim, esse comportamento foi um tiro no pé”, avisa.