Aparte
Valmir não se oporia se Eduardo Amorim quiser recomeçar carreira política como prefeito de Itabaiana
46c6ab77febd0270

Valmir de Francisquinho: “Comigo, Eduardo não teria problema"

O prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, PR, garantiu a esta Coluna Aparte nesta terça, 9, que não teria nada contra se o senador Eduardo Amorim, PSDB, quiser recomeçar sua carreira política como prefeito itabaianense em 2020.

No dia 31 de janeiro de 2019, o mandato de senador de Eduardo Amorim acaba, e ele ficará na planície, sem espaço algum na política sergipana. “Ele seria um excelente nome, se quisesse. Não sei se ele vai querer e isso é algo para se decidir bem lá na frente”, disse Valmir, provocado por esta Coluna.

“Tranquilamente, Eduardo teria total apoio nosso, mesmo porque eu não poderei ser mais candidato”, reforça Valmir de Francisquinho. Ele foi eleito prefeito em 2012 e se reelegeu em 2016 – portanto, não pode ir a mais uma eleição.

“Comigo, Eduardo não teria problema. Todos sabem que em 2020 acaba a minha gestão, não poderei mais me candidatar e nós vamos apoiar um bom nome. Aquele que o povo quiser e que estiver bem nas pesquisas. Quem não tiver condição, não vai”, afirma Valmir.

Além de achar cedo para se abrir este debate da sua própria sucessão, o prefeito Valmir de Francisquinho adverte que há um punhado de gente de Itabaiana que ele coloca no radar da sua própria sucessão.

Entre estes nomes, Valmir aponta dois dos seus secretários - o Adailton Souza, da Administração, que volta à Secretaria agora que acabou a eleição – ele foi candidato a primeiro suplente de senador na chapa de Heleno Silva – e Carlos Eloy, de Indústria, Comércio e Turismo de Itabaiana, e genro de José Carlos Machado. Tem ainda o empresário José Agnaldo das Neves, a ex-vice-prefeita dele na gestão passada Lourdes Machado, e seu primo e empresário bem conhecido na cidade, Zequinha da Cenoura.