YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 36 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

André Moura é contra cassação de Belivaldo e diz que nova eleição seria um atraso pra Sergipe 
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
Ce8319adb6223c7d

André Moura: não seria hora de pensar somente em si e sim no Estado de Sergipe

De todos os políticos que tiveram participação nas eleições de Sergipe em 2018 e que não conseguiram mandato, o ex-deputado federal André Moura, PSC, que disputou o Senado, seguramente é o que tem maior presença no dia a dia das rotinas políticas do interior de Sergipe atualmente. Ele acha que ainda tem um rescaldo de agenda a cumprir em favor do ex-mandato e dos municípios.

André Moura mantém, inclusive, parte da assessoria que dispunha nos mandatos de deputado federal. Essa realidade tem levado alguns observadores da política sergipana a acharem que ele estaria se articulando para uma candidatura de governador numa eventual cassação definitiva do mandato do governador e Belivaldo Chagas, PSD, pela justiça eleitoral.

Mas engana-se quem pensa assim. André garante que não tem a menor pretensão de uma candidatura nessas circunstâncias e, mais que isso, até torce para que não ocorra a interdição em definitivo de Belivado Chagas e da vice-governadora Eliane Aquino, PT. Ele e critica quem pensa diferentemente disso.

“Alguém que me pergunte se passa pela minha cabeça ser candidato a governador numa situação assim, eu digo: “Sinceramente, nunca planejei isso”. Aliás, todos podem acreditar: não sou aliado de Belivaldo Chagas e as pessoas sabem disso. Mas confesso aqui que sei respeitar a vontade das urnas, tanto é que respeito a minha derrota. Não culpei Sergipe e não culpei as pessoas. E, sendo assim, não torço contra Belivaldo. Não quero que seja anulada a eleição dele. E não desejo, porque é muito ruim para Sergipe nesta hora”, disse o sergipano que está secretário de Estado pelo Rio de Janeiro.

“Sergipe vive um momento muito difícil. Muito ruim, e uma nova eleição agora criaria uma instabilidade muito grande. Como é que eu vou torcer por isso? Cabe a mim respeitar o que o povo decidiu em 2018, e quem quiser ser governador de Sergipe, quem quer disputar o Governo de Sergipe, que aguarde o momento certo. Que se espere por 2022, daqui a pouco mais de três anos”, insiste André Moura.

“Teríamos com uma eleição agora uma instabilidade gigantesca. E uma instabilidade em todos os sentidos: econômica e política. Eu não estou trabalhando pela desgraça de Belivaldo Chagas e nem pela de ninguém. É muito ruim. Eu sei o que é isso. Eu vejo que o Governo de Belivaldo Chagas precisa melhorar a interlocução com a iniciativa privada, precisa melhorar a interlocução com o Governo Federal, precisa captar mais recursos para Sergipe. Precisa de tudo isso. Mas Belivaldo cassado num momento como esse e ter uma nova eleição paralisaríamos o Estado”, afirma o ex-deputado federal.

“Vamos ser sensatos: paralisaria Sergipe por no mínimo um ano. Mas o reflexo desse processos não seria de somente um ano. Seria de muito mais pra frente. Me recuso a tratar de cassação de Belivaldo para favorecer uma eventual candidatura minha ao Governo Sergipe. Para mim, há nisso zero de chance. Quem vê ao contrário, está pensando somente em si e não no Estado de Sergipe”, diz André.