Aparte
Edvaldo Nogueira: “Não entraria num partido assim à queima-roupa”
291a2a6906e36bbb

Edvaldo Nogueira: nada de desvencilhar de ninguém


Dos Estados Unidos, o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, PCdoB, roubou a cena política na manhã desta quarta-feira em Aracaju. De lá, ele negou, logo às 9h59 da manhã, via no tuíter, a informação de que teria procurado Álvaro Dias em busca do Podemos para que ele comandasse em Sergipe.
 
Mais tarde, ainda na manhã, ele deu uma outra versão – diante de um informe de Álvaro de que ele conversara com a presidente do Podemos. “Eu não procurei Renata Abreu. Ela é quem me visitou no meu gabinete, acompanhada de Zezinho Sobral, e me convidou para que eu me filiasse ao Podemos”, disse Edvaldo. “Eu disse (a Renata Abreu) que não estava tratando deste tema no momento”, afirma Edvaldo.
 
Por volta das 17h, de Nova Iorque, Edvaldo disse por telefone à coluna Aparte que o encontro na sede da Prefeitura contou com a participação ainda do secretário de Governo, Carlos Cauê. Mas que não passou de um gesto cordial de receber Renata. “Eu recebo qualquer um que me procurar. E inclusive achei a Renata muito bem informada”, diz. A moça é deputada federal por São Paulo.
 
Edvaldo admitiu a esta coluna que não lhe passa pela cabeça deixar o PC do B. E que, se pensasse, não o faria apenas pensando em uma eleição. “Ela me convidou e eu disse que não tinha interesse de mudar de partido. Eu disse a ela que tenho 36 anos no mesmo partido e que talvez seja o único político que nunca mudou de sigla em Sergipe”, diz.
 
“Se um dia eu tiver que entrar em um outro partido, por deixar o PC do B, terei que discutir, e muito. Não entraria num partido assim à queima-roupa. E depois tem outra coisa: não tem em curso nenhuma necessidade de me desvencilhar de PT ou do PC do B, como disseram. Quando Déda era govenador, ele me convidou diversas vezes para ir para o PT. Eu nunca quis ir. O PT nunca fez a minha cabeça. Aliás, eu sempre fui mais um aliado de Déda do que do PT”, diz. Então está certo!