Aparte
Laércio Oliveira considera Rodrigo Maia “um bom gestor da Câmara” e quer reelegê-lo
5322302126a72057

Laércio Oliveira: buscando a sintonia no entorno de Rodrigo Maia

Em recesso, o deputado federal Laércio Oliveira, PP, esteve em Brasília nesta semana para tratar de entendimentos na esfera do seu partido que possam garantir a eleição do deputado federal Rodrigo Maia, DEM do Rio de Janeiro, para mais um mandato de presidente da Câmara Federal - o que começa em 1º de fevereiro deste ano.

Para Laércio Oliveira, Rodrigo Maia é visto como um “bom gestor da Câmara” e isso geraria conforto e possibilidade de reelegê-lo. “Rodrigo Maia é um gestor do Legislativo Federal muito bom. Ele é conciliador, atende a todos dentro do possível, procura fazer a governança ouvindo situação e oposição, honrando os compromissos que acerta na mesa de negociação, principalmente com o Colégio de Líderes. Ele bota os projetos em sintonia no ponto em que o Governo deseja, sendo leal nessas posições e as adotando muito claramente. Enfim, tendo uma interlocução muito boa com todas as bancadas”, traduz Laércio.

“E me parece, por uma vivência própria da Câmara Federal, que Rodrigo Maia quebrou o grande empecilho que havia aqui, que era o de se combinar uma coisa e não cumprir. Ele não é assim. Sendo como é, sem muita conversa e muito pragmático, quando diz que vai fazer, faz. E isso cria uma base de confiança muito boa. De modo que com ele a Câmara não estaria em mãos ruins nos próximos dois anos, e o Governo já enxergou isso”, diz Laércio.

O deputado federal do PP de Sergipe aponta, como um breve problema, a existência de algumas outras candidaturas avulsas ao processo de escolha do futuro presidente. Mas até isso ele acha tudo conciliável. “São seis candidatos à Presidência da Câmara, apesar de a cada dia que passa ir mais afunilando - até o DEM tem um outro candidato, um novato. Mas há nomes do PR, do PC do B, do PSOL e do MDB”, diz Laércio.

“Tem muita gente nova chegando. É a metade da Câmara. E essa metade tem uma visão, que é natural de quem chega, de achar que a realidade de Brasília é compatível com a realidade de cada um deles. Mas essa ficha cai seis meses depois. Nós entendemos esse deslumbre do primeiro momento até que se cai na realidade do Congresso Nacional. A minha bancada, por exemplo, tem 38 deputados federais e o PSL tem 57. E há uma conversa do PSL para seguir com Rodrigo Maia. Já existe um pré-acordo nesse sentido”, diz Laércio.

“E eu vim aqui ajudar ao meu partido nessa disputa pela composição. Estamos tentando construir uma unidade em torno exatamente do nome de Rodrigo. O PP é um dos principais partidos do Centrão, sempre teve uma alinhamento com ele e estamos tentando ver se evitamos uma disputa e sair com o Centrão todo unido, resolvendo logo isso sem precisar haver um bate-chapa. Há uns arranhos no meio do caminho, mas estamos tentando arrumar”, diz o parlamentar. Laércio retornou de Brasília nesta quinta.