Aparte
Opinião - Sexo: de aluna a professora
E17a3112aea2ffae

[*] Adalberto Vasconcelos Andrade

O tabu da diferença de idade entre os casais já não existe mais. Hoje em dia, é fácil encontrar mulheres acompanhadas de homens mais jovens, bem como adolescentes de 16 a 18 anos se interessando por homens entre 30 a 45 anos.

As razões e opiniões são as mais diversas, mas a intenção é uma só: relações afetivas e sexuais plenas. Os homens são frágeis por natureza e estão, a todo tempo, tentando provar a sua masculinidade, não importa a idade.

Há todo um aspecto psicológico que faz com que se comportem assim. Em razão dessa fragilidade, há uma tendência a se interessarem por adolescentes, porque com elas se sentirão donos absolutos da situação.

Em contrapartida, as garotas estão vendo nos homens de meia idade uma oportunidade de crescimento. Aparentemente, esses coroas estão oferecendo a elas algo que os meninos de sua idade não sabem ou não podem oferecer.

Mas não se relacionam hoje em dia com um homem mais maduro por acaso. Elas têm consciência de que muitos só querem sexo, mas procuram nessa relação tirar o máximo de proveito. 

Para muitas, o momento é de experimentar e de se divertir. De acordo com elas, os garotos na maioria das vezes vão querendo sexo logo no primeiro encontro.

Teoricamente, o homem com mais de 30 anos já não tem tanta pressa, sabe criar o clima e sexualmente é mais compreensivo e experiente.

Reclamam também que os rapazes se preocupam mais em sair contando para os amigos que transaram com elas do que com a sua própria satisfação sexual.

Se um ou outro se sobressai, é por puro instinto. Geralmente, o jovem, pela sua pouca experiência, acaba atropelando as preliminares, preocupado apenas com o seu prazer imediato.

Mas é importante lembrar que, para algumas garotas, sexo é o que menos importa. É apenas o complemento. O que elas querem mesmo é carinho, compreensão e apoio em todos os sentidos. Inclusive no financeiro.

Um dos motivos para toda essa disponibilidade das adolescentes é, sem dúvida alguma, a queda do tabu da virgindade. Enquanto para o homem maduro seduzir uma garota nova significa autoafirmação e prestígio, para elas é uma oportunidade de se conhecer melhor, descobrir suas potencialidades e vencer aos poucos o medo da própria sensualidade.

Por outro lado, é impossível ficar indiferente ao comportamento das mulheres na idade da loba. Senhoras com mais de 40 anos estão assumindo publicamente casos com homens mais novos e estão mudando conceitos e valores solidificados há décadas. 

O saudoso sexólogo paulista Moacir Costa, em declaração à revista IstoÉ (10/05/1995), já previa que, na virada do século, que metade das brasileiras nessa faixa etária estaria se relacionando com rapazes de 25 anos. 

Segundo ele, é depois dos 30 que elas encontram a maturidade sexual. Aos 40, vivem a plenitude e dificilmente encontram homens na mesma faixa etária com disposição para satisfazer um grau de exigência cada vez mais apurado.

Na mitologia grega, há um caso clássico de relacionamento entre uma mulher e um parceiro mais novo que percorre os tempos. Édipo e Jocasta se casaram sem saber que eram mãe e filho. Jocasta devia ser, no mínimo, uma década mais velha que ele.

Atualmente, como podemos ver, o complexo de Édipo não existe mais. Pelo contrário, os jovens além de se divertir, querem aprender, e estão cada vez mais dispostos a se envolver com mulheres maduras. Vivem fantasiando com a expectativa de serem bons alunos na cama delas.

As quarentonas disponíveis não estão à procura de casamento. Querem apenas namorar e aproveitar melhor a vida - de preferência com um jovem viril e cheio de amor para dar.

Solteiras, independentes e liberadas, as mulheres hoje têm mais coragem de assumir o que querem sem dar satisfação a ninguém. Faz parte do espaço conquistado por elas. Aos poucos, quebram resistências e impõem novos comportamentos.

Em suma, a jovem deseja homens experientes, mas quando amadurece, quer os novos. No íntimo, a mulher quer despertar o fascínio nos homens, dominar, ser dona da situação, mas se deu conta de que isto só é possível quando os papéis se invertem, e ela passa de aluna a professora.

 [*] É administrador de Empresas, policial rodoviário federal aposentado e escritor. Este texto de autoria foi publicado como forma de homenagem ao Mês dos Namorados.