Aparte
Opinião - Edvaldo Nogueira comanda a “direitona”
Ab4904ed11424555

[*] Almeida Lima

Carlos Cauê publicou artigo em que enaltece Edvaldo Nogueira pela sua “coragem de enfrentar o desafio de ir além do PCdoB”. Pasmo, fiquei a me perguntar: coragem? desafio? Meu Deus, quanto farisaísmo!!!

Ora, ora... Edvaldo Nogueira precisa ter coragem é para enfrentar o desafio do desemprego que castiga as famílias de Aracaju; coragem para enfrentar os empresários e baixar o preço da tarifa de ônibus que é das mais caras entre as capitais do país; precisa é de coragem e vergonha para revogar o IPTU, como disse que faria, e não fez; coragem para fazer a limpeza da cidade diretamente pela Emsurb, gastando apenas 40% do que gasta hoje com as empresas privadas.

Coragem e desafio para sair do PCdoB? Essa é a desculpa esfarrapada para ir comandar a “direitona”. Essa é a razão pela qual Edvaldo não tem um projeto de geração de emprego, é a razão para patrocinar uma tarifa cara de ônibus, e é a razão para deixar empresas de limpeza ganhando rios de dinheiro. O bom convívio com os empresários fez de Edvaldo o novo rico, insensível às causas sociais. Ah, Edvaldo, quem te viu e quem te vê.

A história será implacável. Ela irá cobrar coerência a Edvaldo, a exemplo do que já fez com tantos, e lhe reservará, também, o ostracismo e a pecha de quem usou o poder traindo o povo.

Sei que as pessoas têm o direito ao revisionismo, embora não seja esse o caso de Edvaldo. Ele não está mudando, ele continua o mesmo, apenas a atual circunstância lhe revela diante de olhares incrédulos que, como eu, imaginava ter convivido com um político humanista, sensível e popular.

Qual nada. O Edvaldo se revela o oportunista que, sem qualquer pudor, usou a todos nós para chegar ao poder em nome de um projeto popular, e agora dar as costas ao povo em troca do banquete posto pelo baronato que lhe apoia.

[*] É advogado, ex-prefeito de Aracaju, ex-senador, ex-deputado federal e ex-secretário de Estado da Saúde de Sergipe.