Aparte
Opinião - José Carlos Machado está no páreo
95a66e25fe8ba670

Thiago Reis: "Foi a falta de iniciativa que levou José Carlos Machado a esse momento delicado"

[*] Thiago Reis

Certa vez, ouvi do ex-vice-prefeito José Carlos Machado a afirmação de que “na política, muitas vezes o excesso de iniciativa pode causar danos irreparáveis” e, considerando o atual momento vivido por ele, posso dizer que o inverso dessa teoria se aplica perfeitamente ao imbróglio resultante da Operação Caça-Fantasmas.

Foi a falta de iniciativa que levou José Carlos Machado a esse momento delicado, quando, por lealdade, ele preferiu se abster, silenciando diante de situações que estavam em desacordo com os preceitos da gestão pública, para evitar constrangimentos ao amigo e prefeito João Alves.

Mas flagrante era o seu descontentamento, publicamente externado em diversas entrevistas ao longo dos quatro anos da gestão alvista, fazendo diversas críticas ao modus operandi adotado pela equipe do Negão.

Agora, por ironia do destino, sobre os ombros de Machado recai o peso da falta de iniciativa, contradizendo sua própria teoria. Mas contrariando politicamente os analistas de plantão, o Machadão continua no páreo por uma das vagas na Câmara.

Ser investigado pelo Ministério Público Estadual não inviabiliza ninguém politicamente. Até porque, a presunção de inocência deve prevalecer e até o processo transitado e julgado, Machado permanece como um homem público com histórico irretocável.

Além disso, considerando empecilhos de natureza jurídica, muitos são os candidatos que estão em pior situação di que Machado e que figuram entre os “elegíveis” nas análises dos que avaliam a candidatura do ex-vice-prefeito como inviável após os desdobramentos da Operação Caça-Fantasmas. Portanto, não há o que se dizer sobre o ex-vice-prefeito estar fora do páreo por uma das vagas na Câmara.

Quanto às consequências do envolvimento do Machadão no escândalo dos cargos fantasmas na gestão do ex-prefeito João Alves junto à opinião pública, só em outubro do ano que vem é que saberemos se os analistas de plantão têm razão ou se o histórico de Machado enquanto homem público será suficiente para fazê-lo merecer​ a confiança do eleitor.

[*] É servidor público do Estado e blogueiro