YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author 4eb5c947b54eb69b
Jozailto Lima

É jornalista com 35 anos de experiência profissional. Antes do Cinform, trabalhou nos jornais Feira Hoje, Tribuna da Bahia, Jornal da Bahia, TV Subaé e Jornal de Sergipe.

Eduardo Amorim lança dia 18 candidatura ao Governo e busca uma mulher para vice
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
36d209f39ab94207

Eduardo Amorim: enfim, um ato demarcador no dia 18 (Foto: Roque de Sá/Agência Senado)

Depois ter arrastado efetivamente parte do PRB, a de Heleno Silva e Jony Marcos, para o seu bloco, o pré-candidato ao Governo de Sergipe pelo PSDB, senador Eduardo Amorim, dará um passo definitivo e bem amarrador ao lançar efetivamente sua candidatura no próximo dia 18, a sexta-feira da semana que vem.

Vai ser um evento efetivamente para a imprensa, durante o qual Eduardo Amorim dirá, de forma mais consistente, do seu projeto e das suas reais pretensões. Ele deve apresentar-se já com os nomes dos pré-candidatos ao Senado, nas figuras de Heleno e de André Moura.

Numa comparação com a pré-candidatura governista de Belivaldo Chagas, o passo de Eduardo vem com um certo retardo. Outro passo importante vai ser a fixação de um ideal de candidato a vice-governador da sua chapa. Segundo o entorno de Eduardo Amorim, ele trabalha muito com a intenção de atrair uma mulher para ocupar esse espaço. 

Essa visão de gênero não é sem lógica: em Sergipe, as mulheres são um pouco mais de 3% do que os homens e, logo, compõem a maior parte do eleitorado. Elas simbolizam, politicamente, uma demanda muito reprimida. 

Eduardo idealizou ter a deputada Sílvia Fontes, PDT, esposa do ex-prefeito Fábio Henrique, como candidata a vice. As conversas estiveram bastante entabuladas, até que Belivaldo Chagas chamou o casal, se entenderam, e tudo mofou e tudo gorou para Eduardo.

Hoje, o radar do senador pré-candidato se volta para a cidade de Itabaianinha, de onde ele intenciona pinçar a vice-prefeita Janier Mota para o posto de candidata a vice-governadora. Em 2016, Janier elegeu-se vice de Danilo Carvalho, MDB, o Danilo de Joaldo. 

Mas Danilo e Janier estão rompidos, e ela tem um projeto de disputar o mandato de deputada estadual. Não se sabe ao certo o poderio eleitoral dessa senhora nem para a Alese e nem para vice, embora tenha pontuado bem em algumas pesquisas para o parlamento. 

Sabe-se, no entanto, que Janier é um mulher muito bem-sucedida empresarialmente, tanto da parte dela - é da família do maior laticínio de Nossa Senhora da Glória, embora não seja dela -, quanto da do marido, José Abílio Guimarães Primo, o rei da cerâmica, o maior produtor de blocos para construção civil de Itabaianinha. 

Janier comanda na cidade o Parque Gabriel Mota, que tem profunda expertise em eventos de vaquejadas no Nordeste e, por isso, é paparicada por outras tribos da política estadual. Mas a definição da escolha do nome do ou da vice deve ser uma das últimas etapas de Eduardo Amorim. 

Com o gesto do dia 18, ele quer mesmo é fincar o mastro do seu projeto no solo político e demarcar os limites entre as pretensões dele e as de André Moura, que ainda rouba cenas e gera confusões pelo interior adentro como se fosse o pré-candidato ao Governo. 

Além do mais, Eduardo Amorim quer, com isso, gerar garantias reais à turma do PRB de que pode vir que tem solo seguro. E é bom que seja assim, porque, depois das atitudes de Belivaldo Chagas, dificilmente Heleno e Jony Marcos retomarão o cabresto da volta ao governismo.