522eb5e945a1c35b
YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 36 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Eduardo Amorim não teria problema em dar continuidade à vida política por Itabaiana
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
094a13031f42c551

Eduardo Amorim: em Itabaiana, se sente em casa

O ex-senador Eduardo Amorim, PSDB, garantiu à Coluna Aparte que não procedem os comentários que circulam em Itabaiana de que ele teria buscado o prefeito Valmir de Francisquinho, PR, e a deputada Maria Mendonça, PSDB, para tentar, com o aval de ambos, ser consensualmente o candidato à sucessão municipal de 2020.

“Não houve conversa minha sobre sucessão de Itabaiana nem com o prefeito Valmir de Francisquinho nem a com deputada Maria Mendonça. Os dois estiveram comigo na eleição passada, votaram em nossa candidatada, mas não tratamos da sucessão de 2020”, disse o Eduardo Amorim.

O ex-senador, que jura não ter abandonado a política, apesar de estar 100% dedicado às causas médicas - ele é um anestesiologista -, afirma ter enorme apreço por Itabaiana, cidade em que nasceu, e onde ainda mora dona Celina Alves, a mãe, de 87 anos. Ele consente na possibilidade de reiniciar disputas eleitorais por lá.

“Eu nem diria recomeço, porque não parei. Mas diria que Itabaiana seria para mim, com muito orgulho, um bom motivo de continuidade. Eu comecei minha vida em Itabaiana e ela é sempre um motivo para essa continuidade”, diz.

“Tenho ido a Itabaiana quase todas as semanas e não vou negar que as pessoas me abordam sobre uma eventual candidatura a prefeito. Nos hospitais, nos consultórios, as pessoas têm me abordado muito sobre política. Não só de Itabaiana, mas sobre o Estado todo”, ressalta.

Mas e a candidatura a prefeito da cidade serrana? “É muito cedo para definir isso. Eu sou meio Eclesiastes, segundo o qual tudo é no momento certo e na hora certa. Eu nunca deixei a política. E não estou escondido. Há determinados dias da semana em que as pessoas me encontram na sede do PSDB. Ademais, retornar à disputa eleitoral de 2020 não é uma decisão só minha. Isso cabe também ao partido. Ele tem que querer”, pondera.

O ex-senador Eduardo Amorim considera hipoteticamente impossível ser uma opção de Valmir e de Maria. Mas adverte: “Não sou inimigo de ninguém e me relaciono muito bem com os dois. Maria pertence ao meu partido e ambos são amigos meus. Não posso falar da condição de entre si. Eu não quereria conduzir Itabaiana com uma disputa entre os dois. Não gosto de estar lutando contra amigos e portanto não gostaria disso lá”, avisa.