YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author fbd5d65740160840
Tanuza Oliveira

Jornalista desde 2010, com formação pela Unit e atuação em veículos impressos e em assessorias de comunicação em Sergipe. É repórter Especial do JLPolítica desde 2017.

Elayne de Dedé: “A mulher precisa se aproximar mais desse veículo transformador que é a política”
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
Ea0340c958158946

Elayne de Dedé: bons exemplos têm incentivado a mudar paradigmas

Há seis anos e oito meses à frente da Prefeitura de Malhador, Elayne Oliveira de Araújo, mais conhecida como Elayne de Dedé, é mais um exemplo feminino que ingressou na política herdando o espólio eleitoral - além do nome – de um familiar, mas que, hoje, mostra saber caminhar com as próprias pernas.

Para Elayne, nascer numa família onde a paixão pela política é tão forte a tornou naturalmente herdeira de muitos valores - para além dos votos. “Sempre vi em meu pai, Dedé do Inhame, um homem que sempre honrou sua honestidade e durante toda sua vida teve um olhar muito especial para ajudar às pessoas, independentemente de partidarismo, cor, religião, condição social... Isso eu tenho comigo”, afirma.

Elayne de Dedé diz que, na atuação como prefeita, acrescenta a esses valores o olhar e a sensibilidade de mulher, principalmente nas questões que fazem com que a qualidade de vida das pessoas avance. “Motivo pelo qual existe a política”, considera.

Embora pense isso sobre a política, ao ser questionada sobre o seu futuro, Elayne diz que prefere investir o tempo dela no trabalho, na dedicação a essa causa em que acredita. “O que vai acontecer no futuro, deixo para que o tempo amadureça as ideias e nos leve pelos caminhos naturais traçados pelo dia a dia”, diz ela, fazendo mistério.

De acordo com Elayne, infelizmente, as burocracias administrativas engessam as ações destinadas ao bem das comunidades e, acompanhada da escassez de recursos, dificultam bastante a administração. “Mas sou grata a Deus e aos malhadorenses por me proporcionarem a honra de gerir nossa cidade. A minha motivação diária é realizar o plano de governo, inaugurar uma obra, pagar servidores todo dia 30 do mês e promover melhorias frequentes para nossos agricultores”, assegura.

Nesse hall de realizações, a prefeita destaca a obra de implantação da rede de saneamento básico em todo o município como uma das principais. “Vai trazer bem-estar e saúde para nossa gente. Mas temos ações em todas a áreas, a exemplo da educação, onde reformamos dez das 12 escolas existentes e construímos mais duas”, revela.

Além disso, Elayne ressalta ações na saúde - humanização do atendimento, construção de uma Unidade de Saúde, reforma de outras oito UBS, etc. “Na infraestrutura, levamos pavimentação asfáltica e com paralelepípedos para várias ruas da cidade e dos povoados, entregamos equipamentos, além de carro-pipa”, ressalta.

Apesar de pequeno, o município de Malhador tem um grupo oposicionista forte e organizado que geralmente confronta a gestora do município. Mas Elayne garante: “aprendi que crescemos mais nos confrontos do que na calmaria”.

“Vejo as demandas da sociedade como forma de continuar prestando bons serviços a todos. O que me incomodava mais eram as fakes news, denúncias infundadas ao Ministério Público, mas como venho ganhando todas, respondendo com a verdade e documentos, fico mais tranquila para concluir meu mandato com bastante êxito”, afirma.

Elayne afirma que ainda acho pouco o número de mulheres sergipanas no comando dos municípios. “A mulher precisa se aproximar mais, trazer sua sensibilidade, seu posicionamento forte e sua boa vontade em transformar a vida das pessoas através desse grande veículo transformador de vidas que é a política”, opina.

Para ela, gerir um município exige dedicação e capacidade, e isso não tem a ver com gênero. “Quem me conhece, sabe que em meu trabalho não cabe discriminação ou chacota, porque não deixo espaço para isso. Acredito que a sociedade já está bem consciente do papel da mulher e mais do que nunca cabe o uso da frase popular: lugar de mulher é onde ela quiser”, argumenta.

Mas Elayne admite que ainda existe uma timidez bastante significativa das mulheres na política sergipana. “Considero isso um fato natural, porém com seu tempo contado. Os bons exemplos de grandes mulheres na política e em muitas outras áreas têm incentivado para que estejamos mais atentas e dispostas a mudar paradigmas”, avalia.

Ela acredita na política como veículo transformador da sociedade. Sendo candidata ou votando, a mulher precisa se aproximar das causas mais importantes da comunidade ter a consciência de sua participação. “A vida das pessoas espera nossas atitudes na educação, saúde, assistência social, esporte, lazer... Assumi esse compromisso e sigo firme investindo meu tempo e minha dedicação para fazer de nosso município um local digno para todos”.