YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 36 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Emanoel Sobral admite que está no projeto da sucessão de Itaporanga D’Ajuda
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
2c66b4ad18e921f3

Emanoel Silveira Sobral: maturando um projeto pela sucessão de Itaporanga D’Ajuda

O ex-superintendente do Sebrae, e atual diretor-Técnico dessa instituição em Sergipe, Emanoel Silveira Sobral, 66 anos, admitiu nesta segunda, 6, que é um dos nomes predispostos a disputar a sucessão municipal de Itaporanga D’Ajuda ano que vem - 2020. Ele é filiado ao Podemos.

“Mas devo dizer que não sou só eu. Tem meu nome e mais os de dois sobrinhos meus - Faustinho Sobral e Ivan Sobral, filhos de minha irmã Fátima e do meu irmão Eduardo”, anuncia Emanoel Sobral, com a pretensão de deixar bem patente que o processo será aberto e democrático. O Faustinho, filho de Sérgio e de Fátima Sobral, do Creci, atua no mercado imobiliário, e Ivan é presidente da Federação da Agricultura do Estado de Sergipe, posto exercido por muito tempo pelo pai dele, Eduardo Silveira Sobral

“A gente tem um projeto comum. Um dos três poderá ser o candidato a perfeito - e defendo que seja aquele que estiver em melhores condições. Não estou dizendo que eu serei e nem que estou impondo nada. Nós três temos esse projeto de oferecer uma opção nova para Itaporanga. Vai aquele que estiver em melhor posição à época”, reforça.

Na concepção do projeto de Emanoel Sobral está a tese de que o atual prefeito, Otávio Sobral, PSDB, não disputará retorno ao mandato. “Creio no que tem dito Otávio reiteradas vezes, de que não será candidato à reeleição. Se ele não for, o nosso projeto toma um corpo maior. Se ele for, pode ser que dificulte. Semana passada mesmo nós estávamos numa turma, em Uberaba, Minas Gerais, e Bosco Machado, ex-prefeito de Carira, lembrou na frente dele que ele havia dito que não seria mais candidato”, diz o Emanoel.

De um outro aspecto político, Emanoel está bem seguro. “Acho que qualquer um de nós três será uma boa opção para Itaporanga, porque a cidade está cansada da dobradinha Cesar Mandarino x Gracinha Garcez ou Gracinha Garcez X Cesar Mandarino”, diz Emanoel.

Emanoel não acredita na possibilidade de os ex-prefeitos Cesar e Gracinha, oponentes históricos, se juntarem em 2020. “Isso é o comentário da cidade, mas mesmo que se materialize não faz de ninguém imbatível. Imbatível era o PT até o começo do ano passado para a Presidência da República, quando entrou Jair Bolsonaro e ganhou a eleição”, diz. Em 2016, Gracinha perdeu a reeleição para Otávio de 10.880 votos a 8.924. Faustinho Sobral era seu candidato a vice depois de ter sido secretário municipal.

“Gracinha de novo agora seria a permanência daquele projeto de assistencialismo, sem que se pense nada estruturante para a cidade, sem nenhuma política de desenvolvimento. Eu acho que condição de disputar a Prefeitura de Itaporanga D’Ajuda eu tenho”, diz ele.

Aliás, pouca gente da nova geração sabe, mas Emanoel Silveira Sobral, que tem 21 anos de Sebrae, não é um cristão novo nesse negócio de política. E não o é duplamente. Além de ser um dos 10 filhos do grande Manoel Conde Sobral, que fora prefeito de Itaporanga, deputado estadual por cinco mandatos e presidente do Banese, ele próprio já comandou Itaporanga.  

“Eu fui prefeito de Itaporanga de 1977 a 1988. Eu tinha apenas 23 anos e assumi em 1º de fevereiro de 1977 e entreguei em 1º de fevereiro de 1983. Foi um outro mandato de seis anos, como aquele de 1983 a 1988. Eu entreguei a Prefeitura a Arnaldo Garcez”, relembra Emanoel. Arnaldo Garcez fora governador de Sergipe.

Em 1976, Emanoel foi candidato a prefeito pela Arena contra três candidatos pela legenda do MDB - MDB 1, MDB 2 e MDB 3 -, o que era permitido na época. Venceu a Hélio Vanderlei Sobral, um parente deles, Mário Jorge e a Zé de Lavina. Ele tenta montar uma estrutura agora a partir dessa suposta pretensão de Otávio Sobral de não querer disputar a sucessão de si mesmo. Seja qual for a decisão de tudo isso, a sucessão de Itaporanga em 2020 estará rodando no âmbito familiar.

Otávio lhe é um primo-irmão, categoria sociológica em que se encaixam os nascidos de pais irmãos que sejam casados com mães irmãs. “O mesmo sobrenome de Otávio é o meu - Silveira Sobral”, ressalva Emanoel. A Coluna Aparte ligou diversas vezes nesta segunda, dia 6, para Otávio Silveira Sobral com a intenção de consultá-lo sobre a suposta desistência de ir à reeleição. Mas ele não atendeu a nenhuma das vezes.