YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 36 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Encontro de Belivaldo Chagas com Jair Bolsonaro é bom para Sergipe
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
79a4195b2e1f3528

Belivaldo, Jair Bolsonaro e Fábio Reis: interesses de Sergipe na pauta

A visita do governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, PSD, ao presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, PSL, materializada na tarde desta quarta-feira, 8 de maio, transita entre o simples e o extraordinário. O significativo.

O simples, porque vai do natural ao óbvio que um governador de Estado visite um presidente de República e a ele leve as demandas estaduais. O extraordinário e o significativo vêm das diferenças de origens políticas que cobrem as biografias de um e de outro.

Belivaldo Chagas foi reeleito governador de Sergipe batendo continência para um presidiário e líder de uma das maiores quadrilhas já vistas na vida pública nacional, o Luiz Inácio Lula da SiIva que, de resto se tornou patrono e paraninfo do estorvo político que é Jair Bolsonaro, ao garantir sua vitória.

Mas isso são aspectos da política e não cabem na gestão. E, nesse sentido, Belivaldo Chagas, que não é um petista, foi extremamente sensato, mesmo antes de que tomasse posse para um mandato renovado e que Jair assumisse o novo mandato dele, ao dizer que iria governar com aquele eleito. Que, lacradas as urnas, teria no Bolsonaro o presidente de Sergipe e do Brasil, e que cumpriria ao lado dele todos os ritos que lhe coubessem e caberão.

A primeira audiência dos dois confirma isso. Nesta quarta, Belivaldo Chagas cumpriu uma agenda pessoal. Nesta quinta, 9, ele cumprirá uma coletiva, envolvendo a ele e a seus demais oito colegas governadores do Nordeste.

Não custa aqui lembrar que o Nordeste, onde estão 26% da população brasileira - quase 60 milhões de habitantes -, foi a única região do Brasil na qual Bolsonaro não ganhou a eleição. Portanto, que todos os demais oito governadores pensem como Belivaldo: por mais que Bolsonaro dê indicativos de que faz um Governo sofrível - e até temível -, ele é o presidente também do Nordeste.

Mas Belivaldo Chagas não foi a Jair Bolsonaro apenas para lhe dizer que é politicamente tolerante com o seu contrário. Ele foi para dizer que o Estado mais pobre entre os nove do Nordeste carece da mão e do olhar e ativos e participativos do Governo da União.

E isso tem nome - segundo a lista de temas que os dois chefes de Executivos trataram devidamente levada pelo sergipano: mais casas para Sergipe, duplicação para a Adutora do Piauitinga, que atende à maior cidade do interior do Estado, Lagarto e seu entorno, duplicação da BR-235 e uma destinação funcional à parada Fafen, entre outros temas.

É claro que foi apenas o primeiro de alguns rounds que se espera venham a ter governador e presidente, com os interesses de Sergipe, e do Brasil, mediando as diferenças ideológicas existentes entre ambos. Mas tinha de haver o primeiro.

Ao deixar a audiência, o próprio governador Belivaldo Chagas se encarregou de, num vídeo, dizer da satisfação em ter materializando aquele encontro. “Acabo de sair agora de uma audiência com o presidente Bolsonaro. Quero dizer que fui muito bem recebido, e Sergipe agradece por isso”, disse ele.

E disse mais: “O presidente da República fez questão de convidar um verdadeiro staff com vários ministros para nos receber. Apresentamos reivindicações de interesse de Sergipe do campo da construção de unidades habitacionais à possibilidade de fazer uma concessão da BR-235, estadualizando-a portanto para que a gente possa fazer uma PMI. Tratamos da Fafen”, disse. Ah, PMI é Procedimento de Manifestação de Interesse, um estágio prévio de consulta para saber se algum grupo empresarial vai botar a boca na botija do “interesse” de uma PPP. Só então, parte-se para viabilizá-la. 

Tem mais: “Todo o pessoal dos ministérios das Minas e Energia e da Petrobras fez questão de estar presente também. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio (Gomes de Freitas) e do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto. Enfim, uma reunião extremamente importante, onde as reivindicações foram apresentadas e o presidente fez questão de dizer que iria analisar todas elas com carinho”, completou.

“Aproveitei, também, a oportunidade para, ao lado do deputado Fábio Reis, tratar da duplicação da Adutora do Piauitinga, e o ministro Canuto reforçou que todos os estudos estão sendo concretizados, concluídos, e há a possibilidade, inclusive, de haver nos próximos dias suplementação orçamentária para que a gente possa dar início a essa obra tão importante. Portanto, um dia produtivo”, disse Belivaldo. Que esse dia vire uma gestão positiva.