Aparte
Gilson Andrade e os gestos que revelam bem a personalidade de uma pessoa
B36cbd56ba8bf874

Gilson Andrade em audiência com Vladmir Carvalho: boa ação, independentemente do resultado

Em apenas uma semana, duas ações do prefeito de Estância, Gilson Andrade, sem partido, chamaram a atenção da comunidade de Estância. E não pelas ações em si, isoladamente, mas pelo que elas representam. É bem simples entender isso.

Na quinta da semana passada, 2 de maio, Gilson, numa ação alusiva aos 171 anos de Estância, bancou a publicação do livro Sombras da Saudade, do escritor sergipano radicado na Bahia, Carlos Modesto. É uma ação simbólica, mas que foi reconhecida pelo artista.

“Apresentei esse livro a gente de Estância, de Aracaju e de Sergipe todo - isso há anos. Mas foi só Gilson quem se comprometeu com a publicação e agora cumpriu”, disse o próprio Carlos no lançamento da obra que trata dos antigos cinemas dessa cidade do Sul sergipano.

Aí chega-se até esta semana, quando o prefeito estanciano se mandou pro Recife numa luta interessante. Visitou o presidente do TRF5, o também sergipano - e identicamente itabaianense, assim como Gilson - Vladimir Souza Carvalho para pedir pelos “bugueiros” da Praia do Saco.

Esse é um tema que está aviltando Sergipe. Cerca de 40 pais de família que tiravam dos passeios de bugues nas belas dunas do Saco o seu sustento, agora são proibidos por decisão da Justiça Federal em Sergipe. Lógico que Gilson não decidirá sobre isso. Quem desembargará, ou não, é a Justiça.

Mas a atitude do prefeito de Estância, de tentar repor essa atividade ao turismo e aos trabalhadores dessa área, fala muito sobre quem ele é. Porque ver um prefeito se comprometer com o lançamento de um livro histórico e, de fato, lançá-lo, cumprindo a palavra dada, e vê-lo indo à Justiça, sendo que a maioria dos prefeitos corre léguas desse tipo de compromisso, são coisas que dão a real dimensão do perfil de Gilson Andrade.

Convém salientar que não é só a figura do prefeito que está à frente desse tipo de ação. É a de um ser humano com muito desprendimento que abraça causas muitas vezes relegadas a segundo plano, caso do importante apoio a um lançamento editorial, e causas que muitos se sentem intimidados de enfrentar, como a de buscar o Judiciário para que se faça justiça e se mantenha pais e mães de família com sua renda garantida e o turismo ativado.

Nesse casos - e em outros, como o de garantir Bolsa Salário a fateiras desamparados com o fechamento do matadouro de Estância -, na verdade, não é nem para se louvar o prefeito, a figura pública. É para se louvar o homem - ou a sensibilidade dele. Portanto, mandou bem, viu seu Gilson Andrade?