YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 36 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Fábio Reis vê confiança “roída” entre Valmir e Gustinho, mas não assume que disputará Lagarto em 2020
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
Dfd5f73b629d755d

Fabio Reis: "Nunca digo que dessa água não beberei"

Com muita discrição, sem entrar nos meandros da suposta desavença, o deputado federal Fábio Reis, MDB, aposta que a confiança entre seu colega deputado federal eleito ano passado, Gustinho Ribeiro, SD, e prefeito de Lagarto, Valmir Monteiro, PSC, ruiu de vez.

Os dois são seus oponentes. “Todo mundo na cidade sabe que a convivência entre eles ruiu. Ruiu a confiança, principalmente”, diz Fábio. “Melhor não fazer nenhum tipo de comentário, mesmo porque Valmir sabe mais do que todo mundo tudo o que aconteceu”, reforça o deputado.

Neste contexto de confiança supostamente solapada entre os aliados Gustinho e Valmir – há boatos de que Gustinho, cuja esposa Hilda Ribeiro é a vice-prefeita, teria procurado o advogado de Valmir e pedido que ele parasse de defendê-lo - há fundos rumores em Lagarto de que Fábio Reis já está pré-candidatíssimo a prefeito da cidade em 2020.

A isso, Fábio Reis responde com evasivas. “Olhe, eu nunca digo que dessa água não beberei. Mas, por enquanto, só penso na minha reeleição de deputado federal”, desconversa. Mas e qual o motivo para que o nome dele apareça 100% como pré-candidato a prefeito? 

“Eu acho que as pessoas dizem isso pelo sentimento das ruas. Pelo desejo da população lagartense, pelo resultado dessa última eleição, pelo trabalho que venho fazendo. E, sobretudo, pelo amor que tenho à minha terra. Isso é um fato, e eu não posso fugir dele”, responde. 

Em 2018, dos 64.879 votos obtidos para se reeleger deputado federal, Fábio obteve 16.997 entre os lagartenses, e Gustinho, 11.294. Veja o que mais ele fala nesta entrevista para a Coluna Aparte. 

Aparte - Qual a sua disposição para 2020 perante a disputa da Prefeitura de Lagarto? O senhor pretende ou não disputar a gestão do município? 
Fábio Reis -
Olhe, eu nunca digo que dessa água não beberei. Mas, por enquanto, só penso na minha reeleição de deputado federal e em continuar nosso trabalho lá em Brasília para que a gente possa continuar fazendo essa ação que venho desempenhando pelo Estado. Claro que devo fazer algumas mudanças de área de atuação, para que possa continuar melhorando a qualidade de vida das pessoas.

Aparte - Mas de onde vem as convicções lagartenses, inclusive de familiares seus, de que o senhor é 100% candidato a prefeito em 2020? 
FR -
Eu acho que as pessoas dizem isso pelo sentimento das ruas. Pelo desejo da população lagartense, pelo resultado dessa última eleição, pelo trabalho que venho fazendo. E, sobretudo, pelo amor que tenho à minha terra. Isso é um fato, e eu não posso fugir dele.

Aparte - Mas o senhor não sonha um dia administrá-la?  
FR -
Quem não sonha? Mas acho que tudo tem seu tempo.

Aparte - E o seu tempo não seria agora em 2020? 
FR -
Insisto e reforço: nunca digo que digo que dessa água não beberei. 

Aparte - Nisso está implícito que o senhor poderá disputar a Prefeitura?  
FR -
Depende muito. Se você perguntar sobre o agora, digo que não. Mas amanhã pode ser que sim. 

Aparte - O senhor sentiu que nesse episódio recente do afastamento do prefeito Valmir Monteiro houve alguma trombada entre o grupo de Gustinho Ribeiro e o do prefeito. Eles ruíram, abalaram a relação? 
FR -
Todo mundo percebe houve. Todo mundo na cidade sabe que a convivência entre eles ruiu, sim. Ruiu a confiança, principalmente. 

Aparte - Mas o que houve? O senhor poderia fazer uma análise melhor? 
FR -
Nesse caso, eu prefiro não falar. Melhor não fazer nenhum tipo de comentário, mesmo porque Valmir sabe mais do que todo mundo tudo o que de fato aconteceu.
 
Aparte - Mas qual é o seu conceito de ruiu? Gustinho Ribeiro fez alguma coisa que pudesse desgarrar da confiança de Valmir? 
FR -
Eu sou a pessoa mais suspeita para falar disso, mas cada um sabe o que faz. Eu desejo é que Valmir resolva o problema dele e que conclua o seu mandato. Até porque sei até onde Valmir pode ir. 

Aparte - E até onde Valmir pode ir?
FR -
Mesmo ele concluindo o mandato, Valmir Monteiro não poderá ser mais candidato a prefeito de forma nenhuma. 

Aparte - Por que ele não pode tentar ser reeleito? 
FR -
Ele tem muitos problemas. Mas em 2016 o povo de Lagarto o elegeu e ele tem direito de concluir o seu mandato. Infelizmente, tem seus problemas, que eu desejo que ele resolva.
 
Aparte - O senhor não torce pela interdição definitiva dele? 
FR -
De jeito nenhum. O que desejo ao próximo e ao meu maior inimigo, quero que venha para mim. E em dobro.