Aparte
Gaeco formula uma nova denúncia contra o ex-vice-prefeito José Carlos Machado
D2b59ba8ba1edaf2

José Carlos Machado: complexidades a cada dia

A situação política do ex-vice-prefeito de Aracaju, José Carlos Machado, PPS, fica cada dia pior quando a Operação Caça-Fantasmas amplia suas lentes sobre os atos dele e da gestão da Prefeitura de Aracaju de 2013 a 2016.

Nesta sexta, 13, o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas - Gaeco - do Ministério Público de Sergipe - MP/SE - soltou mais uma pilulazinha contra Machado: ele agora é alvo de mais nova denúncia ajuizada na Operação Caça-Fantasmas.

Dessa vez, tudo está relacionado a mais cinco supostos servidores fantasmas lotados no ex-gabinete dele. Em dezembro do ano passado, Machado foi denunciado pelas mesma atitude - nomeação de fantasmas - e teve de dar depoimentos ao MPE/SE. 

“Encontrei o gabinete do vice-prefeito desativado pelo último gestor e solicitei ao Tribunal de Contas de Sergipe a ativação como ordenador de despesa. Mas nunca dei visto em pontos e não sabia quem comparecia ou não. A competência de nomear era do prefeito”, alegou Machado à época. O MPE indicou entre 84 e 86 comissionados fantasmas no Gabinete dele.

Na denúncia desta sexta 13 foram acionados também, além de Machado, outros gestores responsáveis pelas nomeações, como João Alves Filho, Marlene Alves Calumby, Charles José Rodrigues Júnior, Edson Leal Menezes Filho, Eliziário Silveira Sobral Filho, José Américo Sobral, José Armando Alves Santos e Nilo de Oliveira. Filiado ao PPS, Machado trabalha a construção de uma candidatura a deputado federal nas eleições deste ano e estas denúncias dificultam cada vez mais o projeto dele.