Aparte
André Moura não tem pressa para escolher 1° e 2° suplentes. “Mas terei critérios”, avisa
D82f56c5227e9faf

André Moura: “Esta decisão não vai ser tomada individualmente”

O deputado federal André Moura, PSC, pré-candidato a senador nas eleições deste ano, disse à Coluna Aparte que não tem pressa na escolha dos dois nomes que comporão com ele nas primeira e segunda suplências. Mas que terá foco.

“Eu não tenho pressa nenhuma. Mas terei critérios”, pondera o pré-candidato. “Primeiro, vou ver o alinhamento político da pessoa com a gente, com as nossas ideias, com o nosso projeto, com aquilo que a gente pensa e que deve ser a nossa linha de trabalho para o país e para Sergipe. E, segundo, deve ser um nome que some e agregue. Não tem nem que necessariamente ser do meio político. Mas tem que ser de credibilidade e de respeito”, reforça André.

Para o parlamentar, com as convenções lá dia 31 de julho – até 2014 eram no último dia de junho -, o tempo lhe será um aliado nessa escolha. “Esta é uma discussão que na verdade vou travar lá na frente, mais perto das convenções. Temos quase 50 dias aí pela frente. Temos tempo suficiente para fazer esta discussão”, diz ele.

“Tenho alguns amigos que têm nos procurado, se colocando à disposição e eu prefiro preservar os nomes. Mas devo dizer que esta decisão não vai ser tomada individualmente. Isso se dará conversando com os correligionários e com os companheiros que já estão no projeto”, garante.

No dia 18 de abril, quando André Moura lançou oficialmente sua pré-candidatura ao Senado, fez um discurso afirmando que pretende realizar um mandato de profundo alinhamento com o municipalismo sergipano e brasileiro. Isso implica convite a um ex-prefeito ou um municipalista notório para compor ele?

"Não necessariamente que seja um ex-prefeito”, diz André, dando a entender que sua visão do municipalismo basta. “Pode até ser, mas não passando por uma obrigatoriedade”, reitera ele. “Eu sou um defensor do municipalismo, mas não significa dizer que deva ter na minha chapa, como primeiro ou segundo suplente, uma pessoa descendente deste segmento. Um ex-prefeito, ou coisa assim”, reforça.

Diferentemente de André Moura, o outro pré-candidato ao Senado da coligação liderada por Eduardo Amorim, PSDB, Heleno Silva, PRB, já chegou com o pré-candidato a primeiro suplente definido. Vai ser Adailton Resende, ex-secretário municipal em Itabaiana.

Fui pela importância que Itabaiana tem para Sergipe. Uma importância econômica e política. Se depender de mim, o segundo suplente também virá do interior, de uma outra cidade forte, porque eu, como cabeça de chapa pro Senado, represento a Grande Aracaju, o maior colégio eleitoral, e seria bom ter essas pessoas com sensibilidade de outras regiões do Estado”, disse Heleno, na entrevista domingueira ao Portal JLPolítica. Leia aqui.