YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 36 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Iggor Oliveira: Toinho de Dorinha quer vender a agiotas poder da Prefeitura de 2021
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
893032eb6b2937cd

Iggor Oliveira: sem rodeios, chamando Toinho de Dorinha para a briga

O prefeito de Poço Verde, no Sul de Sergipe, Iggor Oliveira, PSC, faz uma séria denúncia contra o ex-prefeito Toinho de Dorinha, PSB, que tenta, através da esposa Edna Maria Silva Freitas Dórea, a Edna de Toinho de Dorinha, acessar a Prefeitura mais uma vez em 2020.

Toinho foi duas vezes prefeito da cidade e ainda elegeu, em 2012, o sobrinho Thiago Dória. De acordo com Iggor Oliveira, Toinho de Dorinha estaria agora recorrendo a agiotas da região em busca de dinheiro emprestado por antecipação para custear a campanha de 2020 e prometendo pagar com valor de 200% acima do recebido caso leve a Prefeitura para o seu grupo político.

“Eu não temo uma eventual candidatura de Edna de Toinho. Veja o caso do marido dela, o Toinho de Dorinha: ele anda por aqui atrás de agiotas para tomar dinheiro emprestado, já vendendo antecipadamente o poder da Prefeitura: “Ah, me dá R$ 1 milhão, que eu lhe devolvo R$ 3 milhões se Edna ganhar””, revela Iggor Oliveira.

“Toinho está fazendo isso de montão. Em Simão Dias, já procurou uma pessoa com essa proposta e em Poço Verde, já procurou três. Através de uma pessoa em Poço Verde, ele está querendo vender o apartamento dele em Aracaju por R$ 700 mil. Ele está buscando dinheiro para chegar à Prefeitura de Poço Verde e se locupletar de um poder que ele nem sabe se vai ter”, afirma Iggor Oliveira.

Apesar disso, o prefeito de Poço Verde diz que não teme o peso do grupo do ex-prefeito. “Eu acho que o grupo liderado por Toinho é forte - não vou aqui dizer que é fraco. Mas não tem nenhuma novidade, enquanto que o nosso grupo continua unido, a partir do prefeito, do vice-prefeito e dos vereadores, e foi o mesmo grupo que ganhou as eleições em 2016. A minha ideia é a de que se esse grupo se mantiver unido, a gente pode fazer o sucessor. Ou comigo mesmo ou com o meu vice-prefeito”, diz Iggor.

No caso específico de Edna de Toinho de Dorinha, Iggor Oliveira faz acusações identicamente graves. “Eu não considero Edna uma novidade. Edna representa um tipo de político que o povo está querendo abolir da política, que são os que só fazem ficar penduradas nas abas do poder para tirar proveito”, diz o prefeito.

“Hoje Edna é uma funcionária fantasma do gabinete do deputado estadual Rodrigo Valadares, com salário de R$ 4 mil para fazer nada. Na época em que o marido Toinho foi prefeito, ela sequer aparecia na Prefeitura. Ela foi uma péssima primeira dama, não deixou nenhuma marca no serviço social do município, não executou nada, nunca geriu nada na cidade - nunca foi uma secretária de Assistência Social”, diz.

Além de espicaçar os oponentes, Iggor Oliveira faz autoelogio à sua suposta ética de gestão. “O que eu gostaria de garantir é que através de nós no poder a corrupção foi abolida de Poço Verde. Nossa gestão é completamente controlada. Temos o controle de todos os gastos. Para você ter uma ideia, saímos de uma nota zero em transparência sob a gestão de Thiago Dória, sobrinho de Toinho, para uma gestão com nota 9.2 de transparência. Não sou eu que estou dizendo isso. É o site do Tribunal de Contas de Sergipe”, afirma o prefeito.