Aparte
Jackson Barreto adverte: “Sabemos que Lula venceu uma batalha, mas não venceu a guerra”
B3bced428373403b

Jackson Barreto: “Meu amor por Lula é pelo que ele representa para o país”

O ex-governador Jackson Barreto, MDB, negou, nesta sexta-feira, 8, que esteja trocando este partido pelo PT com a finalidade de disputar o mandato de deputado federal em 2022.

Para Jackson Barreto, este momento da liberação de Luiz Inácio Lula da Silva da cadeia leva a um estreitamento das suas relações com a democracia, o Estado Democrático de Direito, com o próprio Lula, “mas sem necessariamente falar em filiação ao PT”.

"Não existe essa história de eu estar me filiando ao PT. O meu amor por Lula é pelo que ele representa para o país, para o povo nordestino, para a democracia, para as liberdades e para a esquerda do Brasil. Amar Lula, gostar de Lula, querer ele como líder do país, não significa que eu deva estar me filiando ao PT”, diz Jackson.

“Todos nós sabemos que Lula venceu uma batalha, mas não venceu a guerra. Lula ainda está condenado. Todos nós democratas temos que lutar para acabar com essa condenação a ele e torná-lo elegível”, diz Jackson.

E aprofunda: “Porque ninguém sabe até onde vai esse julgamento da terceira instância. O que vale é que nós temos um líder nesse país e temos que fortalecer essa liderança. O que nós temos para liderar o Brasil e as forças populares é Luiz Inácio Lula da Silva”, diz.