YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author 4eb5c947b54eb69b
Jozailto Lima

É jornalista com 35 anos de experiência profissional. Antes do Cinform, trabalhou nos jornais Feira Hoje, Tribuna da Bahia, Jornal da Bahia, TV Subaé e Jornal de Sergipe.

Jony Marcos se junta à oposição e será coordenador da bancada no DF
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
1a7d7c2fd517f35e

Jony Marcos: promessa de assumir a coordenação da bancada de Sergipe no Congresso

Não foi na tarde desta terça-feira, porque o deputado federal Laércio Oliveira, SD, levantou crachá da dissidência e deixou a reunião. Mas hoje o deputado federal Jony Marcos, PRB, será escolhido coordenador da bancada federal de Sergipe Congresso Nacional, composta pelos oito deputados federais e os três senadores.

“Jackson Barreto não vai interferir. Ele já me pediu para votar em Laércio Oliveira uma vez, e eu votei. E outra coisa: esse é um direito meu e não posso ser cerceado nesse meu direito de ser candidato a coordenador”, disse Jony Marcos à coluna Aparte no começo desta noite. A senadora Maria do Carmo vai ser a vice-coordenadora.

Às 16h desta terça, nove dos 11 parlamentares se reuniram com o propoósito de sacramentar Jony Marcos coordenador ausentes - apenas Fábio Reis e João Daniel, embora Fábio tivesse apalavrado o seu voto pessoal a ele. E, pasmem, pela lógica, Jony será eleito sucessor do senador Antônio Carlos Valadares e não do próprio Laércio Oliveira.

Em fevereiro deste ano, Laércio foi à queda de braço com o senador Valadares pelo mando da Coordenação da bancada. Era uma briga política e, em tese, ficou ele. Mas segundo prevalência entre todos, o que conta é a consulta do então (ou atual) coordenador Valadares à Comissão Mista e Orçamento, que aponta a exigência de dois terços do Senado ( 2 senadores) e três quartos da Câmara, pelo menos cinco.

Laércio não teria obtido esse efetivo em fevereiro - tanto que, segundo Jony, nunca foi à Casa Civil protocolar a informação de que era ele o coordenador. E depois tem mais. “Em nenhum momento Laércio Oliveira agiu como coordenador da bancada neste ano. Aliás, este foi um dos motivos para que tanto os componentes da oposição quanto os da situação escolhessem o meu nome”, disse Jony a esta coluna.

O próprio Jony pediu para suspender a reunião desta terça. Segundo ele, em respeito ao desconforto exibido por Laércio, que alegou ter recebido dele uma promessa de voto. “Eu me comprometi com ele em fevereiro. Mas agora, não”, diz Jony.

“Na reunião, Laércio não concordou com minha candidatura, se levantou e se retirou da sala. A partir do momento em que Laércio levantou da sala, demonstrou que não queria disputar a eleição por ver que todos ali estavam dispostos a votar em mim. E eu não fiz campanha. Foram os próprios parlamentares que pediram que eu fosse o coordenador.

Mas a partir do momento em que se fizer a ata e todo mundo assinar como eleitor, aí eu me considero eleito. E pelo que estou percebendo, ele não vai registrar a candidatura  mais”, diz.

Com relação às suas capacidades para a missão de coordenador, Jony não se faz de humilde. “Eu estou preparado. Eu já fui vice-presidente da Câmara de Aracaju e presidente da Comissão de Finanças. Já conduzi o Plano Diretor da capital e sou estudante do 10º período de Direito. Além do mais, tenho uma assessoria competente para exercer essa coordenadoria”, diz ele