Aparte
Depois da pandemia da Covid-19, “nada será como antes”
Dc232806b6434ef6

Jorge Santana: pandemia radicaliza mudanças que já estavam em curso

Quem vai sustentar este e outros diversos pontos de vistas de ordem socioeconômica diante da pandemia do coronavírus e da Covid-19 é o engenheiro civil, empresário e homem público Jorge Santana, 58 anos, convidado da Entrevista Domingueira do Portal JLPolítica desta semana.

E não ser como antes, vai dizer Jorge Santana, significa impactantes transformações nos modos de relações sociais, notadamente nos meios de produção e circulação de bens, serviços e ideias. Mas Jorge constatará isso sem saudosismo. E nem espanto.

“O coronavírus e a estratégia de distanciamento social estão provocando um vasto conjunto de efeitos, muitos deles certamente capazes de redesenhar, não somente agora, mas em definitivo, valores, hábitos de consumo, formas de trabalhar e de estudar, dentre muitos outros aspectos”, vai observar Jorge Santana.

“Acredito que a pandemia, enquanto catalisadora do colapso social, antecipa e radicaliza mudanças que já estavam em curso, como o trabalho remoto, a educação a distância, o desenvolvimento sustentável e a cobrança da sociedade por mais responsabilidade social das empresas. Os impactos, em maior ou menor grau, em alguns casos disruptivos, atingirão as mais diversas atividades econômicas, com destaque para o comércio, a educação, a cultura, o entretenimento e o turismo”, completará ele.

Na Entrevista Domingueira, Jorge Santana, que já secretário de Estado sob Governos de Marcelo Déda, municipal de Aracaju sob Edvaldo Nogueira, e já dirigiu muitos órgãos de classe da área particular, vai falar dos ganhos de experiência nessas atividades e abordará o papel da Infox, sua empresa de software, que se prepara para cobrir os 27 estados brasileiros em breve.

Mas manifestará, também, crença de que o PT, partido para o qual ele levanta crachás, ainda pode fazer algo pelo bem do Brasil, dirá que aposta no projeto do petista Marcio Macedo na disputa pela Prefeitura de Aracaju este ano e vai estabelecer uma dicotomia entre o que é cientificamente política e a necessidade de um “grau de maturidade do conjunto da sociedade ao fazer suas escolhas” nesta esfera.

A Entrevista Domingueira vai estar disponível às 8h da amanhã deste domingo, dia 21 de junho. Vale a leitura, porque ela tem muito a dizer