Aparte
Deputado Jairo de Glória condiciona seu apoio ao Governo a quem lhe apoiar na reeleição
Bd898710f9635cdd

Jairo Santana, o de Glória: de beição para os que só querem dele

O deputado Jairo Santana, o Jairo de Glória, PRB, chegou na Alese em 2015 com 22.560 votos obtidos em 2014. Não fez um mandato opaco e quer retornar. Mas tem manifestado profundo descontentamento com os grupos políticos que conduzem a cena da política estadual de 2018.

Jairo de Glória não nega a ninguém que garante ao Governo do Estado na Assembleia as condições de governabilidade necessárias. Mas não esconde, também, desapontamento com as lideranças de Belivaldo Chagas e de Jackson Barreto, por não lhe darem a mão política nesta hora eleitoral.

O mesmo se dá com as figuras hoje de oposição, incluindo aí os seus correligionários do PRB, o pré-candidato a senador Heleno Silva e o deputado federal Jony Marcos, e gente de patente maior, como os pré-candidatos a governador Eduardo Amorim, PSDB, e o outro a senador, André Moura, PSC.

Na manhã desta segunda-feira, 9, Eduardo, André e Heleno fizeram uma visita a uma Alese em recesso, conversaram com deputados que estão no projeto eleitoral deles e terminaram parando no Gabinete de Jairo. De lá, escapou uma foto bonita, com os quatro juntos - esta de aí acima.

Mas do encontro, no entanto, não escapou nenhuma definição da opção de voto de Jairo de Glória para candidatos ao Governo do Estado. Pelo contrário, ele permanece de tromba alta. Beiçudo. Irado. Queixa-se de que do que mais precisa nesta hora - o doce do voto -, ninguém lhe oferece. Ninguém lhe molha o bico. Disse com todas as letras isso aos quatro e já fez o mesmo com JB e Belivado. 

No fundo, Jairo tem lá sua razão. A política, sobretudo na hora eleitoral, é uma atividade do toma-lá-dá-cá. E Jairo está seguro de que todos estariam esperando nessa hora somente a parte que ele poderá dar e não pensam no que ele deveria receber.  

“Veja: o deputado Luciano Pimentel segue o deputado federal Valadares Filho, não é? Você acha que Valadares Filho já não determinou que esta ou aquela liderança vote com a reeleição de Luciano? Claro que já. Mas a mim não. Nunca, em nenhum dos lados, ninguém me chamou para uma conversa. Será que Jony se esqueceu de quantos votos em arrumei para ele em 2014 em Glória?”, questiona Jairo.

Em nome dessa falta de sintonia, do que “vem de lá”, Jairo de Glória diz que não vai se definir agora por apoiar ninguém. E é, em parte, compreendido. Heleno diz que está certo, mas não consegue vê-lo desgarrado do projeto do PRB este ano.

André Moura lhe faz cocegazinhas. “Não acho que ele esteja errado. Da minha parte, lhe disse que está mais do que certo. Embora em 2014, ele não me ajudasse e nem eu o ajudei. Ele votou com Jony. Não caminhamos juntos. Mas estamos conversando para iniciar uma nova parceria a partir de agora. Voltaremos a conversar nos próximos dias”, diz André.