Aparte
Marival Santana: “Se o candidato fosse Valadares, nossa vitória teria mais sabor”
6bf490398af8714b

Marival Santana: fé na unidade do seu bloco

O prefeito de Simão Dias, Marival Santana, PSC, encarou com descrença a possibilidade de o ex-senador Antonio Carlos Valadares, PSB, ir disputar a sucessão municipal da cidade, conforme ele anunciou aqui nesta Coluna Aparte para em caso do ex-vereador simãodiense Cristiano Viana, PSB, não aceitar concorrer.

“Eu posso dizer com a maior franqueza que se Cristiano Viana não quiser - e ressalto aqui que ele é o nosso pré-candidato natural -, até eu me proponho a ser o candidato a prefeito. E outra coisa: com muito otimismo”, disse o ex-senador.

“Depois da fala do vereador Cristiano Viana, o ex-senador Valadares tinha que fazer aquilo mesmo. Assim como o deputado Rodrigo Valadares. Mas eu acho que Valadares não vem para uma candidatura, de maneira alguma. Ele apenas quis dar um gás”, disse o prefeito.

Apesar da “descrença” nessa candidatura de Valadares, Marival Santana deixa claro que gostaria de tê-lo no páreo, para que a vitória do seu grupo tivesse um sentido maior. “Se o candidato fosse Antonio Carlos Valadares, a nossa vitória teria mais sabor”, afirma o prefeito.

“Embora eu saiba que eleição só se ganha quando se conta os votos, estou muito otimista com a situação nossa aqui no município. É claro que Valadares, Cristiano e Rodrigo vão estar dizendo sempre o contrário. Mas Valadares não terá coragem de vir - eu continuo acreditando que ele não tem disposição para encarar o processo de Simão Dias”, diz o prefeito.

“Com todo o respeito ao ex-senador Valadares, que tem a sua contribuição não só para com o nosso município como para o resto do Estado, mas estamos prontos e com uma quase certeza de que ele não virá. Ademais, não podemos escolher os nossos adversários”, disse o prefeito.

Segundo Marival Santana, até o final do ano ele vai definir como ficará o cenário da sucessão de Simão Dias. “Mas hoje digo que o que tem de mais importante no nossos grupo é que todos aqueles que se colocaram à disposição do processo estão no mesmo propósito de que um votará no outro caso não seja o escolhido. Entre nós não tem aquele negócio de dizer “há, não sou candidato a prefeito nem a vice, então não tenho compromisso”. Todos estão juntos. Essa união é que faz a força e que fará nosso projeto vencedor”, afirma o prefeito.