YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author 4eb5c947b54eb69b
Jozailto Lima

É jornalista com 35 anos de experiência profissional. Antes do Cinform, trabalhou nos jornais Feira Hoje, Tribuna da Bahia, Jornal da Bahia, TV Subaé e Jornal de Sergipe.

OPINIÃO - “Companheiro Zé Carlos Teixeira, o sentimento de traição a você me causa incômodo até hoje”
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
11d707cfc85eac52

[*] Marcélio Bomfim

Companheiro José Carlos Teixeira. Você sempre foi solidário, leal e, principalmente em Sergipe, assumiu a liderança de um movimento de resistência contra a ditadura de 1964.

No entanto, deixei de votar em você para governador para votar em quem sustentou a ditadura por tantos anos, o candidato do PFL. Portanto, o candidato da ditadura, Antônio Carlos Valadares.

Isso porque nós, o PCdoB do prefeito Edvaldo Nogueira, o PCB de Wellington Mangueira, eu pessoalmente, acompanhando o ex-governador aqui presente, Jackson Barreto, resolvemos lhe trair, não votando em você para governador.

Esse sentimento de traição a você me causa incômodo até hoje, pois, como tenho dito e repetido em várias oportunidades, devo a minha vida a você e aos jornalistas Paulo Barbosa, Milton Alves, Montalvão que, burlando a censura, conseguiram enviar aos jornais do Sul do país matérias denunciando o desaparecimento de militantes políticos em Sergipe.

De posse dessas matérias, você, companheiro, com a coragem dos guerreiros indomáveis, ocupou a tribuna da Câmara Federal para denunciar o sequestro desses militantes e responsabilizar o Estado brasileiro pelas consequências dessa nefasta ação, exigindo que as autoridades informassem onde estavam os cidadãos sequestrados.

Os efeitos desse ato de coragem repercutiram em Sergipe, mudando o tratamento que vinha sendo dado aos presos, como, por exemplo, o anúncio oficial dos locais onde nos encontrávamos, e amenizaram as torturas que eram insuportáveis.

Você foi um dos grandes modelos de homem público do Brasil, mostrando a flexibilidade necessária para o seu desempenho político, que muito contribuiu para garantir a redemocratização do país.

É uma grande perda para Sergipe, para o Brasil e para a nossa história, pelo seu exemplo de vida como cidadão e a sua trajetória política.

Nos dias de hoje, seu exemplo minimiza a sua ausência, pois a imortalidade se perfaz no exemplo, em uma história digna que serve de estrela polar para os ousados navegantes do mundo.

Ao transmitir meus sentimentos de pesar a todos da sua família, lhes digo que sintam muito orgulho do legado deixado por essa pessoa tão querida e admirada.

Você, José Carlos, lutou pelo justo, pelo bom e por um mundo melhor. Você se enquadra nos dizeres de Timóteo 4:7: “Combati o bom combate; terminei a corrida, guardei a fé”.

[*] É militante político, ex-perseguido pela ditatura militar brasileira, ex-exilado sergipano na antiga União Soviética e ex-vereador de Aracaju.