Aparte
“Desafio é contrapor o religiosismo igrejeiro opressor”
E10a03e8da3a4a37

Mário Leony: delegado e ativista de direitos humanos

A fala acima é do delegado e pré-candidato a deputado federal pelo PSOL Mário Leony. Ele foi uma das fontes da Reportagem Especial do JLPolítica da semana passada, que teve como tema a relação entre política e religião. Após ler a matéria, Mário acrescentou alguns pontos de vista ao que expôs à equipe do JLPolítica e falou de como sua pré-candidatura faz alguns enfrentamentos também nesse sentido.

“Nosso desafio é contrapor o religiosismo igrejeiro opressor, que naturaliza preconceitos a partir do único modelo de família que eles entendem possível, e que é machista e patriarcal”, afirma Mário Leony, que repudia a caricaturização de um Jesus bobo e humilhado, distante do Cristo amoroso.

“Reivindico o desafio de vivenciar o Evangelho centrado na “radicalidade do amor”, como bem apontado pelo pastor Henrique Vieira. Ideal este que tem sido desvirtuado por um moralismo individualista, castrador, hipócrita, bélico, burocrata, corporativista e institucional”, opina.

Para o delegado, o mesmo Estado Laico garantidor da livre expressão de credo, ou da não crença, também resguarda a livre expressão da orientação sexual e das identidades de gênero. “Nesse sentido, a liberdade de “expressão” não pode ser confundida com a liberdade de “opressão” perpetrada por pseudocristãos que insistem em rasgar nossas Constituições e afrontar nossa democracia”, alerta.