YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author 4eb5c947b54eb69b
Jozailto Lima

É jornalista com 35 anos de experiência profissional. Antes do Cinform, trabalhou nos jornais Feira Hoje, Tribuna da Bahia, Jornal da Bahia, TV Subaé e Jornal de Sergipe.

Os 35.732 votos de Luizão Dona Trampi não lhe renderiam um mandato federal
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
9e450918730bff6a

Luizão Dona Trampi: nem ganhou e nem levou, mas foi bem votado

Mesmo assim, há que se admitir que o fiducanço do Luizão Dona Trampi foi muitíssimo bem votado como candidato a deputado federal pelo PSL, o mesmo partido de Jair Bolsonaro, nas eleições do último domingo, dia 7.

José Luiz da Mota Cruz, o Luizão Dona Trampi, é um mecânico de motos, com oficina própria na cidade de Itabaiana, e que se fez notável e zoadento como uma espécie personal influencer da galhofaria política.

Luizão atrepou-se no nome Dona Trampi, uma corruptela do nome do presidente americano Donald Trump, e através de um canal no Facebook, atira pedras para todo os lados, sempre causticamente e num linguajar caricato, bruto, conceituando todo tipo de gente da política.

Não há como negar uma certa inteligência nele. Os comentários são sempre intermediados pelo bordão de fiducanço, um primo carnal semântico do fiducabrunco. Luizão Dona Trampi candidatou-se a deputado federal e obteve os 35.732 votos.

Só na cidade de Itabaiana, foram 10.238 votos. Mas ele estava interditado pela Justiça Eleitoral. Seu nome e foto, como os de Sukita – este recebeu míseros 16.316 votos -, apareceram na urna, mas os votos dele não foram visualizados pelo público e nem contabilizados pela Justiça Eleitoral.

Tudo isso porque José Luiz da Mota Cruz tem uma condenação por homicídio culposo. Ele não é um criminoso desses formais, de bala ou faca. De carro, ele atropelou em 2010 duas pessoas que usavam uma moto e uma delas – uma criança - morreu.

O acidente foi na SE-170, a rodovia que liga a cidade de Itabaiana a Campo do Brito, no agreste sergipano. A condenação dele saiu recentemente. Mas mesmo que essa montanha de votos dada a Luizão fosse oficialmente contabilizada, ele não atingiria a o coeficiente eleitoral, que foi de 110 mil em Sergipe, para um mandato de federal.

Mas em Itabaiana há uma expectativa de que com esta votação, e ainda mais com os 10.238 obtidos na cidade serraram, Luizão Dona Trampi vai querer ser candidato a vereador em 2020.

Até, quem sabe, a prefeito - para quem tem Vardo da Lotérica no Legislativo... Mas será que Dona Trampi estaria à altura de Itabaiana? Com todo o respeito ao lado folclórico dele, certamente não.