Aparte
Carlos Melo não acredita que venda do Deso volte à pauta tão cedo
2a9e08652c4622eb

Carlos Melo: dificilmente, um futuro Governo traga venda à pauta

O diretor-presidente da Deso - Companhia de Saneamento de Sergipe -, engenheiro civil Carlos Fernandes Melo Neto, não se surpreendeu com a definição levada à empresa na última segunda-feira pelo governador Jackson Barreto de que ela não será mais privatizada por este atual Governo.

Funcionário de carreira da Deso, Carlos Melo já havia feito esta previsão aqui neste portal, em entrevista domingueira publicada no JLPolítica no dia 25 de novembro do ano passado.

O JLPolítica lhe perguntou: “Em que pé se encontra o projeto de privatização da Companhia?”. Carlos Melo não fez rodeios. “Esse programa saiu da pauta do Governo. Não está em discussão”, respondeu.

E completou: “O Governo Federal, através do BNDES, fez convênio com alguns Estados, inclusive Sergipe, para desenvolver estudos nesse cenário. Esses estudos não avançaram por aqui e acredito que a privatização não deva ocorrer no Governo de Jackson Barreto”.

Mas Carlos Melo vê virtudes na confirmação feita agora pelo governador do Estado. “Aos pouquinhos, o Governo Jackson Barreto foi construindo esta decisão. Eu diria que foi a melhor para o Estado, para a instituição Deso, assim como para a sociedade como um todo. Todos sabem que a Deso tem um papel social muito grande”, diz Melo.

Carlos Melo acha que o debate gerado nos últimos dois anos certamente vai inibir algo parecido no futuro. “Embora seja um tema recorrente e vira e mexe volte à pauta do Governo, não só do estadual como do federal, acho que num próximo Governo recente não vai haver quem queira botar esta discussão em voga de novo. Mesmo porque, ela gerou um desgaste grande nos últimos anos”, diz Carlos.