YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author fbd5d65740160840
Tanuza Oliveira

Jornalista desde 2010, com formação pela Unit e atuação em veículos impressos e em assessorias de comunicação em Sergipe. É repórter Especial do JLPolítica desde 2017.

Professora Josilda: “Toda mulher será bem-vinda e respeitada no DEM”
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
6688b33e86cb2ec1

Josilda: “Muitas mulheres permanecem no anonimato por acharem que as portas não irão se abrir para elas. Mas aqui, no DEM, nós abrimos”

A professora Josilda Alice da Graça Monteiro preside o Democratas Mulher em Sergipe há cerca de dois anos e enfrenta, agora, um grande desafio pela frente: o de angariar cada vez mais mulheres em torno de possíveis candidaturas para 2020.

O trabalho começou em abril deste ano, quando ela foi convocada pelo DEM Nacional para uma reunião em Brasília. De lá para cá, a atuação se intensificou e culminou agora, com a realização do seminário “Fortalecimento da atuação política de mulheres pelo Brasil”, que terá, pelo menos, quatro desdobramentos até o fim de ano.

“Vamos realizar esse trabalho, também, em Frei Paulo, Ribeirópolis, Nossa Senhora da Glória e Salgado, com filiações e, principalmente, conscientização da importância dessa participação feminina no processo eleitoral”, afirma Josilda Monteiro.

Embora esteja há apenas dois anos à frente da ala feminina do partido, ela é filiada ao DEM há 15 anos, sempre acompanhando a senadora Maria do Carmo, presidente de honra do DEM Mulher e atuando nos bastidores. “Nunca me candidatei. Prefiro trabalhar para que outras mulheres se candidatem e ocupem esses espaços”, diz a professora.

Para que isso aconteça, ela diz que o DEM Mulher está chegando de uma maneira diferente. “O presidente José Carlos Machado tem facilidade em manter contato com lideranças e isso tem ajudado muito. Ele tem dado continuidade ao trabalho de João Alves e da senadora Maria do Carmo, que fundaram o partido. Dos cinco diretórios municipais que encontrou, hoje já são 50. E a partir da estruturação deles, estruturaremos também os diretórios femininos”, ressalta.

O próprio Machado chegou a afirmar que 2020 será o ano da mulher na política. “Eu concordo com ele. E será assim, caminhando juntos e dando atenção muito especial a todas. Não teremos “a” candidata, “a” única, focaremos nas candidaturas femininas como um todo. Toda mulher que aderir à causa será muito bem-vinda e respeitada no DEM”, garante.

Atualmente, o DEM/SE tem cerca de duas mil filiadas e, segundo Josilda, o seminário teve tanto o objetivo de preparar as mulheres que já são filiadas quanto o de atrair novas filiações. “Tudo isso para iniciarmos um trabalho de conscientização e fortalecer a mulher na política para que ela possa se envolver mais nessa área, porque muitas mulheres permanecem no anonimato por acharem que as portas não irão se abrir para elas. Mas aqui, no DEM, nós abrimos”, garante.

E, de portas abertas, o partido espera dar um salto em suas cerca de duas mil filiadas. “O próprio evento já superou nossas expectativas, pois esperávamos uma média de 100 mulheres e recebemos mais de 250, além de autoridades da política”, revela. Para Josilda, é preciso ter em mente que o “aumento das mulheres na política representa um avanço não apenas para a política, mas também para a sociedade”.