YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 37 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

PSDB ajuda no Programa de Governo do Cidadania e pede Centro de Diagnóstico por Imagem
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
5f0393055398eab9

Eduardo Amorim: opinião do PSDB no Programa de Governo do Cidadania

O presidente estadual do PSDB de Sergipe, o médico Eduardo Amorim, disse à Coluna Aparte nesta quinta-feira, 9, que a aliança do seu partido com o Cidadania na sucessão de Aracaju não será feita às escuras, com os tucanos apenas subscrevendo um Programa de Governo do grupo liderado pelo senador Alessandro Vieira.

“Eu fui chamado à construção do Programa de Governo e já disse que não abro mão do Centro de Diagnóstico por Imagem da cidade de Aracaju. Aracaju e Sergipe têm que ter isso. Com certeza, isso vai estar no programa - não abro mão - com tomografia e ressonância e tudo funcionando, sábado, domingo e feriados”, diz Eduardo.

Mas e um Centro de Diagnóstico por Imagem é obra de município ou obra de Estado? “Isso é uma obra do município. Aracaju não é detentora da responsabilidade alta complexidade? Não é Aracaju que se encarrega da distribuição das fichas de exames? Então compete ao Governo municipal”, reforça Eduardo.

Na última segunda-feira, 6, aqui nesta Coluna, na nota “Alessandro Vieira vê chance na aliança com PSDB. Mas selo será o programa de Governo” - confira link -, o senador disse o seguinte: “O programa de Governo do Cidadania está finalizado, a gente está submetendo-o a esses possíveis parceiros com os quais estamos conversando para ver se a gente afina as ideias e se se afinar bem, vamos juntos sem problema nenhum”.

Isso soou como se os parceiros tivessem de apenas subscrever o programa pronto do Cidadania. Eduardo Amorim corrige essa visão. “Isso é uma interpretação equivocada. Eu fui chamado para contribuir com o plano de Governo. Fui chamado à construção não. Fui convidado, melhor dizendo. Nada de seguir o Programa de Governo do Cidadania sem direito a fazer nenhuma sugestão”, diz o tucano.

“Eu quero opinar, sim. Não existe esta de soldado pela metade. Não vou entrar numa luta se não for de corpo e alma. Tem que materializar com a alma também esse projeto. Só defendo o que acredito, senão cada um que siga o seu caminho”, diz o ex-senador.

Para Eduardo Amorim “está bem encaminhada” a chance da aliança entre os dois partidos. O PSDB deve entrar com a indicação do pré-candidato a vice-prefeito, e está previamente decidido que será o empresário Valter Soares, o Valtinho.