YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 36 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

PT anuncia Márcio Macêdo como candidato e rompe com Edvaldo
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
50ac2b215d29172e

PT decidiu, nesta quinta-feira, ter candidatura própria para eleição municipal em Aracaju

Na tarde desta quinta-feira, 9, em sua sede, o Partido dos Trabalhadores em Sergipe reuniu todas as suas forças – como Eliane Aquino, Conceição Vieira, Rogério Carvalho, João Daniel, Ana Lúcia, Silvio Santos, Jeferson Lima –, com exceção dos membros Articulação da Esquerda, e decidiu que a sigla terá candidato próprio a prefeito para a eleição de 4 de outubro em Aracaju. Como esperado, o nome anunciado foi do ex-deputado federal e atual vice-presidente nacional do PT, Márcio Macêdo.

Escolhemos ter candidatura própria devido ao momento conjuntural que o Brasil vive, pela importância do fortalecimento do Partido dos Trabalhadores e pela importância de termos um candidato em frente que denuncie a situação brasileira de hoje”, explica o presidente do PT em Sergipe, João Daniel.

O presidente do PT justifica o porquê da escolha do ex-deputado federal. “O Márcio é o nome que se colocou como candidato. Mas poderão surgir outros dentro do partido. Contudo, hoje, é o nome dele que está colocado para ser debatido e construída a candidatura”, diz.

Com a decisão da candidatura própria em Aracaju, naturalmente, o rompimento com o prefeito Edvaldo Nogueira acontecerá. “Hoje o espaço do PT na Prefeitura de Aracaju é na Funcaju. Então, devem ser entregues os cargos para o prefeito. Sairemos da gestão”, informa João Daniel.

Mas João destaca que o PT não tem problemas com Edvaldo. “Temos ele como um bom prefeito. Mas o PT tem o direito de debater a conjuntura atual e ter candidatura própria em Aracaju”, afirma.

Questionado pela Coluna Aparte como ficará o relacionamento do PT com o governador Belivaldo Chagas - que apoia a reeleição de Edvaldo Nogueira -, João informa que nada mudará. “Essa nossa decisão de ter candidatura não significa rompimento com o Governo. Belivaldo é o nosso governador e nós participamos do Governo de Belivaldo”, diz.

Segundo João Daniel, Belivaldo tem todo o direito de estar no palanque de quem quiser e apoiar aqueles que o apoiaram na eleição de 2018. “Alguns municípios, por exemplo, poderão ter duas candidaturas da base aliada de Belivaldo. Mas a gente vai discutir isso, caso o govenador tenha interesse, para não termos maiores problemas”, informa.

Por falar em problema, a Direção da tendência petista Articulação de Esquerda/SE, que não participou da reunião de hoje, emitiu nota que diz o seguinte: “O PT deve ter candidatura própria na disputa eleitoral de Aracaju. Mas não basta romper com o Governo Edvaldo Nogueira, é preciso também sair do Governo Belivaldo Chagas”.

Sobre essa questão interna do partido com a Articulação de Esquerda, o presidente afirma que o PT discutirá com os membros da tendência para buscar um apoio e chegar a um entendimento comum. “Eles têm o direito de debater, discutir e, inclusive, de propor nomes, caso queiram candidatura a prefeito no campo deles”, afirma.