YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author 4eb5c947b54eb69b
Jozailto Lima

É jornalista com 35 anos de experiência profissional. Antes do Cinform, trabalhou nos jornais Feira Hoje, Tribuna da Bahia, Jornal da Bahia, TV Subaé e Jornal de Sergipe.

Rogério Carvalho fuma cachimbo da paz com Jony e o PRB. Até quando? 
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
565966aff591df34

Rogério e Jony: amigos para sempre  

As duas fotos veiculadas ontem pelas mídias sociais, disparadas a partir do ex-deputado federal Rogério Carvalho, PT, nas quais ele aparece fumando o cachimbo da paz com o deputado federal Jony Marcos, PRB, parecem restituir o novo Rogério que Rogério quer mostrar para a opinião pública sergipana ultimamente.

Apesar de ter sido parcialmente belicoso no episódio em que enquadrou Jony num evento em Pedrinhas, Rogério Carvalho tem dado demonstrações de estar politicamente mais leve. Mais contemplativo. De ter mandado passear, e para bem longe, aquela porção Ciro Gomes que ele sempre carregou consigo, e que o fez tão odiado e em nome da qual dificultou sua vida de candidato ao Senado em 2014.

Com pés de algodão e mãos de pelicas, Rogério está fazendo de um tudo para que permitam o seu embarque numa candidatura ao Senado ao lado de uma eventual candidatura de Jackson Barreto na arca dos governistas. Acha que se elege assim. E foi na construção desse sonho que ele deu uma peitada dura em Jony Marcos em Pedrinhas.  

É verdade que Jony Marcos e Heleno Silva, que quer disputar a segunda vaga de Senado com os governistas - o mesmo que Rogério quer – estão adotando uma postura bem blasé junto aos oposicionistas, deixando entrever aos governistas que poderão fazer parte do processo sucessório com as oposições, o que não seria crime algum.

Rogério, num momento nada feliz, foi tirar A satisfação com Jony sobre isso – algo que talvez não lhe coubesse. E enfiou o dedo nos olhos do galeguinho seguidor de Edir Macedo. Veja a versão de Jony para abordagem que Rogério lhe fez:

- Você não quer votar em mim para senador, não é?

- Eu disse: quero.

- Você só quer votar em Heleno.

- Eu disse: quero votar em Heleno também.

- E entre Heleno e eu?

- Nos dois. Não são dois votos?

- E em Jackson?

- Jackson ainda não é candidato.

- Jackson já é candidato, e a chapa vai ser eu e Jackson.

- Não tem nada certo. A decisão mudou para fevereiro e março, e o grupo ainda não decidiu.

- Deste lado vai ser eu e Jackson. Só tem vagas para vocês se for na oposição.

Foi aí que Jony fez a sugestão provocativa, e devolveu a dedada nos olhos:

- Mas por que você não vai para oposição?

E Rogério teria reagido:

- Você não sabe que eu sou do PT, como ir para a oposição?

- E eu sou do PRB.

- Mas vocês têm conversado muito com Amorim.

- Eu tenho conversado mesmo. Eu sou o coordenador da bancada no Congresso. Eu tenho que conversar com todo mundo. Com oposição e situação.

Bom, o entrevero vazou na mídia. Rendeu. Nesta quinta, 30.11, foi Jony que ligou para Rogério e o chamou para um baiacu na brasa num restaurante da cidade, com a intenção e rebaixar o inchaço de beiço de ambos e atenuar a temperatura.

E foi de Rogério a iniciativa de distribuir texto e fotos do encontro dos dois e alguns aliados. “Agora estou ao lado do amigo deputado federal Jony Marcos, Dr. Thiago, prefeito de Nossa Senhora das Dores, Adinaldo, prefeito de Indiaroba e o professor Anderson Góis, almoçando. Não conseguirão plantar a discórdia em nosso bloco”, escreveu Rogério. Tão fofa, não é, a frase “não conseguirão plantar a discórdia em nosso bloco”! 

É claro que um jogo de dados não abole a sorte e nem o azar. Outros entreveros eles terão até as convenções. Aproveitando-se de uma tradição da política de Sergipe, de poucos terem lado firme, Jony e Heleno têm uma certa postura de sátiros e mandam beijinho para todos os lados. O que cabe se questionar aqui é se compete a Rogério assumir as dores e ser o cara do pau pau.