YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author 4eb5c947b54eb69b
Jozailto Lima

É jornalista com 35 anos de experiência profissional. Antes do Cinform, trabalhou nos jornais Feira Hoje, Tribuna da Bahia, Jornal da Bahia, TV Subaé e Jornal de Sergipe.

Sandro de Miro admite retorno à política. Senado é o alvo. Mas acha vice de Valadares “interessante”
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
4443871dd8a66a27

Sandro de Miro: se animando de novo com a cena política

O empresário Sandro de Miro, DEM, da família mantenedora da Rede Presidente, com atuação no ramo de combustíveis e derivados no Estado de Sergipe, admite a possibilidade de um retorno à disputa eleitoral nas eleições deste ano - devidamente sob o consentimento da família.

Sandro foi eleito vereador de Aracaju em 2004, (PV, 4.197 votos), cumpriu apenas um mandato até 2008 e se recolheu ao trabalho do grupo familiar que, liderado pelo pai dele, Miro Santos, tem 21 postos de combustíveis em Sergipe, uma transportadora de combustíveis e um grupo de emissora de rádios onde eles geram 850 empregos diretos e tem faturamento anual de R$ 350 milhões.

Sandro estava politicamente quieto do seu canto até recentemente. Quando a família adquiriu as Rádio Liberdade há dois anos, houve uma conjectura coletiva de que ele disputaria o mandato de deputado federal. Mas Sandro não deu gás a essas expectativas.

No entanto bastou Mendonça Prado, DEM, pré-candidato ao Governo de Sergipe, trazer o nome dele à tona como um pretenso candidato ao Senado, e Sandro acendeu uma chama. “O grupo está me animando e vejo que todos os quatro pré-candidatos que temos aí ao Senado são meio sem graça. Estão cheios de desgastes”, diz ele.

“Para além de Mendonça Prado, tem uma corrente e um grupo de amigos me sugerindo isso. Mas eu não me defini não. Devo dizer que entrei o ano de 2018 sem estar pensando nisso. No entanto, vejo que não tem opção para o povo. Mas antes de tudo, tenho de conversar com Deus e decidir o que quero”, diz Sandro.

O empresário tem boa visada sobre o momento para quem seja novo e politicamente diferente - condições nas quais ele acha que se encaixa. “Eu entendo que o momento pode ser propício para a renovação, para o jovem, para o novo. Para quem seja limpo, para quem tenha ideias e propostas boas”, avisa.

Sandro admite, no entanto, que sabe das dificuldades de lançar uma candidatura do zero faltando cerca de 120 dias para as eleições. “É muito difícil. Mas fico feliz pela lembrança”, avisa.

O pré-candidato ao Governo de Sergipe pelo PSB, deputado federal Valadares Filho, observa a cena no entorno de Sandro de Miro, que é da sua geração, com muito boa vontade. “É um nome na linha da excelência na vida política e empresarial de Sergipe” diz Valadares.

Valadares Filho, que não descarta uma aliança com Mendonça Prado, desde que mantenha-se a candidatura do PSB ao Governo do Estado, diz que “vê com bons olhos” a possibilidade de ter Sandro de Miro como candidato a vice-governador em sua chapa. Sandro não faz por menos. “Aí seria interessante. Quem sabe, não é?”, diz ele.