YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 36 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Sem taxa de isolamento aceitável na Grande Aracaju, lockdown será discutido
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
Fa99e04c9e58eca9

Belivado Chagas: “Se não voltarmos às taxas de isolamento aceitáveis na Grande Aracaju, vamos discutir o lockdown”

Quem garante isso, com todas as letras, é o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, PSD, em fala nesta segunda-feira, 18. “Se não voltarmos às taxas de isolamento aceitáveis na Grande Aracaju, vamos discutir a possibilidade de lockdown na região. Precisamos convencer as pessoas da importância do isolamento neste momento”, disse Belivaldo.

Belivaldo Chagas não deixou dúvida de que vai endurecer nesta semana as medidas de enfrentamento e combate ao coronavírus para a conter a Covid-19 no Estado e disse dessa sua intenção diante do novo decreto normativo baixado nesta segunda-feira, 18, em Palácio.

A tensão do governador não é sem causa. Os casos da doença continuam se expandido no Estado e a Universidade Federal de Sergipe vai divulgar entre esta terça, 19, e quarta, 20, o resultado de uma testagem feita em 10 cidades sergipanas - mas atenção, porque é falsa uma lista que circula por aí nas mídias sociais com supostos dados finais dessa testagem da UFS.

“Esta semana será de grande trabalho extensivo de fiscalização para o cumprimento efetivo do que está sendo posto no decreto. Será uma ação dura, conjunta com as Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros e Guarda Municipal, principalmente com relação aos 10 municípios que apresentam o maior número de casos no Estado e mais ainda na Grande Aracaju”, disse o governador Belivaldo.

Estas falas do governador foram nesta segunda-feira, 18, em coletiva de imprensa no Palácio dos Despachos, quando ele anunciou um novo Decreto, o de número 40.598, no qual atualiza e estabelece novas medidas de prevenção ao contágio e de distanciamento social para enfrentamento do novo coronavírus em Sergipe.

As medidas ainda mais restritivas seguem as orientações técnicas e científicas, observando o crescimento contínuo do número de casos confirmados com a Covid-19 e, consequentemente, o impacto na taxa de ocupação de leitos por internamento.

O decreto atualiza e estabelece novas medidas sem prejuízo das que são previstas nos decretos números 40.567, de 24 de março de 2020, 40.576, de 16 de abril de 2020 e 40.588, de 27 de abril de 2020. 

O Decreto 40.598, desta segunda, manda, por tempo indeterminado, que permaneçam suspensos, os eventos, reuniões de qualquer natureza, com aglomeração de pessoas, de caráter público ou privado, além da visitação a presídios.

35359095059126cbGovernador Belivaldo Chagas e secretária de Saúde, Mércia Feitosa: certa autonomia aos municípios, mas com ações coordenadas com o Estado

Também por tempo indeterminado, continuam com funcionamento adaptado as repartições públicas, assim como o uso obrigatório de máscaras pelas pessoas nas ruas. Permanecem suspensas até o dia 25 de maio as atividades econômicas organizadas para a produção ou a circulação de bens ou de serviços, incluindo o comércio em geral, academias, shopping centers, galerias, boutiques, clubes, boates, casas de espetáculos, salão de beleza, clínicas de estética, à exceção das atividades consideradas essenciais - e isso é a parte mais tensa entre o Governo e os chamados setores produtivos.

Segundo o governador, o decreto reforça a competência dos municípios para disporem sobre regras de circulação, rodízios de carros, proibição de estacionamentos, implantação de barreiras sanitárias e decisão sobre o temível lockdown.

“Essas medidas são válidas até o dia 25, próxima segunda-feira. O Decreto prevê, ainda, que os municípios podem realizar ações isoladas, com relação a apertar e não afrouxar as medidas, caso julguem necessário. Mas numa ação coordenada tanto pela SES quanto pela Vigilância Sanitária”, diz o gestor estadual.

Foram ampliados os itens de restrição para funcionamento dos estabelecimentos. Além disso, foram estabelecidas regras adicionais para funcionamento de lotéricas/bancos em razão da segunda parcela auxílio. O decreto também prevê sanções para descumprimento das medidas com advertência, multa e interdição, delegando ao Procon, PM, PC, Defesa Civil e CBM, a competência.

O documento atribui à SES e SEGG a apresentação do Plano de Enfrentamento e Plano de Retomada das Atividades Econômicas, a serem apreciados pelo Comitê Gestor de Emergência. Além disso, institui o monitoramento dos leitos de UTI da rede privada, a ser executado por meio do Complexo Regulador em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde - SES. Com isso, os hospitais privados deverão informar, imediata e diariamente, ao Complexo Regulador em Saúde do Estado, todas as alterações de situação de seus leitos de UTI.

Foto: Mário Sousa/ASN