Aparte
Ademário Alves fala na Alese das ações contra déficit de R$ 400 milhões em 2019
36144432b71856bf

Ademário Alves: “Servidor precisa ter segurança na data seu salário” (Foto: Alese)

O secretário de Estado da Fazenda, Ademário Alves, defende a necessidade de continuidade das ações de economia da máquina administrativa de forma conjunta com as ações de elevação de receita com o objetivo de fazer frente à previsão de déficit estadual de R$ 400 milhões para 2019.

Esta preocupação do executivo das Finanças de Sergipe, que vem circulando o cumprimento das metas fiscais relativas ao segundo quadrimestre deste ano, foi apresentada por ele na Comissão de Economia, Finanças, Orçamento e Tributação da Assembleia Legislativa de Sergipe na manhã desta quarta-feira, 5.12.

O secretário Ademário Alves afirmou que as ações administrativas desenvolvidas até o segundo quadrimestre pelo Governo de Sergipe resultaram em um cenário estadual melhor em relação ao mesmo período do ano passado, observando-se uma ligeira elevação na arrecadação a partir do mês de junho, com destaque para as medidas de contenção de gastos e as de ampliação de receitas.

Um ponto destacado por Ademário durante a explanação aos deputados foi o foco do trabalho do Governo em promover a eficiência dos gastos públicos e manter ao longo de 2019 a pontualidade do pagamento da folha e de outros compromissos. “É preciso dar segurança ao servidor público a respeito do salário”, pontuou Ademário.

“O servidor precisa ter a segurança de que naquela data seu salário estará depositado. O Governo do Estado vem conseguindo lhe dar essa tranquilidade. Uma segunda questão é a previsibilidade de pagamento aos fornecedores e parceiros do Estado. Essa previsibilidade provoca um efeito positivo na economia e faz a roda girar no comércio e na indústria”, ressaltou Ademário Alves.

Sobre esse aspecto, o secretário reafirmou que outras medidas de contenção de gastos, redução do custeio da máquina e ações de incremento da arrecadação serão vitais para o equilíbrio financeiro do Estado, especialmente para o ano de 2019, em que se projeta um déficit aproximado de R$ 400 milhões.

Para Ademário, o grande desafio para o Estado é equacionar o déficit da Previdência, estimado em R$ 1 bilhão até o encerramento do exercício financeiro de 2018. Na avaliação do secretário, é necessário adotar medidas no sentido de uma reforma previdenciária que neste momento possa amortecer o crescimento do déficit, muito embora ainda não haja muitas definições tendo em vista a necessidade de se avaliar o cenário nacional.