Aparte
OPINIÃO - Gestão Pública transformada em novela
17c1a4a81e5b3fc9

[*] Alessandro Vieira

Todos os sergipanos foram obrigados a acompanhar, por 30 dias, uma triste novela envolvendo uma das pastas mais importantes do Estado, a Secretaria da Saúde.

Se revezando nos microfones, em falas cada vez mais confusas e grosseiras, dois personagens com atuações muito abaixo do mínimo que Sergipe merece.

Um Almeida Lima entronizado secretário pelo primo, Jackson Barreto, com um perfil notório inclusive além das divisas do Estado. De trato rude e atitudes polêmicas, várias delas objeto de questionamentos judiciais, como o aluguel milionário do antigo Mistão e a inauguração fake da Nefrologia do Huse, é uma perfeita tradução da política velha que utiliza o sofrimento do cidadão mais necessitado para a barganha de votos.

O outro, um Belivaldo Chagas ungido como continuidade do projeto político de Jackson Barreto. Durante mais de uma década ocupando cargos relevantes no governo, inclusive como vice-governador por duas vezes, Belivaldo é sócio umbilical do fracasso que tornou Sergipe um Estado com alguns dos piores indicadores de desenvolvimento humano do Brasil. 

Como governador, se mostrou incapaz de montar com independência a sua equipe, com base em critérios técnicos. Ficou refém de conveniências e acordos políticos, fazendo a mudança na Secretaria da Saúde apenas por absoluta pressão popular e midiática.

Atrás de ambos, oculto em silêncio estratégico, está Jackson Barreto, um dos piores governantes da história de Sergipe. A sua opção perene pelo carreirismo político, em detrimento do interesse público, é a causa basilar do caos enfrentado pela população.

Quando falta segurança, saúde e educação, é deste personagem atrasado que se deve cobrar a conta.

É hora de encerrar uma novela ruim que se arrasta por mais de uma década. Temos a oportunidade histórica de virar a página da política populista e incompetente e dar uma oportunidade para a renovação.

Novos nomes, novas práticas, novos princípios. Chega de novela, é tempo de confiar em gente séria para resolver os nossos problemas.

[*] É delegado da Polícia Civil e pré-candidato a senador pelo Rede.