YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 36 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Valadares Filho: “Me leio como um homem público muito corajoso e determinado”
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
2c1b2fe4cc4f76cb

Valadares Filho: em busca do espólio eleitoral

O ex-deputado federal Valadares Filho, PSB, reconfirmou nesta sexta-feira, 7, seu projeto pessoal e político – ele o quer coletivo - de ir à quarta eleição majoritária, ao disputar a Prefeitura de Aracaju neste ano de 2020. Já foi candidato a prefeito da capital em 2012 e em 2016 e a governador do Estado em 2018.

Para mais essa empreitada, Valadares Filho faz uma leitura muito otimista de si mesmo e de suas significações eleitorais. “Eu me leio como um homem público muito corajoso e determinado de uma nova geração da política de Sergipe, focado naquilo a que se coloca e conhecedor dos problemas de Aracaju”, avisa.

“Sim, mas contam, ainda, as prerrogativas eleitorais. Afinal eu tive quase 130 mil votos em Aracaju no segundo turno de 2018 e foram mais de 134 mil votos também num segundo turno para a Prefeitura de Aracaju dois anos antes. Tudo isso me dá total legitimidade de buscar uma construção que seja igualmente legítima, democrática, sem imposições”, diz ele.

“Portanto, posso dizer para a sociedade aracajuana e a sergipana que estou seguro no meu projeto de disputar o governo municipal da capital. Estou seguro disso e estou muito animado com o projeto. Vou construir isso, assim como fiz tudo na minha vida pública, com diálogo com os partidos que queiram somar conosco e principalmente com a sociedade”, afirma ele.

Valadares Filho não acolhe e nem fatura a ideia de que vá enfrentar um Edvaldo Nogueira, seu oponente de 2016, agora com uma obra vistosa e robusta de prefeito. “Muito pelo contrário: esse é um governo da maquiagem. O governo Edvaldo Nogueira é da mentira. Um governo que se você espremer e espremer não achará nada. Não tem consistência absolutamente nenhuma”, diz.

O pré-candidato do PSB não se incomoda com a profusão de pré-candidaturas já postas à sucessão de Aracaju. Ao contrário. “Todas essas candidaturas acho que são boas para a democracia. Quanto mais nomes, mais projetos para o povo analisar e mais vence a democracia”, entende ele.

“Mas estou preocupado agora é com a formação de um programa de governo para a gente poder apresentar no dia 3 de abril, que é o prazo final das filiações partidárias. A partir da apresentação do programa de governo, do projeto para a cidade, que o PSB sempre fez e vai refazer dentro dos moldes de uma nova realidade agora, a gente discute as alianças”, reforça.