Aparte
Nova dirigente do Rede em Sergipe garante: “Queremos cabeça erguida e passo firme”
76980c794df9862b

Natália Pereira Dalto: Rede acalanta um país mais justo

O Rede Sustentabilidade em Sergipe está sob novo comando, com a retirada de Emerson Ferreira e sua turma. Hoje, esse partido tem a coordenação de um novo núcleo liderado pela assistente social Natália Pereira Dalto, que é também bacharela em Direito, especialista MBA em Gestão Estratégica de Pessoas e mestra em Segurança Pública, Justiça e Cidadania, É uma das fundadoras do Rede Sustentabilidade. 

Natália Pereira Dalto leva muitíssimo a sério os propósitos do Rede 
Sustentabilidade. “Estamos buscando formar um grupo de qualidade e forte para as eleições 2020, 2022 e 2024. O Rede Sustentabilidade está formando pessoas para termos candidaturas verdadeiramente identificadas com o Rede, comprometidas com o projeto que o partido tem para o país e para Sergipe”, diz ela. 

A cena não parece se amadora e nem para brincadeira. “Iremos ocupar espaços de decisão no cenário sergipano, eu não tenho a menor dúvida disso. Há nomes muito interessantes na Rede - a rede está cada vez mais forte nos seus posicionamentos quanto ao que queremos para Sergipe e para o Brasil”, diz ela.

Veja o que mais diz Natália Pereira Dalto sobre o Rede Sustentabilidade nesta entrevista exclusiva que ela concede à Coluna Aparte.

Aparte - O que é que a Executiva Nacional está esperando da Executiva Estadual de Sergipe?
Natália Pereira Dalto -
Que a gente continue a ocupar os espaços de fala, ajudando a defender a democracia, a cidadania, o respeito à dignidade humana, a construção de um modelo de sociedade sustentável. Em Sergipe, o Rede Sustentabilidade vem construindo uma trajetória de conquistas. Um partido político são seus valores e princípios, e o nosso desafio é continuar a falar desses valores e desses princípios. As pessoas compreendem que o Rede é um partido diferente. Basta olhar a votação que o partido teve nas eleições de 2016 e 2018. Sabemos que os partidos também são compostos por pessoas, por militantes, e o Rede está fazendo seu dever de casa para apresentar aos sergipanos novos nomes, novas lideranças. Enquanto dirigentes partidários, estamos trabalhando para fortalecer o partido, também pensando nas eleições de 2020 e sobretudo, nas eleições de 2022, quando teremos que eleger deputados federais. 

Aparte - Como é que a senhora recebeu o partido, do ponto de vista organizacional, do grupo liderado por Emerson Ferreira e Alessandro Vieira? Ele está estruturado em quantos municípios?
NPD -
O Rede Sustentabilidade passou por um momento bastante difícil e infelizmente em 2018 não atingimos nossa cláusula de barreira, o que serviu de argumento para que muitos deixassem o partido. Estamos nos reestruturado, estamos em dezenas de municípios. Vamos sem agonia, sem cairmos em provocações, sem nos preocuparmos com o que os outros partidos estão fazendo ou deixando de fazer. Queremos é cabeça erguida e passo firme. Por falar nisso, deixa eu aproveitar esse espaço e convidar as cidadãs e cidadãos de bem, as lideranças sociais que gostariam de poder atuar na política partidária, mas que não encontram espaços na maioria dos partidos, já que esses partidos tem seus donos, seus novos e velhos caciques, que venham conhecer o Rede. Quando, em 2016 dizíamos que o Rede não tinha dono, é porque de fato não tem dono. O Rede é um partido verdadeiramente democrático. 

Aparte - Qual será o papel do Rede na sucessão municipal do Estado de Sergipe?
NPD -
Estamos buscando formar um grupo de qualidade e forte para as eleições 2020, 2022 e 2024. O Rede Sustentabilidade está formando pessoas para termos candidaturas verdadeiramente identificadas com o Rede, comprometidas com o projeto que o partido tem para o país e para Sergipe. Iremos ocupar espaços de decisão no cenário sergipano, eu não tenho a menor dúvida disso. Há nomes muito interessantes no Rede, que está cada vez mais forte nos seus posicionamentos quanto ao que queremos para Sergipe e para o Brasil.

Aparte - Tem havido convites para diálogos de composição?
NPD -
Sim, claro. Tem havido convites de todas as direções. Os partidos sabem que o nome Rede representa credibilidade e representa ética. Nenhum outro partido recente nesse país foi constituído dentro do cenário e da maneira como o Rede foi constituído. Estamos sendo procurados e também estamos procurando dialogar. Não estamos sentadinhos esperando que o melhor dos cenários cai do céu. Nós queremos é, desde já, contribuir, com responsabilidade, com a construção desse cenário. Ou seja, do melhor cenário possível para Aracaju e para Sergipe. 

Aparte – E especialmente na cidade de Aracaju?
NPD -
O Diretório Municipal de Aracaju tem um grupo organizado trabalhando em prol desta construção. Estamos sim dialogando, inclusive com possiblidade de lançarmos candidatura própria ou a vice. Vamos continuar dialogando. Agora, de uma coisa tenha o leitor certeza: não vamos entrar em aventura, nem vamos rasgar nossos valores e princípios. E mais: não vamos entrar pela janela e nem pela porta dos fundos.

Aparte - A senhora acha que será possível fazer um vereador na capital de Sergipe?
NPD -
Sim, com certeza iremos fazer dois ou três vereadores. Estamos montando um chapa forte, com representações dos mais variados segmentos da sociedade, com pessoas que acreditam, como acreditamos em 2016 e em 2018, que vamos repetir um projeto vitorioso para o Rede nessas eleições. 

Aparte - Dos grupos que estão aí na cena política, com quem a senhora acha mais fácil haver uma convergência de objetivos? 
NPD -
Com aqueles que tenham identidade com o Rede Sustentabilidade, que atuem dentro dos nossos valores e princípios, como o respeito à liberdade de expressão, à pluralidade política, a defesa da dignidade da pessoa humana, da justiça social, a defesa dos direitos das minorias, do respeito à natureza e à vida em todas as suas formas de manifestação e da promoção e defesa do meio ambiente ecologicamente equilibrado; da função social da terra e dos conhecimentos tecnológicos e científicos; da função social da propriedade; da solidariedade e da cooperação; respeito às convicções religiosas e à liberdade para professá-las; da transparência, eficiência e eficácia na gestão pública; da impessoalidade e do interesse público; da legalidade; do pleno respeito às diversidades, à coisa pública e ao bem comum. 

Aparte - Com quem o Rede não se somaria jamais no tecido político de Sergipe?
NPD -
Com os que por ventura não defendam, na teoria e na prática, os valores e princípios que enumerei na resposta anterior. Não fazemos jamais parceria com quem defende a intolerância, o preconceito. Com quem é contra a liberdade de expressão cultural. 

Aparte - O que mais preocupa a senhora do Brasil sob Jair Bolsonaro?
NPD -
As tentativas de desacreditar o trabalho da imprensa, por exemplo, é algo que preocupa a todos nós. Veja também o que tem ocorrido com a questão ambiental no país. Em 2019, o Brasil teve um aumento da degradação nos seis biomas que lhe compõem. O ano de 2019 foi marcado pelos avanços das queimadas, pela morte de lideranças indígenas, pelo aumento dos casos de intolerância em vários setores.