Aparte
Zezinho Sobral faz balanço como deputado e dá opiniões em temas de interesse de SE
985f1db79f140a8c

Zezinho fala, na entrevista, sobre empreendedorismo, Fafen, projeto da termoelétrica, Sergas, zoneamento costeiro

Gestor de oito pastas governamentais de Sergipe, entre Secretarias de Estado e órgãos do segundo escalão nos anos de 2007 a 2018, nos Governos de Marcelo Déda, Jackson Barreto e Belivaldo Chagas... Um verdadeiro coringa, com vasta experiência e vivência. Um político para lá de experiente, apesar de ser estreante no exercício de um mandato. Ele estreou como deputado na Assembleia Legislativa de Sergipe - Alese - no ano passado.

A figura descrita acima é José Macedo Sobral, Podemos, o Zezinho Sobral, 54 anos. “Hoje, conheço todo o Estado de Sergipe e tenho serviços prestados nos 75 municípios em virtude das pastas em que tive a oportunidade de atuar”, afirma.

Décimo deputado estadual mais bem votado na eleição de 2018, escolhido por 25.764 eleitores de Sergipe para representá-los na Alese durante quatro anos, Zezinho Sobral completa um ano de legislatura, neste início de 2020, e apresenta na Entrevista Domingueira do JLPolítica seu balanço.

“Tivemos um número significativo (projetos) e todos que apresentamos foram aprovados, dentre projetos de lei, requerimentos, indicações, moções, títulos. Temos como exemplo o projeto que regulamenta as queijarias artesanais de Sergipe, de autoria conjunta do nosso mandato com os queijeiros sergipanos, Emdagro e UFS. Já é Lei”, destaca Zezinho.

Na entrevista, Zezinho vai além do balanço de seu primeiro ano na Alese e fala de temas como empreendedorismo, futuro da Fafen, polo econômico envolto ao projeto da termoelétrica Celse, ineficiência da Sergas, projeto de zoneamento costeiro - que busca equiparar o litoral sergipano ao baiano e alagoano no tocante ao desenvolvimento turístico e agrosilvopastoril -, entre outros.

“Sergipe vive um drama onde nada pode ser implantado no litoral, nem mesmo casas e habitações das tradicionais áreas costeiras podem permanecer. Não se pode construir nem empreender. Isso não pode acontecer”, afirma o parlamentar.

Claro, a política não ficou de fora. “Podemos é um partido que tem um projeto de expansão de candidaturas para prefeitos e vereadores. Atualmente, temos dois prefeitos e a ideia é dobrar. Teremos candidaturas em pelo menos nove municípios. Teremos candidaturas também a vereador em vários municípios, que já estão se organizando", diz Zezinho.

A Entrevista Domingueira com Zezinho Sobral vai estar disponível no Portal JLPolítica neste domingo, 12, a partir das 8h.